Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Justo campeão!

26 de Maio, 2017

A formação do Recreativo do Libolo conquistou o seu terceiro título nacional, ao derrotar ontem, no Pavilhão Principal da Cidadela, o Atlético Petróleos de Luanda, por 87-96, após prolongamento, na quarta partida do play-off da final da 39ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos, vulgo BIC, à melhor de sete. Com este triunfo, os libolenses que destronaram o 1º de Agosto, fecharam a série em (4-0).

A partida ficou marcada sem sombras de dúvidas com a ajuda dos oficiais de mesa que pararam o cronómetro, enquanto o jogo decorria, tendo permitido a equipa do Atlético Petróleos de Luanda igualar a marcha do marcador a 85 pontos, forçando deste modo, o prolongamento.

Bem apoiada pela sua claque que marcou presença em número considerável (cerca de nove centenas), a formação do Recreativo do Libolo entrou melhor na partida, ao contrário do Atlético Petróleos de Luanda que se mostrava bastante precipitado, fundamentalmente, nas acções ofensivas, onde perdia sistematicamente os ataques. O norte-americano ao serviço da equipa do Cuanza Sul, Andre Harris, teve o privilégio de inaugurar o placar, com dois lançamentos livres, depois de sofrer uma falta em acto de lançamento.

Os libolenses conseguiram um parcial de 0-5, quando restavam dez minutos e 51 segundos para o fim do quarto inicial. O inevitável Reggie Moore, tratou de reduzir a vantagem dos forasteiros (2-5). A partir daí, o equilíbrio passou a prevalecer no desafio, apesar do Libolo estar sempre à frente da marcha do marcador. Nesta fase de jogo, os petrolíferos da capital privilegiavam o jogo exterior, ao passo que o seu opositor apostava mais no jogo interior, onde tirava sempre vantagem.

Com o Libolo a vencer por 23-14, Lazare Adingono, camaronês ao serviço da equipa tricolor viu-se obrigado a solicitar um desconto de tempo. A equipa visitante saiu a vencer por 20-26. As duas equipas baixaram de rendimento no arranque do segundo quarto e, quando restavam quatro minutos para o intervalo maior, o Libolo tinha marcado apenas dez pontos, contra nove do Petro.

Entretanto,  nos derradeiros  minutos, quer os libolenses, quer os tricolores  \\\"acordaram\\\" e voltaram a exibir-se com alguma qualidade. E para não variar, a turma de Calulo venceu no parcial, por 22-23, perfazendo 42-49, ao cabo dos primeiros 24 minutos, à favor da equipa visitante que entrou para a quadra no sentido de resolver a eliminatória.

O Libolo foi mais assertivo nos lançamentos à longa distância. Dos 16 tentados, converteu sete, obtendo 44 por cento, contra 22 por cento (4/18) da turma tricolor. O Petro superiorizou-se nos lançamentos à curta distância (13/19), o que representava 68 por cento, 56 por cento dos forasteiros  (10/18).

O Pavilhão Principal da Cidadela conheceu uma grande ovação quando os petrolíferos da  assumiram a liderança do placar pela primeira vez (64-63), após um lançamento exterior protagonizado pelo internacional angolano, Gerson Gonçalves \\\"Lukeny\\\". Faltavam três minutos e 15 segundos para o termo do terceiro quarto.

O libolo precisou apenas de um minuto e 57 segundos para tomar de assalto a liderança do marcador (65-67). A turma do Eixo-viário venceu no parcial por 23-18.O derradeiro quarto começou à feição para a equipa visitada que voltou a assumir a marcha do marcador, depois de um lançamento exterior efectuado pelo poste, Hermenegildo Mbunga (70-67).

Com uma vantagem de sete pontos (76-69), quando restavam pouco menos de quatro minutos, a equipa tricolor deixou-se ultrapassar (77-82), tendo contado com a ajuda da mesa para poder chegar à igualdade a 85 pontos. Nesta fase os jogadores do Petro protagonizam cenas de pugilato, ante o olhar sereno do trio de arbitragem, constituído por Francisco Tandu, Osvaldo Neto e Francisco Pacheco.

No prolongamento, a equipa do Libolo voltou a mostrar classe, tendo vencido por 96-87. Jackel Foster,  do Libolo, com 17 pontos, foi o cestinha da partida, seguido de Leonel Paulo, do Petro, com 16 pontos.

Cipriano substitui
base Gildo Santos


O internacional angolano, Olímpio Cipriano, extremo base do Libolo, conquistou o troféu de MVP (Jogador Mais Validoso) da 39ª edição do Campeonato Nacional de Basquetebol em seniores masculinos ((BIC Basket). Cipriano substitui Gildo Santos, vencedor da edição passada. O poste do Atlético Petróleos de Luanda, Hermenegildo Mbunga, foi distinguido com troféu de fair-play, ao passo que Hugo López (Libolo) foi considerado o treinador do ano.

O norte-americano do Libolo, Jackel Foster, foi o melhor assistente, enquanto o seu colega de equipa, Eduardo Mingas, foi o rei das tabelas.
Cipriano foi melhor nos lançamentos livres, enquanto Leonel Paulo destacou-se nos dois pontos. Cipriano foi ainda o melhor triplista. Quezada foi o artilheiro da prova.

FEITO
Comandados de Hugo López arrasam concorrentes

Contra todas as expectativas, o técnico espanhol ao serviço do Recreativo do Libolo, Hugo López, chegou, viu e venceu no basquetebol angolano e não só, arrasando sem apelo nem agravo, os seus principais concorrentes na temporada 2016/2017. Apesar de ser o seu ano de estreia, a nível do basquetebol doméstico, Hugo López que substituiu no comando técnico dos libolenses, o português, Norberto Alves, conseguiu conquistar todas as provas em que esteve envolvido, isto a nível doméstico, estabelecendo um recorde pessoal e para o grémio de Calulo.

Depois de ter conquistado o torneio Victorino Cunha, prova que visa saudar a figura do antigo seleccionador nacional dos hendecacampeões africanos, considerado um dos precursores da modalidade, Hugo López venceu de forma brilhante o zonal de apuramento à fase final da Taça dos Clubes Campeões Africanos de basquetebol em seniores masculinos  superando com toda a naturalidade os seus principais concorrentes, nomeadamente, 1º de Agosto e Atlético Petróleos de Luanda, respectivamente.

Na fase final da Taça dos Clubes Campeões Africanos da \\\"bola ao cesto\\\", prova disputada no Egipto, o combinado angolano, perdeu na final para a formação local do Al Ahy, por escasso um ponto de diferença (72-71). Regressado ao país, formação do Recreativo do Libolo acabou por engordar a sua galeria, com mais quatro troféus, designadamente, Supertaça Wlademiro Romero, Taça de Angola e ontem, arrebatou o tão cobiçado título da 39ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos, vulgo BIC Basket.

Mais do que os troféus conquistados, a formação do Recreativo do Libolo nas cinco provas em que esteve envolvida aqui no país, nomeadamente, zonal de apuramento à fase final da Taça dos  Clubes Campeões Africanos, torneio Victorino Cunha, Supertaça Wlademiro Romero, Taça de Angola e BIC Basket, efectuando por isso, mais de 44 partidas, os comandados de Hugo López averbaram apenas dois desaires, curiosamente, para o 1º de Agosto, sendo uma para o Campeonato Nacional e outra para a Taça de Angola.

Entretanto, Eduardo Mingas, Olímpio Cipriano, Milton Barros, Vadelício Joaquim, Roberto Fortes, Benvindo Quimbamba, Elmer Félix, Jackel Foster e Andre Harris, estes dois últimos norte-americanos, foram sem sombras de dúvidas os principais responsáveis do sucesso que o grémio do Cuanza Sul colheu na temporada desportiva 2016/2017.
M.C

Palmarés:
Grémio de Calulo
engorda sua galeria


Ao derrotar ontem, o Atlético Petróleos de Luanda, no Pavilhão Principal da Cidadela, na quarta partida do play-off da final da 39ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos (BIC Basket), a equipa do Recreativo do Libolo arrebatou o seu terceiro título nacional, depois das conquistas de 2012 e 2014.

1979 - Clube Ferroviário de Luanda
1980 - Desportivo da Taag
1981 - 1º de Agosto
1982 - Sporting de Luanda
1983 - 1º de Agosto
1984 - Sporting de Luanda
1985 - 1º de Agosto
1986 - 1º de Agosto
1987 - 1º de Agosto
1988 - 1º de Agosto
1989 - Petro de Luanda
1990 - Petro de Luanda
1991 - 1º de Agosto
1992 - Petro de Luanda
1993 - Petro de Luanda
1994 - Petro de Luanda
1995 - Petro de Luanda
1996 - Atlético Sport Aviação
1997 - Atlético Sport Aviação
1998 - Petro de Luanda
1999 - Petro de Luanda
2000 - 1º de Agosto
2001 - 1º de Agosto
2002 - 1º de Agosto
2003 - 1º de Agosto
2004 - 1º de Agosto
2005 - 1º de Agosto
2006 - Petro de Luanda
2007 - Petro de Luanda
2008 - 1º de Agosto
2009 - 1º de Agosto
2010 - 1º de Agosto
2011 - Petro de Luanda
2012 - Recreativo do Libolo
2013 - 1º de Agosto.
2014- Libolo   
2015- Petro de Luanda
2016 - 1º Agosto
2017- Libolo

FICHA TÉCNICA

Pavilhão:
Principal da Cidadela
Comissário: Soares Campos
Arbitragem: Francisco Tandu, Osvaldo Neto e Francisco
Pacheco

Petro:  Childe Dundão ( 4 ), Pedro Bastos ( 14 ), Erickson Silva (3  ), Zola Paulo ( 0 ), Jossue Ebondo ( 0 ), Teotónio Dó ( 5 ), Leonel Paulo ( 16), Domingos Bonifácio (11), Hermenegildo Mbunga ( 5 ), Joaquim Pedro (  0), Gerson Gonçalves \\\"Lukeny\\\" (14  ), Reggie Moore ( 15).
Treinador: Lazare Adingono

Libolo:
Francisco Sousa ( 2 ), Olímpio Cipriano ( 12 ), Andre Harris ( 10 ), Elmer Félix ( 2), Jackel Foster ( 17), Valdelicio Joaquim (11  ), Jorge Tati ( 0 ), Eduardo Mingas ( 12 ), Josseny Joaquim ( 0 ), Benvindo Quimbamba (14  ), Milton Barros ( 12).
Treinador: Hugo López

Marcha do marcador:
20-26, 42-49, 65-67, 85-85, 87-96