Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ginguba considera Libolo difcil

27 de Março, 2017

Alberto Carvallho promete surpresa no final do jogo

Fotografia: M. Machangongo

Os quartos de finais da Taça de Angola em basquetebol reservam jogos aliciantes. Uma das quatro partidas vai opor o Progresso Sambizanga ao Recreativo de Libolo na Cidadela Desportiva. Para o técnico da equipa sambila, Alberto Carvalho “Ginguba”, “é um desafio considerado difícil”.

A dificuldade do jogo, na visão de Ginguba, assenta na boa forma desportiva e competitiva que atravessa a equipa de Calulo. Em 22 jogos nas competições internas, o Recreativo de Libolo obteve igual número de vitórias.

“É um conjunto fortíssimo que não perdeu no BIC Basket e ganhou todos os jogos disputados na presente época. Para o Progresso do Sambizanga, advinha-se uma tarefa tremendamente difícil”, destacou.

Apesar do poderio do Recreativo de Libolo, Alberto de Carvalho é um treinador de “muita fé na conquista de vitórias perante adversários difíceis”, enquanto “houver vida e os jogos não pararem”. A sua equipa ganhou ao Interclube e ao Petro de Luanda para o BIC Basket.

Para chegar aos quartos de finais da Taça de Angola, o Progresso Sambizanga derrotou a Heja Sport Clube de Lubango, nas duas partidas dos oitavos de finais disputados na sexta-feira e sábado no pavilhão Gimnodesportivo do Benfica Petróleos do Lubango por 113-58 e 96-47.

Perante a fragilidade da Heja Sport Clube, foi um eliminatória sem complicação, segundo Alberto de Carvalho. “Temos outro argumento que não tem nada a ver com a Heja Sports Clube do Lubango, que mesmo assim, foram voluntariosos. Não têm competição interna, mas deram luta e obrigaram-nos a correr. Todavia, é salutar esse tipo de competição, porque serve para incentivar mais o desenvolvimento do basquetebol aqui na Huíla. Fizemos o nosso papel”, disse.

Ginguba esclareceu que as diferenças grandes desmotivam as equipas mais fortes. Para contornar o estado psicológico dos atletas, arranjou “um prémio e um objectivo dentro da equipa para os obrigar a correr um pouco mais”. “Está feito o resultado. O objectivo era passar à outra eliminatória. Foi um treino bom e a réplica da Heja obrigou-nos a correr, trabalhar e sermos mais sérios”, disse.

Alberto Carvalho realçou que a disputa dos dois jogos no Lubango tem a ver com “a promoção do basquetebol, trazer a alegria aos jovens e adultos que não assistem ao vivo o melhor de África”.

“É sempre bom trazer a alegria do basquetebol a outras paragens e ajudá-la a desenvolver. A Taça de Angola serve para isso. É um incentivo para o surgimento de equipas noutras províncias”, valorizou.