Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Knicks reencontra o rumo de vitórias

22 de Novembro, 2016

Carmelo Anthony, algo que deveria ser de Derrick Rose,

Fotografia: Jornal dos Desportos

O New York Knicks venceu ontem o Atlanta Hawks em casa por 104-94 para chegar muito próximo de ''zerar a campanha'' nesta época 2016/2017 da NBA. Agora com 6 vitórias em 13 jogos, a equipa da Big Apple pode ter o mesmo número de vitórias e derrotas hoje, quando enfrentar também, no Madison Square Garden, o Portland Trail Blazers.

Como quase sempre acontece, Carmelo Anthony foi o cestinha da partida com 31 pontos, mas a melhor notícia para o Knicks neste início atende mesmo pelo nome de Kristaps Porzingis. O letão de 21 anos anotou 19 pontos e 11 ressaltos (31 minutos) e na época tem as médias de 20,3 pontos (quase 50 por cento a mais que os 14 do seu campeonato passado, o de calouro), 6,8 ressaltos e 49 por cento de conversão nos arremessos de quadra.

A confiança do rapaz é tão grande que parece muito tranquilo para assumir a alcunha de ''par-perfeito'' de Carmelo Anthony, algo que deveria ser de Derrick Rose, que não tem ido mal (15,8 pontos e 4,6 assistências por partida), mas que cada vez mais recai nos braços, ou nos ombros, do camisa 6. Sobre Porzingis, há alguns dados interessantes. Nas 13 partidas de 2016/2017, em apenas uma teve menos de 14 pontos (o jogo contra o Houston).

Em todas, com excepção deste duelo contra o Rockets, arriscou pelo menos duas vezes de fora. Isso é uma grande diferença em relação a 2015/2016. Antes rematou 3,4 vezes por jogo de fora, o extremo-poste agora não se intimida e arremessa em 5,4 oportunidades da linha de três pontos. E com a conversão mais alta em relação ao campeonato passado (33 por cento contra 40 por cento).

Está cada vez mais claro que o (bom) futuro da equipa passa mesmo pela evolução do rapaz. No jogo contra o Pistons, quando fez 35 pontos, a maior marca dea sua carreira, e apanhou 7 ressaltos, o sorriso de Phil Jackson, o técnico que o seleccionou na primeira ronda contra todas as probabilidades (e todas as vaias também…), apareceu.

Outro ponto interessante é que devido a condição física cada vez menos inspiradora do titular Joakim Noah (não jogou) o letão de 2,21m tem jogado cada vez mais na posição de poste. Nem sempre é bom pelo lado defensivo, pois Porzingis não é o melhor marcador de gigantes atléticos do mundo, mas se se pensar pelo que isso representa ofensivamente, é uma vantagem imensa para o Knicks.