Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Hino ao campeo

Melo Clemente - 07 de Junho, 2018

Equipa rubro e negra teve o melhor ataque da temporada 2017/2018

Fotografia: Dombele Bernardo | Edies Novembro

Com quatro mil seiscentos e oitenta e cinco (4685) pontos marcados e três mil quatro cento e vinte e sete (3427) pontos sofridos, a formação do 1º de Agosto conquistou o título da 40ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos, vulgo Unitel Basket, ao superar no play off da final, a melhor de sete, o arqui-rival, Atlético Petróleos de Luanda, por 4-1, elevando para dezanove (19), o número de troféus na sua rica galeria.

Depois de ter perdido o “caneco” na temporada transacta, a favor do Recreativo do Libolo do Cuanza-Sul, conjunto que cedeu os seus direitos desportivos ao Sport Libolo e Benfica, o Clube Central das Forças Armadas Angolanas, sob batuta do técnico angolano, Paulo Macedo, arrasou praticamente a concorrência, conquistando de forma meritória o título da 40ª edição do Unitel Basket, competição que contou com a participação de dez formações.

Em quarenta e seis (46) jogos disputados na época desportiva 2017/2018 do Unitel Basket, a equipa militar somou nada mais, nada menos, do que quarenta e três (43) triunfos, tendo consentido apenas três derrotas.

Mais do que conquistar o título, pela décima nona vez, sendo por isso, o grande papão da aludida competição, seguido pelo arqui-rival, com 12, os militares bateram ainda o recorde de pontos.

Em 46 partidas disputadas, a equipa rubro e negra marcou quatro mil seiscentos e oitenta e cinco (4685) pontos, o que representa uma média de 101, 8 pontos por cada desafio, sendo por isso, o melhor ataque da competição que teve o seu epílogo na passada terça-feira, quando venceu no seu reduto (Pavilhão Victorino Cunha), os petrolíferos da capital, no quinto jogo do play off da final, por 101-82.

Se ponto de vista ofensivo, os militares estiveram simplesmente impecáveis, com uma média de 101, 8 pontos por cada desafio, o mesmo já não se pode dizer no capítulo defensivo, onde, em 46 jogos, sofreram três mil quatrocentos e vinte sete pontos, obtendo uma média de 74, 5 pontos sofridos por cada partida.

Aliás, os números acima referenciados, atestam perfeitamente o domínio avassalador do Clube Central das Forças Armadas Angolanas, que “vulgarizou” os seus adversários com toda a naturalidade.

Os seus principais concorrentes, estiveram muito aquém das performances por si alcançadas ao longo de toda a temporada.

A formação do Atlético Petróleos de Luanda terminou a 40ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos (Unitel Basket), com trinta e cinco (35) triunfos e onze (11) derrotas, ao passo que o Sport Libolo e Benfica, conjunto que fez a sua estreia na prova, conseguiu vinte e nove (29) vitórias, tendo averbado treze (13) desaires.

A equipa tricolor marcou quatro mil cento e treze (4113) pontos, estabelecendo uma média de 89, 4 pontos por desafio, tendo sofrido três mil trezentos e sessenta e nove (3369) pontos, o que representa uma média de 73, 2 pontos por cada encontro.

Por seu lado, o Sport Libolo e Benfica, que terminou a prova com 42 jogos disputados, marcou três mil setecentos e sessenta (3760) pontos, o que representa uma média de 89, 5, tendo sofrido três mil cento e sessenta e quatro (3164) pontos, conseguindo uma média de 75, 3 pontos sofridos por cada desafio.

 

DOMÍNIO SOBRE RIVAl

As formações do 1º do Agosto e do Atlético Petróleos de Luanda proporcionaram, na recém terminada temporada, nada mais, nada menos, do que catorze (14) clássicos, sendo um deles disputado em solo moçambicano.

Os militares fizeram jus ao plantel de luxo que ostentam, onde pontificam nomes como Armando Costa, Hermenegildo Santos, Emanuel Quezada, Islando Manuel, Edson Ndoniema, Eduardo Mingas, Jone Pedro, Leandro da Conceição, Mohamed Malick Cissé, Carlos Cabral, Mutu Fonseca, dentre outros, e conseguiram vergar os arqui-rivais por doze ocasiões, tendo perdido apenas dois encontros, num feito jamais verificado na história do basquetebol nacional, entre os dois colossos do basquetebol nacional e africano.

No Unitel Basket, os militares venceram por 103-100, 103-89, 88-82, 89-77, 87-73, 101-89 e 101-82, ao passo que os tricolores derrotaram os rubro e negro, por 100-99.  No torneio Vitorino Cunha, o Clube Central das Forças Armadas Angolanas venceu os petrolíferos da capital, por 81-70 e no torneio de Maputo, Moçambique, novo triunfo da equipa do Rio Seco, desta por 82-53. 

Já no torneio da Fesa, a equipa tricolor venceu por 87-77, ao passo que na Taça de Angola, os militares passearam classe com dois triunfos: 88-82 e 91-76, respectivamente.

No play off da final, os militares venceram os dois primeiros encontros por 87-73 e  94-78, tendo perdido o terceiro desafio, por 90-100. Depois, a equipa militar venceu os outros dois por 101-89 e 101-82.

O Grupo Desportivo Interclube foi outra agremiação, que teve a ousadia de alvejar o quartel-general dos militares, sob comando do técnico Manuel Sousa “Necas”, assim como o Sport Libolo e Benfica.