Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Lusíada e Marinha de Guerra medem forças

Melo Clemente - 20 de Outubro, 2015

Universitários e marinheiros procuram acesso à fase nacional da Taça de Angola

Fotografia: Eduardo Pedro

Duas partidas marcam hoje o arranque da fase provincial da Taça de Angola de basquetebol em seniores masculinos, referente a época desportiva 2015/2016.

A formação da Universidade Lusíada defronta a partir das 16h00, no Pavilhão Victorino Cunha, a Marinha de Guerra, em partida referente a primeira mão, ao passo que ADC do Kilamba mede forças com o Futebol Clube Vila Clotilde, a partir das 16h00, no Pavilhão Anexo número dois a Cidadela.

Universitários e marinheiros vão seguramente centralizar as atenções da fase provincial da Taça de Angola, a julgar pela potencial das duas equipas. A formação da Universidade Lusíada vai tentar surpreender esta tarde a equipa da Marinha de Guerra, conjunto que ascendeu recentemente ao Campeonato Nacional da I Divisão, vulgo BIC Basket.

Uma vitória por números expressivos hoje, poderá assegurar em princípio a passagem da eliminatória. Entretanto, a Marinha de Guerra que já vai poder contar com o seu treinador principal, Paulo Macedo, vai aproveitar o factor casa, para suplantar o seu adversário logo mais.

As duas equipas voltam a se defrontarem na sexta-feira, dia 23, em partida referente a segunda mão da fase provincial da Taça de Angola. Quem tem praticamente tarefa facilitada é o Futebol Clube Vila Clotilde que defronta às 16h00, no Pavilhão Anexo a Cidadela, a modesta equipa do ADC Kilamba.

Com maior ou menor dificuldades, os pupilos de Elvino Dias vão seguramente ultrapassar a eliminatória. Estão já apuradas para á fase nacional da Taça de Angola as equipas do Atlético Petróleos de Luanda, Recreativo do Libolo, 1º de Agosto, Atlético Sport Aviação (ASA), e Grupo Desportivo Interclube .

NBA
Clippers está reforçado


O mercado de agentes-livres da NBA começou e o Los Angeles Clippers parecia com dificuldades por perder o seu poste, que tinha dito que fecharia com o Dallas Mavs. Sem DeAndre Jordan, a franquia do técnico Doc Rivers teria que não só se lançar ao mercado, mas talvez até rever o seu plano de jogo sem a presença de DAJordan protegendo a cesta com o seu potencial físico. O vento mudou, o gigante mudou de ideia, frustrou os texanos ao permanecer na Califórnia e os Clippers tiveram férias bem mais tranquilas do que a que se apresentava.

A base e o sistema de jogo poderiam, portanto, ser mantidas. A “espinha'' formada por Chris Paul, Blake Griffin e DeAndre Jordan está lá, bem como JJ Redick, Jamal Crawford e Austin Rivers no elenco de apoio. Mas os Clippers conseguiram óptimas peças no mercado. O argentino Pablo Prigioni chega para ajudar na marcação de perímetro. Paul Pierce, Wesley Johnson e Lance Stephenson, para a rotação nos extremos.

No garrafão chegaram Josh Smith, Luc Richard Mbah a Moute, Chuck Hayes e CJ Wilcox para auxiliar e descansar Griffin e DAJordan. Como se vê, são, no barato, 12 óptimos atletas em um elenco pra lá de heterogéneo (são muitas variações possíveis…) para Doc Rivers fazer a sua rotação durante a temporada. Ao contrário do campeonato passado, quando usou o trio CP3, Griffin e DAJordan por mais de 34 minutos, em 2015/2016 isso não serão necessário – e poderá pagar dividendos lá na frente, nos play-offs, quando as principais estrelas chegarão mais descansadas.