Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Libolo à prova de fogo

Melo Clemente - 02 de Junho, 2016

Felizardo Ambrósio

Fotografia: José Cola

Em desvantagem na eliminatória (2-0), a formação do Recreativo do Libolo recebe hoje a partir das 19h00, no Pavilhão do Dream Space, em Viana, a similar do 1º de Agosto com o pensamento virado para a vitória, na terceira partida do play -off da final da 38ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculino, vulgo BIC Basket, a melhor de sete jogos.

Depois de ter consentido duas derrotas no terreno alheio, por 113-83 e 82-70 respectivamente, partidas disputadas no "mítico" Pavilhão Victorino Cunha, o representante da vila de Calulo vê-se na obrigação de vencer esta noite a equipa rubro e negra, sob pena de ficar cada vez mais distante da conquista do título da 38ª edição do BIC Basket.

A jogar em casa e com o apoio incondicional da sua massa adepta, o Recreativo do Libolo que procura o seu terceiro troféu doméstico, vai tentar seguramente colocar termo o ciclo de vitórias do conjunto mais titulado no que ao Campeonato Nacional da "bola ao cesto" diz respeito, com 17 conquistas.

Com um plantel mais recheado, em termos de valores individuais, em que ressaltam nomes como de Carlos Morais, Olímpio Cipriano, Valdelício Joaquim, Roberto Fortes, Eduardo Mingas, Milton Barros, Braúlio Morais, todos internacionais anogolanos, para além dos norte-americanos, Roderick Nealy e Jonathan Wallace, a formação do Libolo tem  estratégia montada para suplantar o jogo ofensivo do Clube Central da Forças Armadas Angolanas.

Ontem, na única sessão de treino do dia virada essencialmente para a recuperação de jogadores, Norberto Alves, técnico português ao serviço do Libolo, fez menção sobre a necessidade da circulação da bola em todas as áreas de jogo, para que surjam espaços que dêem origem a lançamentos à longa distância, uma das principais armas do grémio de Calulo.
Apesar de reconhecer as qualidades do opositor, Norberto Alves afirmou que a equipa vai bater-se para derrotar o opositor.
"Sabemos que vai ser um jogo extremamente difícil, porque o nosso adversário está galvanizado com duas vitórias mas, ainda assim, tudo faremos para sairmos vitoriosos", asseverou o técnico luso.

Entretanto, Ricard Casas, técnico  espanhol ao serviço do 1º de Agosto, apostou num discurso cauteloso, afirmando que as duas equipas têm potencial para vencer o título do BIC Basket.

"Nada ainda está ganho. Foram duas vitórias e acredito que teremos uma ponta final do campeonato extremamente difícil. Os jogadores têm de entrar para o terceiro jogo como do primeiro se tratasse. Os dois jogos já fazem parte do passado, por isso, temos de  concentrarmo-nos  agora no terceiro embate", revelou Ricard Casas.

O base norte-americano, Cedrick Ison, pode ser a única baixa do conjunto militar (ver peça à parte), em virtude de ter ressentido de uma lesão antiga no tornozelo da perna esquerda.

No seio dos jogadores, o pensamento está virado para a vitória, embora reconheçam as qualidades da formação libolense.

Com a provável indisponibilidade de Cedrick Ison, no cinco inicial, o jovem Edson Ndoniema que tem estado em grande plano na presente época desportiva, poderá vir a ocupar a vaga do norte-americano. Hermenegildo Santos, Felizardo Ambrósio "Miller", Tariq Kirksay e Islando Manuel completam  o quinteto.

Depois de eliminar o Atlético Petróleos de Luanda, nas meias-finais, com recurso a "negra", os militares estão com os índices motivacionais em alta.

O público amante da modalidade vai acorrer em massa ao Pavilhão Dream Space, em Viana, para testemunharem o embate entre duas das melhores equipas do país, e do continente africano.

As duas colectividades voltam ao duelar no sábado, no Pavilhão do Dream Space, para a quarta partida do play -off da final da 38ª edição do BIC Basket.