Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Libolo em vantagem

Melo Clemente - 07 de Junho, 2015

As duas agremiações voltam a jogar na próxima terça-feira na Pavilhão do Dream Space em Viana

Fotografia: Jornal dos Desportos

A formação do Recreativo do Libolo recebeu e venceu ontem, no Pavilhão do Dream Space, em Viana, o Atlético Petróleos de Luanda, por 99-81, na terceira partida dos play-offs da final da 37ª edição do Campeonato Nacional de Basquetebol em seniores masculinos (BIC Basket), à melhor de sete. Com este triunfo, os libolenses deram a reviravolta na eliminatória onde vencem por 2-1.

A jogar em casa e com o apoio da sua massa associativa, a formação do Recreativo do Libolo, actual campeã nacional em título, entrou determinada no desafio, ao contrário do seu opositor que se mostrou apático, fundamentalmente, nos minutos iniciais da partida.

Liderado por Carlos Morais e Eduardo Mingas, ambos internacionais angolanos, o representante da vila de Calulo evidenciou-se no primeiro quarto, tendo conservado uma vantagem de onze pontos (31-20).

No segundo quarto, os petrolíferos da capital melhoram significativamente a sua defesa, aliado a um ataque eficiente, e conseguiram um parcial de 27-18, o que perfez 49-47, a favor da formação caseira ao cabo dos primeiros 24 minutos.

Sem grandes estrelas individuais, a equipa do Eixo-viário fez da sua força colectiva o grande trunfo. Aliás, esta tem sido a matriz da equipa do Atlético Petróleos de Luanda no Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos, que em princípio encerra a 16 do mês em curso.

Emanuel Quezada e Roberto Fortes, este último internacional angolano, estiveram em grande destaque nos primeiros 24 minutos. Dos vinte pontos que a turma petrolífera conseguiu, 18 foram apontados por estes dois atletas que têm estado em grande plano nos play-offls desta edição, agora designado BIC Basket.

O base dominicano naturalizado norte-americano terminou os 24 minutos, com dez pontos, ao passo que o seu companheiro conseguiu oitos pontos. Do lado dos libolenses Carlos Morais e capitão Eduardo Mingas terminaram com 17 e 15 pontos respectivamente.

Os pupilos de Norberto Alves superiorizaram-se no terceiro quarto, fruto do maior rigor defensivo evidenciado, ao contrário do seu opositor que se mostrou bastante vulnerável. A equipa caseira conseguiu um parcial de 24-14, o que perfez 76-61 no termo do terceiro período.

Com apoio incondicional dos seus adeptos que lotaram por completo o Pavilhão do Dream Space, o representante da vila de Calulo voltou a dominar o quarto e derradeiro, para a tristeza da claque dos petrolíferos da capital que tiveram que render-se a superioridade dos campeões nacionais, que venceram por 99-81, dando a cambalhota na eliminatória (2-1).

Carlos Morais, com 28 pontos, foi o cestinha da partida, seguido de Eduardo Mingas, com 22 pontos. Emanuel Quezada, Janson Cain e Roberto Forte estiveram em grande com 22, 17 11 pontos respectivamente.

Valdelício Joaquim foi o rei dos ressaltos, com dez, sendo dois defensivos e oito ofensivos. Nos lançamentos à longa distância, o Petro conseguiu 21 por cento, contra 46 do seu opositor. Nos dois pontos houve um equilíbrio, com Libolo a conseguir 65 por cento, contra 60 dos petrolíferos da capital. Nos lançamentos livres, a equipa caseira esteve melhor, com 57 por cento, contra 47 da equipa forasteira.

As duas agremiações voltam a jogar na próxima terça-feira, novamente, no Pavilhão do Dream Space, em Viana, para a quarta partida dos play-offs da, a melhor de sete.


Afrobasket da Tunísia
Moncho López minimiza factor tempo


A Selecção Nacional de basquetebol em seniores masculinos vai ter tempo mais do que suficientes para preparar de forma cuidada a sua participação na fase final do Campeonato Africano das Nações, vulgo Afrobasket, competição a decorrer de 19 a 30 de Agosto do ano em curso, na Tunísia, prova selectiva aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, Brasil, em 2016, de acordo com o seleccionador nacional, Moncho López.

O técnico espanhol que vai dirigir o cinco nacional no Campeonato Africano das Nações da Tunísia fez esta revelação quinta-feira última, em conferência de imprensa, que serviu para a sua apresentação oficial, depois do acordo rubricado em Fevereiro último.

Ao contrário das épocas anteriores, este ano, o Campeonato Nacional da "bola ao cesto" vai terminar apenas em Junho, um mês depois do habitual. Ou seja, nos anos anteriores a competição nacional terminava a 31 de Maio.

Em face da remodelações que houve da prova, nos moldes de disputa, que passou da "Final Four" para os play-offlis, a prova vai estender-se até ao dia 16 do mês em curso.

Apesar disso, Monco López acredita que os atletas vão tem tempo suficiente para repousar, para posteriormente arrancarem com os trabalhos da pré-selecção nacional que vai a busca do apuramento aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, Brasil, depois da estreia em 1992, nos Jogos Olímpicos de Barcelona, Espnaha, seguindo-se as participações de 1996, em Atlanta, Estados Unidos da América, Sidney, Austrália, em 2000, Atenas, Grécia, em 2004, Pequim, China, em 2008, e Londres, Inglaterra, em 2012.

"Creio que os atletas seleccionados para a operação Tunísia, vão ter tempo suficiente para descansarem e posteriormente arrancarem com os trabalhos de preparação sem qualquer constrangimento. Nós somos uma equipa e como tal, teremos que trabalhar de forma harmoniosa. Os jogadores que tiveram maior desgaste físico durante a época vão ter um trabalho diferente daqueles que tiveram pouco tempo de jogo", asseverou o seleccionador nacional que acompanha milimetricamente a fase final do BIC Basket.

No Afrobasket da Tunísia, Angola está inserida no Grupo B, juntamente com as seleções do Senegal, repescada, Moçambique, e Marrocos. Tunísia, país anfitrião, figura no Grupo A, ao lado das similares do Uganda, Nigéria e República Centro Africana.

Egipto, com cinco títulos conquistados, está no Grupo C, ao lado do Gabão, Mali e Camarões, ao passo que no Grupo D, estão Costa do Marfim, Cabo Verde, Argélia e Zimababwe.
M.C


NBA/lesão
Irving falha resto da final

O jogador dos Cleveland Cavaliers Kyrie Irving lesionou-se com gravidade e  falha o resto da final da Liga norte-americana de basquetebol (NBA), anunciou a equipa, ontem, em comunicado.
“Um exame realizado hoje revelou que Kyrie Irving sofre de uma fractura da rótula do joelho esquerdo”, indica a equipa dos Cleveland Cavaliers. Kyrie Irving lesionou-se no prolongamento do jogo contra os Golden State Warriors, primeiro dos sete da final da NBA, que o conjunto perdeu por 108-100.
O jogador será submetido a cirurgia nos próximos dias e entrará depois num período de convalescença que poderá durar três a quatro meses.