Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Federao de basquetebol aposta na figura de supervisor

22 de Fevereiro, 2020

A Comissão de Gestão \"ad hoc\" da Federação Angolana de Basquetebol, coordenada por Gustavo Vaz Dias da Conceição, vai apostar nos próximos dias na figura de supervisor, personagem que terá a missão de analisar o trabalho dos homens do apito, durante a disputa da 42ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos.
O facto foi revelado recentemente ao Jornal dos Desportos, por António Celestino Sofrimento Manuel,  um dos membros da referida Comissão de Gestão \"ad hoc\", no âmbito dos encontros que a mesma tem mantido às quartas-feiras com vários agentes ligados a modalidade, nomeadamente treinadores, dirigentes, oficiais de mesa, comissários, árbitros e jornalistas.
Actualmente, o trabalho dos juízes é avaliado pelos comissários, figurino que pode mudar nos próximos dias, com a introdução da figura do supervisor, que terá a missão exclusiva de analisar o trabalho dos árbitros do ponto de vista técnico.
Em face disso, a Comissão de Gestão \"ad hoc\" da Federação Angolana de Basquetebol deverá levar a cabo nos próximos dias, uma acção de formação, para apurar os futuros supervisores do Campeonato Nacional da \"bola ao cesto\".
De acordo ainda com o antigo secretário-geral do órgão reitor da modalidade no país, deverão habilitar-se ao curso, ex-árbitros internacionais e nacionais com dez ou mais anos de experiência.
\"No quadro da gestão do jogo, faltam algumas figuras. E uma destas figuras de extrema importância tem a ver com o supervisor da arbitragem. Esta figura tem uma importância bastante elevada, em que a principal função é avaliar o desempenho dos árbitros na forma técnica, psicológica, física, mecânica e outras mais. Tudo isto vai  permitir que tenhamos um árbitro melhor controlado e melhor avaliado. Vai igualmente permitir, que o próprio juiz tenha um momento de reflexão e de análise para melhoria. Vamos agora, junto da Comissão de Gestão, tentar encontrar critérios para as pessoas que possam fazer esta formação, e depois  puderem aplicá-la de modos a que possamos ter está figura no jogo\".   
Questionado sobre o horizonte temporal para a entrada desta figura, António Celestino Sofrimento Manuel afirmou, \"que para nós poderia ser já amanhã. Agora, temos primeiro que encontrar os critérios, para depois fazermos com que haja a possibilidade de encontrar os potenciais candidatos e posteriormente fazermos a formação\".
Entretanto, António Celestino Sofrimento Manuel enalteceu os encontros, denominado \"makas\" às quartas-feiras, que o órgão reitor da modalidade tem levado a cabo com os mais diversos agentes ligados a \"bola ao cesto\".
\"Os encontros às quartas-feiras têm surtido efeitos muitos positivos, acho que as pessoas que não participam dos encontros ou pelo menos, não encontram tempo para participar dos mesmos, têm estado a perder a oportunidade, primeiro de ouvir as explicações técnicas sobre o jogo, actuação dos árbitros, oficiais de mesa e comissários, fundamentalmente, todos nós contribuirmos para que o jogo seja melhor. O jogo é o nosso objectivo primeiro, apesar do desporto ter outras vertentes importantes, como a edução, formação, a sociabilização mas, isso, só acontece com o jogo, então temos que fazer bem o jogo\".
António Celestino Sofrimento Manuel, que faz parte do quinteto da Comissão de Gestão \"ad hoc\" da FAB, a par de Gustavo Vaz Dias da Conceição, António Bi-figueiredo, Anselmo Monteiro e Berendau Júnior \"Dinho\", reiterou a importância das \"makas às quartas-feiras\".
\"O que pretendemos com estes encontros é, fundamentalmente, a melhoria do jogo. Queremos que no final de cada jogo, possamos ver todos a festejar a realização do mesmo. E a realização de um jogo como sabe, tem vitória e derrota. Aqueles que ganharem ganhem bem e os que perderem perdem bem, porque só desta maneira é que teremos bons jogos\".