Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Herlânder lamenta afastamento de Yanick

Melo Clemente - 26 de Outubro, 2016

Fraco desempenho do jovem jogador na pré-temporada contribuiu para o seu afastamento

Fotografia: AFP

O ex-capitão da Selecção Nacional de basquetebol em seniores masculino, Herlânder Coimbra, lamentou o afastamento do poste Yanick Moreira, atleta que procurava ingressar na Liga Norte Americana da "bola ao cesto" (NBA), pela via da formação do Toronto Raptors, visando a época desportiva 2016/2017.

Depois de ter cumprido a pré-temporada com a equipa do Canadá, o internacional angolano, Yanick Moreira, 25 anos de idade, dois metros e onze centímetros de altura, viu gorado o sonho de ingressar na melhor liga de basquetebol do mundo ( NBA).

O antigo poste do Múrcia de Espanha não conseguiu convencer a equipa técnica do Toronto Raptors, comandada pelo técnico Dwane Casey, durante a pré-época, onde em sete partidas actuou apenas num jogo.

Yanick Moreira que brilhou ao serviço da Selecção Nacional de basquetebol em seniores, no Campeonato do Mundo de Espanha, em 2014, foi utilizado pelo técnico Dwane Casey durante cinco minutos, tendo capturado dois ressaltos, sendo um defensivo e outro ofensivo.

Em declarações ontem ao Jornal dos Desportos, o antigo capitão da Selecção Nacional, Herlânder Coimbra, lamentou o afastamento do jovem jogador, tendo afirmando por outro lado, "que é importante que o Yanick Moreira mantenha os índices motivacionais para encarar outros desafios  num futuro próximo, e tentar novamente o ingresso na NBA".

 "Infelizmente, é uma situação que entristece os angolanos de uma maneira geral,  em particular os amantes do basquetebol. Havia grande expectativa no seio da família do basquetebol, o afastamento é de todo lamentável, por um lado. Era quase impossível o Yanick Moreira ficar entre os 15, porque durante a pré-temporada não esteve bem, ou seja, das sete partidas que a equipa fez, o jogador foi utilizado numa partida, em que jogou cinco minutos.

Agora, é importante que Yanick tenha motivação suficiente para encarar outros desafios, provavelmente, a nível do velho continente", alertou  o antigo triplista da Selecção Nacional, hoje comentarista da Rádio Cinco, canal desportivo da Rádio Difusão Pública.Para Herlânder Coimbra é imperioso que o internacional angolano trabalhe de forma árdua, a fim de corrigir eventuais debilidades, para que num futuro próximo o atleta  concretize o seu sonho de ingressar na NBA.

"O Yanick Moreira tem de trabalhar no que são as suas debilidades, ou seja, no que lhe disseram para corrigir, a fim de melhorar o desempenho. Temos exemplos no mundo de jogadores que se fizeram a nível da Europa, e ingressaram posteriormente na NBA, refiro-me por exemplo, o norte-americano Mario Lile, antigo companheiro de Jean Jacques e José Carlos Guimarães.  Penso que o Yanick é novo e se trabalhar de forma árdua como tem feito até aqui, pode perfeitamente ingressar um dia na NBA", augurou o comentarista para o basquetebol da Rádio Cinco.

Entretanto, o internacional angolano foi batido na concorrência pelo norte-americano Fred Van Vleet, base, de 22 anos de idade, que a par de outros três companheiros, disputavam o 15º lugar do plantel do Toronto Raptors. 

No plantel da formação do Toronto Raptors, para a época desportiva 2016/2017 a destacar  ainda a presença do camaronês Pascal Siakam. 
Gerson Monteiro foi o primeiro jogador angolano que tentou a maior Liga do Mundo, isto em 2004, por via dos San Antonio Spurs, depois de realizar uma campanha sensacional nos Jogos Olímpicos de Atenas, ao serviço do Selecção Nacional.Ainda no mesmo ano, isto é em 2004, mais um atleta angolano tentou a sorte na formação dos Dallas Mavericks, trata-se de Víctor Muzadi.

O extremo base Olímpio Cipriano também tentou a "aventura", por via da formação dos Detroit Pistons, ao passo que Carlos Morais, atleta que se transferiu este ano para o basquetebol português (Sport Lisboa e Benfica), tentou sem sucesso o ingresso na NBA, curiosamente, pela equipa do Toronto Raptors, em 2015.


BRASIL
Flamengo vence Vasco


As equipas do Flamengo e do Vasco da Gama enfrentaram-se na segunda-feira, no primeiro de três jogos, da final do Campeonato Carioca de basquetebol. O rubro-negro  levou à melhor sobre o Cruz- Maltino, em duelo de extremo equilíbrio, venceu por 89-87,  jogo realizado no Ginásio Hélio Maurício, na Gávea.

A partida realizou-se à porta fechada. Isto, porque o Flamengo recebeu punição do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD-RJ), após despique entre adeptos rubro -negros  num clássico contra o Vasco, no início do mês, ao que foi proibido  disponibilizar ingressos. Momentos antes do jogo, a direcção do clube conseguiu um efeito suspensivo, mas optou por manter os portões fechados por haver pouco tempo hábil para a realização de um duelo com segurança no Ginásio da Gávea.

Só com os gritos nos bancos de reservas a preencher o som no ginásio com bancadas vazias, a partida iniciou com um primeiro quarto equilibradíssimo, com as duas equipas a disputar ponto a ponto a vantagem no placar. Mesmo no decorrer dos minutos, o duelo foi igual, com destaque para as bolas de três de Nezinho e Hélio pelo lado do Vasco e o protagonismo de Marcelinho e JP Batista no Flamengo.

Após um grande equilíbrio no início do jogo, o segundo quarto regressou com superioridade do Flamengo. Com erros ofensivos do Vasco, além de diversas faltas cometidas, o Flamengo abriu a maior vantagem da partida até então, com 39-33 no placar.

NBA
Toronto Raptors
prolonga contratos


Os brasileiros Bruno Caboclo e Lucas “Bebê” Nogueira tiveram os contratos prolongados pelo Toronto Raptors. A equipa do Canadá exerceu a opção disponível nos vínculos de caloiros dos dois jogadores, e optaram pela renovação por mais um ano,  agora com acordo até o fim da temporada 2017-18. Além deles, o clube anunciou a manutenção do base Delon Wright pelo terceiro ano.

Seleccionado pelo Toronto Raptors, na 20ª posição do Draft de 2014, o extremo Bruno Caboclo  de 21 anos actua mais na liga de desenvolvimento norte-americana do que na NBA.

Na “D-League”, a actuar pelos Raptors 905, o brasileiro tem média de 14.7 pontos, e 6.5 ressaltos em 37 jogos disputados, com 35 como titular. Na equipa principal, o jogador conta com seis aparições.

No que toca a Lucas Bebê foi seleccionado pelo Boston Celtics, na 16ª posição do Draft de 2013.
O poste de 24 anos, porém, transferiu-se no ano seguinte para o Toronto Raptors e tem a vida como a do seu compatriota. Apesar de ter mais aparições na equipa principal (29 jogos), o brasileiro  figura no banco de reservas, possui médias de 2,2 pontos e 1,6 ressaltos por jogo em 7,8 minutos.

Com contratos renovados, os atletas esperam  mais minutos na quadra, na temporada 2016-17 da NBA que se inicia na terça-feira. A estreia do Toronto Raptors acontece na quarta-feira, quando recebe o Detroit Pistons, no Air Canada Center.