Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Jean Jacques imortalizado

António Ferreira, em Genebra - 20 de Junho, 2013

Jean Jacques da Conceição é o expoente máximo da bola ao cesto do país que teve uma geração de ouro na dêcada de oitenta

Fotografia: Francisco Bernardo

Os basquetebolistas angolanos dominam a lista de personalidades inscritas nos painéis de participação nos Campeonatos do Mundo da Federação Internacional de Basquetebol Amador (FIBA), cuja nova sede foi ontem inaugurada, por ocasião das celebrações do seu 81º aniversário e da quarta edição do Salão da Fama. Jean Jacques, José Carlos Guimarães, Zézé Assis, Aníbal Moreira, Necas, Paulo Macedo, Artur Barros, Herlânder Coimbra, Ângelo Victoriano, David Dias, Nelson Sardinha, Honorato Trosso, Ivo Alfredo, Josué Campos, Justino Victoriano, Belarmino Chipongue, Buila Katiavala, Baduna, Victor Carvalho, são alguns dos muitos angolanos que os milhões de visitantes têm oportunidade de acompanhar a sua trajectória e vida desportiva.

A geração dos anos oitenta, também consta dos painéis, nomeadamente Miguel Lutonda, Olímpio Cipriano, Carlos Morais, Carlos Almeida, Joaquim Gomes “Kikas”, Zé Escorrega, Walter Costa, Eduardo Mingas, Abdel Bouckar, Milton Barros, Armando Costa, Domingos Bonifácio, Gerson Monteiro, entre outros. De resto, Angola surge nesta nova Casa da FIBA, como a primeira referência de África e a décima do mundo, o que se traduz em termos práticos numa grande propaganda da nossa Nação.

E, tudo isso, ganhou deste ontem, quarta-feira, outra dimensão e estatuto, com o lugar eterno de Jean Jacques Nzadi Conceição, no Museu da Fama, cuja galeria de honra integra apenas mais um africano, o ex-presidente da FIBA-Africa e Mundo, o senegalês Abdoulaye Seye Moreau, a perfazer dois.

No que tange a nova sede, mais de 400 convidados – de salientar representantes de todas as federações nacionais membros da FIBA – assistiram ao acto com destaque para Ueli Maurer, presidente da Confederação Helvética, de Jacques Rogge, presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), do presidente da instituição, o francês Yvan Mainini, bem como do ex-secretário-geral, Borislav Stanvokic.

A nova sede da FIBA, um edifício de raiz e na forma de uma mão, representa uma das principais partes do corpo usadas para jogar o basquetebol, bem como um símbolo do espírito de equipa e união. A sua estrutura de aço reminiscência em forma de uma rede, representa todas as federações nacionais. Uma sede de fazer inveja, com a tecnologia a converter-se no seu maior ganho, ocupa um espaço de 8.500 metros quadrados de terra., 6.250 metros quadrados de área utilizável, gerou 120 postos de trabalho, tem 3.000 metros quadrados de janelas de vidro, 300 metros quadrados de painéis solares que cobrem o telhado do edifício, quadra para jogos de 3x3, salas de conferências super-equipas e um piso no subsolo para exposições, inclui o Museu da Fama.

Mais de 40.000 objectos que representam a história e a cultura do basquetebol doados pela Fundação Pedro Ferrandiz, fazem agora parte do acervo da FIBA, que  conta igualmente com mais de 7.000 livros em mais de 20 línguas, cujo custo total ficou orçado em 35 milhões de francos suíços.

Acordo com a federação angolana
São Tomé e Príncipe quer cooperar


As federações nacionais de Angola e de São Tomé e Princípe vão rubricar nos próximos dias um acordo de cooperação nas áreas da formação de treinadores, recursos humanos e intercâmbio de selecções, acto que visa melhorar e estreitar as relações existentes entre os dois países no domínio desportivo.  A intenção foi manifestada pelo presidente da Federação Santomense de Basquetebol (FSTB), Guilherme Neto, aquando da sua chegada a esta localidade para participar no Salão da Fama.

 “São Tomé e Príncipe e Angola têm relações de longa data e nós a nível do basquetebol não podemos fugir a isso, até porque Angola é a potência número 1 da modalidade em África e um futuro permitirá relançar e melhorar os nossos níveis nas suas mais variadas vertentes. Vou aproveitar a presença do presidente Paulo Madeira para avaliarmos as possibilidades de um acordo”, disse o presidente da FSTB. A cooperação entre as duas federações, na óptica do nosso interlocutor, passa pelo intercâmbio regulares de selecções dos escalões jovens, da formação de treinadores e recursos humanos, troca de experiências e de documentação técnica para potenciar as áreas técnica e de competição.

 “É uma ideia que vamos amadurecer e tornar realidade. Temos todo o interesse e vamos agir em conformidade para incrementarmos o acordo de cooperação, até porque temos muito a ganhar com Angola a nível do basquetebol e cujas credenciais estão à vista de todos. Angola tem bons treinadores e concomitantemente, boas equipas, atletas e recursos humanos que a seu tempo vai ajudar-nos  a dar os passos necessários para que o São Tomé e Príncipe consiga rapidamente atingir um nível satisfatório de rendimento nas diferentes provas africanas em que competir”.
António Ferreira, Genebra

Jean -Jacques
“Obrigado Angola”

“ Obrigado meus concidadãos por tudo o que fizeram por mim. Agradeço ao Governo, aos treinadores, colegas, jornalistas e em particular à minha família”. Assim começou Jean-Jacques o discurso que marcou definitivamente a sua entrada para o Museu da Fama, tornando-se no primeiro basquetebolista angolano e africano a ser entronizado pela Federação Internacional de Basquetebol Amador (FIBA).

O antigo internacional  foi o primeiro a subir ao palco, para receber das mãos do presidente da FIBA, o frances Yvan Mainini, o quadro que simboliza a sua entrada para o grupo muito restrito de personalidades que, pelos seus feitos, empenho e dedicação, marcaram uma era no basquetebol mundial.A testemunhar a homenagem em representação do embaixador de Angola na Suiça, Osvaldo Varela, o diplomata Cláudio Martins disse que foi uma honra para Angola e para África “a entrada de Jean-Jacques para o Museu da Fama”.

A cerimónia fez reviver os melhores momentos da trajectória do basquetebol mundial, com atletas que marcaram uma era, a recordarem com emoção o contributo dado à modalidade. Teresa Edwards, Pat Summitt, Paula da Silva, John Donohue, Andrew Gaze, Valentin LAzarov, Costas Rigas, David Robinson, Cesare Rubini, Zoran Slavnic e Aldo Vitale foram as outras 11 figuras que viram reconhecidos os seus feitos. A Federação Angolana de Basquetebol (FAB), na pessoa do seu presidente Paulo Madeira, fez a entrega de parte do acervo da instituição aos responsáveis do Museu da Fama.

NBA
Miami e Spurs
em dia de decisão


Empatadas  em  termos de vitórias (três para cada lado), as equipas do Miami Spurs voltam a  defrontar-se  na madruga de hoje, em Miami, em partida para a decisão do título da NBA. Entretanto, os Miami Heat salvaram-se na madrugada de quarta-feira "in-extremis" de ceder o troféu da NBA aos San Antonio Spurs, ao venceram, em casa,  por 103-100, após prolongamento, no jogo 6 que esteve "perdido". Ray Allen salvou o Heat.A formação texana teve tudo para resolver o encontro no tempo regulamentar, mas, com cinco pontos de avanço a 28,2 segundos do fim (89-94), deixou-se empatar (95-95).