Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

\"Ginguba\" lamenta ausência dos Sub-16

Melo Clemente - 11 de Julho, 2017

-seleccionador solicita mais apoios aos escalões de formação

Fotografia: kindala Manuel | Edições Novembro

O antigo seleccionador nacional de basquetebol em seniores masculino, Alberto de Carvalho “Ginguba”, lamentou o facto da Selecção Nacional de basquetebol masculino de Sub-16 falhar a fase final do Campeonato Africano das Nações da categoria, vulgo Afrobasket, competição que começa a ser disputada hoje nas Ilhas Maurícias, alegadamente, por falta de verbas.

“Ginguba”, em 2007 conquistou o título africano ao serviço dos hendecacampões africanos,  no ano anterior (2006) conduziu o cinco nacional à melhor classificação de sempre, numa fase final de um Campeonato do Mundo (nono lugar no Japão), considera que Angola acaba de perder a soberana oportunidade de mais uma vez mostrar no continente africano e não só, a qualidade do seu basquetebol a nível dos escalões de formação.

“É extremamente lamentável, o facto da Selecção Nacional não estar presente na fase final do Campeonato Africano das Nações, em Sub-16.
Independentemente das razões que estiveram na base da desistência, entendo que a direcção da Federação angolana de basquetebol podia fazer um esforço suplementar, dadas as dificuldades que o país atravessa, para a colocar a selecção a competir na fase final do Afrobasket das Ilhas Maurícias, competição que arranca amanhã (hoje)”.

Para o actual técnico principal do Progresso Associação do Sambizanga, a geração de jovens atletas perdem a oportunidade de evoluir, dado que competições do género acabam sempre por dar outra rodagem competitiva.

“Não tenho dúvidas que estes jovens ficam com menos hipóteses de evoluir nas suas carreiras. Portanto, os contactos internacionais são sempre importantes, aliás, o sucesso que conseguimos a nível dos seniores, fundamentalmente, nos masculinos, foi sem sombras de dúvidas a aposta que se fez na altura, a nível dos escalões de formação. Portanto, foi a partir de daí, que se construiu este domínio que exercemos hoje a nível do continente africano e não só”, alertou o antigo seleccionador nacional dos hendecacampeões africanos da “bola ao cesto”.

Alberto de Carvalho “Ginguba” considera ainda, que Angola tem uma grande responsabilidade a nível do continente africano, e a desistência acaba por manchar o bom nome de Angola.

“Nós hoje somos uma grande referência, não só a nível do continente africano, quando se fala em matéria de basquetebol. Somos uma Nação que respira basquetebol, porque durante estes anos todos, trabalhos de forma árdua, falo dos treinadores, dirigentes, atletas, o Executivo Angola, enfim, a sociedade de uma maneira geral. Creio que esta desistência  acaba por manchar o prestígio que conseguimos durante estes 25, 30 anos”, finalizou Alberto de Carvalho “Ginguba” que com José Carlos Guimarães e Artur Casimiro Barros fizeram história no Campeonato do Mundo de 2006, prova disputada no país do sol nascente (Japão).

 O Campeonato Africano das Nações, das Ilhas Maurícias, vai apurar os dois primeiros classificados para o Campeonato do Mundo de Sub-17, prova agendada para Argentina, em 2018.

Depois de quatro presenças consecutivas, designadamente, Moçambique-Maputo/2009, Egipto-Cairo/2011, Madagáscar/2013 e Mali-Bamako/2015, Angola falha a quinta presença.

Sob liderança de Manuel Silva “Gi”, a Selecção Nacional de Sub-16 na classe masculina conquistou o seu primeiro título africano da categoria, em 2013.

Com a desistência de Angola, a competição fica reduzida a nove selecções, nomeadamente, Ilhas Maurícias, país organizador, Argélia, Egipto, Ghana, Madagáscar, Mali, Moçambique Rwanda e Tunísia.


Adulteração de idades
Henriques Albano está desapontado


O presidente de direcção da Associação Provincial de Basquetebol da Huíla, Henriques Albano, instou ontem no Lubango a tomada de medidas punitivas para os prevaricadores que influenciaram os dois atletas da Selecção Nacional masculina de Sub-16, a adulterarem as idades.

Henriques Albano considerou uma “situação grave”, Angola não participa no Campeonato Africano das Nações da modalidade que arranca hoje nas Ilhas Maurícias, por tratar-se de uma prova selectiva ao Campeonato do Mundo de Sub-17 da Argentina, aprazada para 2018, além de tirar a possibilidade de estar futuramente em outros eventos internacionais. “Em relação a adulteração de idades, é uma situação triste. Mais uma vez está aqui patente um aspecto de desorganização. Não é possível que nós adulteremos idade de um atleta para participar num campeonato africano. Temos de ganhar com dignidade e com honra. Podemos também perder com honra e dignidade, mas não a falsificar  idades de atletas.
Isto, mancha internacionalmente o país”, lamentou.

O dirigente desportivo desapontado, disse que quando uma selecção nacional tem estes problemas, “nos questionamos de como está o basquetebol a nível nacional”.  Argumentou que a nível da província da Huíla, a Associação “bate-se” para que os treinadores e dirigentes dos clubes não pautem pela via de adulteração de idades para o bem do desenvolvimento da modalidade.

Henriques Albano lembrou que várias vezes alertou que quando vão aos campeonatos nacionais, “vimos diferença de idade em relação às equipas das provinciais e às da capital do país”.

Em declarações ao Jornal dos Desportos, afirmou que as equipas das províncias são sempre constituídas por atletas menores, comparativamente com as formações de Luanda. O presidente da Associação de Basquetebol da Huíla, salientou que Angola é um país que está no pódio do basquetebol africano, e quando os atletas dos escalões de formação começam a pautar pela falsificação de idades, não é bom.

  “Isto para nós é muito triste, quando acontece. Infelizmente, acreditamos que há que melhorar esta organização em termos de preparação de selecções, porque preparar uma selecção não é de um momento para o outro. Leva tempo. E, para nós, é muito triste porque Angola é um país de destaque a nível internacional no basquetebol. Não só a nível africano, mas também  mundial”, fundamentou.
Gaudêncio Hamelay - Lubango.


NBA
Ball contrai lesão


Os Los Angeles Lakers informaram que Lonzo Ball não vaiactuar diante do Sacramento Kings. Segundo a franquia californiana, Ball sofreu uma lesão na região da virilha na semana passada, e os Lakers decidiram poupar o jogador.

Os Lakers não querem que a  esperança de dias melhores agravem a lesão e percam mais jogos, que pode comprometer a preparação para a temporada regular da NBA.

O confronto com os Kings era um dos mais aguardados. Lonzo Ball ia enfrentar D’Aaron Fox, quinta escolha do draft. Os dois  enfrentaram-se no torneio universitário e Fox anulou completamente Ball.

Markelle Fultz, a primeira escolha do draft de 2017, sofreu uma lesão no tornozelo e não deve mais jogar pelos 76ers até ao começo da pré-temporada. Lonzo Ball ainda deve defender os Lakers na Liga de Verão, já que a lesão não é das mais sérias.