Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Libolo nas "meias" da Taa de Angola

Melo Clemente - 12 de Março, 2015

Apesar de no jogarem os campees nacionais j esto nas meias-finais da Taa de Angola

Fotografia: Jornal dos Desportos

A formação do Recreativo do Libolo assegurou o passe de acesso às meias-finais da 27ª edição da Taça de Angola de basquetebol, em seniores masculinos, em virtude da falta de comparência que foi aplicada ao Sporting de Benguela (20-0).A formação do Sporting de Benguela não compareceu, na terça-feira, no Pavilhão do Dream Space, em Viana, onde devia enfrentar os campeões nacionais, para a primeira mão dos quartos-de-final da segunda maior competição do país.

De acordo com Nuno Teixeira, director de competições da Federação Angolana de Basquetebol, a equipa do Libolo apura-se automaticamente para as meias-finais da aludida competição.“Nas provas eliminares, as equipas que perdem por faltam de comparência ficam afastadas da competição. O Sporting de Benguela perdeu por 20-0 e mesmo que fosse realizado a segunda partida a equipa de Benguela não ia conseguir ultrapassar os 20 pontos”, disse Nuno Teixeira.

Assim, as formações do Recreativo do Libolo e do Progresso Associação Sambizanga tornaram-se nas primeiras equipas a assegurarem a presença nas meias-finais da Taça de Angola. O Progresso voltou a superar, ontem, no Cuito, o Sporting Petróleos do Bié, em partida referente à segunda mão dos quartos-de-final.Atlético Sport Aviação (ASA)-1º de Agosto e Atlético Petróleos de Luanda-Grupo Desportivo voltam a jogar no dia 17 do mês em curso, para a segunda mão dos quartos-de-final. Os militares venceram os aviadores, por 106-88, ao passo que os polícias ganharam os petrolíferos da capital, por 90-86.
 
Reacção
Técnico Avô promete
inverter a eliminatória


O técnico-adjunto do Petro de Luanda, Benjamim Avô, prometeu que a sua formação vai trabalhar os aspectos que estiveram mal no jogo de terça-feira, em que perderam  com o Interclube por 86-90, no sentido de inverterem o resultado negativo. A contar para a primeira mão dos quartos-de-final da Taça de Angola, em basquetebol, o treinador reconheceu que o seu conjunto entrou mal na partida, disputada no Pavilhão 28 de Fevereiro, mas que vão corrigir os erros para saírem vitoriosos no segundo encontro, aprazado para o dia 17 do mês em curso, no Pavilhão da Cidadela.

Falando à imprensa no final do desafio, o antigo base do Petro e da Selecção Nacional referiu ainda que a paragem no jogo de quase 20 minutos influenciou negativamente os seus atletas.“O facto do trio de arbitragem, chefiado por Carlos Júlio, ter parado o encontro por causa de dois adeptos petrolíferos que dirigiam insultes aos juízes quebrou o ritmo ofensivo que o conjunto trazia no segundo tempo e  evitar o desaire ante à equipa dos “bombeiros”, lamentou.Apelou ser importante que haja presença da polícia nacional em partidas que envolvam clubes como Petro de Luanda, como forma de evitar situações  que vêm  contribuir pela negativa no desempenho dos atletas.