Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

"Ginguba" aplaude concenso nas eleções

Melo Clemente - 22 de Dezembro, 2016

Técnico Alberto de Carvalho enalteceu a postura dos dois candidatos

Fotografia: Jornal dos Desportos

O antigo seleccionador nacional de basquetebol em seniores masculino, Alberto de Carvalho "Ginguba", mostrou-se satisfeito com entendimento que houve entre os dois candidatos que concorrem para o pleito eleitoral na Federação Angolana de Basquetebol (FAB), para o quadriénio 2016/2020, nomeadamente, Hélder Martins da Cruz, líder da lista A, e Paulo Alexandre Madeira, comandante da lista B.

Para o actual treinador do Progresso Associação do Sambizanga, a postura tomada pelos dois concorrentes, que almejam atingir o cadeirão máximo do órgão reitor da modalidade no país, acaba por reconfortar a família da modalidade, que precisa urgentemente de estar cada vez mais unida em prol da disciplina.

"Os acordos são sempre bem-vindos. Tenho de facto que parabenizar os dois concorrentes pelo facto de terem encontrado um entendimento, porque quem sai a ganhar é a nossa modalidade que continua a granjear prestígio não só a nível do continente africano, mas também a nível mundial", revelou o antigo seleccionador do hendecacampeões africanos. Alberto de Carvalho "Ginguba" considera que um pleito com dois ou três concorrentes acaba por ser melhor, porque no seu entender, os associados têm a oportunidade de escolherem os melhores programas.

"Um pleito eleitoral com dois ou três candidatos penso que é sempre melhor. Os associados diante dos programas que lhes são apresentados, têm a oportunidade de escolher o melhor, para além de que, o espírito de democracia sai mais reforçado", disse o técnico angolano que conseguiu a melhor classificação de Angola em fases finais de Campeonatos do Mundo (nono lugar em 2006, no Campeonato do Mundo do Japão.

Entretanto, o "comandante" do Progresso Associação do Sambizanga lamentou por outro lado, o afastamento do antigo capitão dos hendecacampeões africanos, Carlos Almeida, porque considera que o ex-extremo base da Selecção Nacional poderia ser uma grande valia para o basquetebol angolano.
"De facto é uma pena não podermos contar por enquanto com Carlos Almeida, porque não tenho dúvidas que seria uma mais valia para o nosso basquetebol que precisam de pessoas com o perfil do Carlos.

Mais, infelizmente, a Lei não permite e quando assim acontece, não temos outra saída, senão cumprirmos o que está estipulado quer na Lei do Desporto, quer na lei das Associações Desportivas", finalizou. O entendimento entre os dois concorrentes ao cadeirão máximo da FAB aconteceu na terça-feira, depois de um encontro entre o ministro da Juventude e Desportos, Albino da Conceição, que se faz acompanhar da Secretaria de Estado para o Desporto, Paula Sacramento, para além de alguns funcionários seniores do Ministério da Juventude e Desportos.

Segunda-feira, a Comissão Eleitoral Nacional, presidida por Carlos Manuel dos Santos Teixeira, decidiu suspender o sufrágio que inicialmente estava previsto para hoje, quinta-feira, dia 22. O órgão que tem a missão de cuidar do processo vai fazer sair nos próximos dias o novo calendário eleitoral.
De acordo com a "deliberação" saída do encontro de terça-feira, a Comissão Eleitoral Nacional tem até ao dia 20 de Janeiro de 2017, para concluir com o processo de renovação de mandato na Federação Angolana de Basquetebol.

De salientar que a Comissão Eleitoral Nacional havia decidido "chumbar" a lista A, encabeçada pelo candidato Hélder Martins da Cruz por violação dos artigos 55º pontos 2 e 3, o artigo 16º ponto da Lei do Desporto e o artigo 34º ponto 1 da Lei das Associações Desportivas. O artigo 55º no seu ponto 2 e 3, diz que o exercício de funções de direcção dos órgãos sociais das associações desportivas, obriga o cumprimento integral do que prevê a Lei da Probidade Pública sobre a matéria, com as devidas adaptações.

Para efeitos do número anterior o exercício de funções directivas nos órgãos das associações desportivas é incompatível com exercício de funções de deputado à Assembleia Nacional, desempenho  de funções executivas a nível do Governo, titularidade  do cargo de Presidente do Conselho de Administração de empresa pública, desempenho cumulativo de funções noutras associações desportivas.