Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Frustrao d ttulo ao Libolo

20 de Abril, 2015

Recreativo de Libolo volta a erguer o trofu da Taa de Angola depois de superar a equipa do Rio Seco na Cidadela

Fotografia: Joo Gomes

A exibição de Olímpio Cipriano levou a equipa de Calulo à conquista da Taça de Angola em basquetebol, no último sábado, no pavilhão principal da Cidadela Desportiva. O “menino bonito” do Recreativo do Lobito deixou a quadra com 23 pontos, como o melhor marcador da partida que terminou em 79-70.

A boa figura dos atletas do Recreativo resulta da postura e dedicação do grupo, onde Carlos Morais voltou a demonstrar o seu estilo único na hora de marcar pontos. No último quarto, o jovem atleta marcou dois triplos decisivos, depois do empate. Com 20 pontos, Carlos Morais foi o segundo melhor cestinha da partida.

As boas exibições de Olímpio Cipriano e de Carlos Morais, dois atletas que vêm de longa ausência nas quadras por lesão, têm uma explicação: “O azeite vem sempre ao de cima e a qualidade deles veio ao de cima”, segundo Norberto Alves.

O técnico realçou que “são jogadores experientes, conhecem muito bem o jogo, sabem como se ganham os jogos e souberam lidar com a frustração de não jogarmos bem nos três primeiros períodos. Pois, o jogo acaba no fim”.

A conquista da Taça de Angola deveu-se à “boa gestão da frustração” nos três primeiros quartos do jogo, de acordo com  Norberto Alves, treinador do Recreativo do Libolo.

Face ao insucesso no início, a equipa de Calulo accionou o plano B no último quarto, como a última alternativa para salvaguardar os objectivos do clube liderado por Rui Campos. O plano B cingia numa estratégia de adaptação de Olímpio Cipriano caso o jogo estivesse a correr mal. Com inteligência, a equipa soltou-se um pouco mais, souberam movimentar a bola no momento certo e felizmente, conseguiram a vitória.

“Quando isso acontece, o mais importante é manter a esperança de que as coisas mudam, acreditar no trabalho e nos jogadores”, disse Norberto Alves.

O técnico ressaltou que a equipa teve planos A e B, porquanto precisavam de ir buscar o jogo e de “um jogador muito agressivo” com a bola na mão, razão que levou Olímpio Cipriano a jogar como primeiro base nos últimos 12 minutos.

MILTON BARROS
VAI A PORTUGAL

O base angolano Milton Barros segue viagem nesta semana para Portugal, para tratar da lesão que o apoquenta desde Março, confirmou o treinador do Recreativo de Calulo.

“Infelizmente, acabou a época para Milton Barros, teve uma ruptura do ligamento cruzado num jogo com o ASA, após uma pancada. Está aqui connosco de corpo e alma, a ajudar-nos a sofrer e merece também muito esta vitória”, disse Norberto Alves.

A conquista da Taça de Angola é também dedicada a Rui Campos, presidente do Clube, por estar sempre com a equipa “nos bons e maus momentos”.
“Queremos dedicar-lhe a taça, pois merece-a muito”, disse Norberto Alves.


TAÇA DE ANGOLA
Jogo da final agrada
 a presidente da FAB

A final da Taça de Angola foi jogada com “todas as características de uma verdadeira final”. A constatação é do presidente da Federação Angolana de Basquetebol, Paulo Madeira, depois da vitória do Recreativo do Libolo por 79-70 sobre o 1º de Agosto, no último sábado, no pavilhão principal da Cidadela Desportiva.

O responsável federativo destacou o último quarto como decisivo e o desfecho foi determinado pelas opções técnico-tácticas e de plantel. “O jogo tornou-se mais interessante do ponto de vista de espectáculo e venceu a equipa que conseguiu ter mais qualidade e precisão no pormenor técnico e nas opções de jogadores”, conforme o dirigente da FAB.

Para Paulo Madeira, a partida começou muito “controlada” tacticamente, mas melhorou o espectáculo na ponta final. 

Depois de o 1º de Agosto dominar os três primeiros quartos, terminado com oito pontos à frente, o Libolo renasceu e transformou a desvantagem em vitória definitiva de nove pontos por “culpa” de Olímpio Cipriano (23 pontos) e Carlos Morais (20) e ainda 19 ressaltos de Eduardo Mingas.


Huíla remarca
“provinciais”


Os campeonatos provinciais de basquetebol em diversos escalões, referente à época desportiva 2015, foram reprogramados para a esta semana, devido a razões administrativas das equipas participantes. Inicialmente previstos para a segunda quinzena do mês de Março, a alteração das datas deve-se à falta de conclusão dos processos de inscrições.

O secretário-geral da Associação Provincial de Basquetebol da Huíla, (APBH), Diogo Rodrigues Gomes, assegurou que os clubes não estão formalizados junto da instituição local e na Federação Angolana de Basquetebol (FAB). Por esse facto, deu-se um tempo mais alargado para concluírem os processos de inscrições. Nesse quadro estão o Clube Desportivo da Huíla, Sporting Clube do Lubango, Clube Recreativo e Desportivo da Chibia e Heja Sport Clube.

O Benfica Petróleo de Lubango não está “totalmente” formalizado, o seu registo junto da associação e na FAB, mas é o único clube da Huíla com processos adiantados, segundo Diogo Rodrigues Gomes.

O responsável associativo apela aos gestores dos clubes a cumprirem com a lei a fim de evitar a ausência da Huíla nos campeonatos nacionais. “As nossas equipas não participam das provas por falta de documentação legalizada, na FAB”, disse.
GAUDÊNCIO HAMELAY- LUBANGO