Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Macedo minimiza mau início

Melo Clemente - 06 de Novembro, 2013

Paulo Macedo, desvalorizou, o facto de a sua colectividade

Fotografia: Jornal dos Desportos

O técnico principal da equipa sénior masculino do 1º de Agosto, Paulo Macedo, desvalorizou, o facto de a sua colectividade ter perdido já dois troféus, no início da temporada 2013/2014, curiosamente, a favor da formação do Recreativo do Libolo do Kwanza-Sul. Ao contrário da época transacta, em que os militares tiveram um início de época avassalador, conquistando troféus, este ano, nas duas provas em que o Clube Central das Forças Armadas Angolanas teve o privilégio de competir, designadamente, na V edição do Torneio Victorino Cunha e o zonal de apuramento à fase final da Taça dos Clubes Campeões Africanos, o conjunto rubro e negro perdeu as duas competições.

Ontem, em declarações ao Jornal dos Desportos, logo após a primeira sessão de treinos do dia, realizado no seu quartel-general (Pavilhão Victorino Cunha), Paulo Macedo, afirmou, que apesar dos dois desaires, a sua agremiação está preparada para encarar o resto da temporada. «Infelizmente, começamos mal a época desportiva 2013/2014 perdemos duas provas que gostávamos de conquistar, tal como aconteceu na temporada passada.

Temos que continuar a trabalhar, arduamente, a fim de arrebatarmos os troféus que restam», asseverou Paulo Macedo, que se mostrou confiante, no bom desempenho da sua rapaziada. Sem tirar mérito ao Recreativo do Libolo, que foi o «carrasco» do clube militar nas duas provas, o técnico militar, afirmou, que o mau desempenho da equipa, no início da temporada, resulta do facto, de a maior parte dos seus jogadores, terem feito parte da campanha da Selecção Nacional, que em Agosto do ano em curso, conquistou o 11º título africano, na Costa do Marfim.

«Não estou, de maneira alguma, a justificar o nosso mau início de época, mas, devo assegurar-lhe, que nós no ano passado, tivemos uma melhor preparação, porque a Selecção Nacional não esteve em acção, em virtude de ter perdido o Afrobasket em 2011. Este ano, os meus jogadores tiveram muito pouco tempo para recuperarem», justificou Paulo Macedo. Consumado que está a perda dos dois troféus, a equipa militar virou agora as baterias para a Supertaça, Wlademiro Romero, prova a disputar-se no domingo, na província do Namibe.

«Estamos a preparar-nos, fundamentalmente, para a Supertaça, apesar de termos três jogos, ainda no decorrer desta semana, para o campeonato provincial. Vamos procurar nos três jogos do provincial, colocar os jogadores menos utilizados no zonal da Zâmbia». Depois de ter defrontado ontem, a equipa do Progresso Associação do Sambizanga, hoje os militares têm pela frente, a formação do ASA, desafio marcado para o Pavilhão Anexo número dois da Cidadela, a partir das 18h00. Amanhã, a equipa rubro - negra recebe no seu reduto a modesta equipa do Futebol Clube Vila Clotilde.

Meta definida
Técnico aponta desafios para o ano

Conquistar a Supertaça,  Wlademiro Romero, prova marcada para domingo, na província do Namibe, e  a Taça dos Clubes Campeões Africanos, competição que em princípio vai ser  disputada em Dezembro, na Costa do Marfim, constituem as prioridades prementes do técnico militar,  para o ano que caminha para o seu final. Para Paulo Macedo, é imperioso que a sua equipa ganhe o desafio da Supertaça, frente ao arqui-rival, Petro de Luanda, a fim de encarar com maior naturalidade a fase final da Taça dos Clubes campeões Africanos da «bola ao cesto».

«Temos consciência, que vai ser um jogo, extremamente difícil, frente ao nosso maior arqui-rival, mas, temos que vencer o nosso adversário, porque estamos quase que obrigados a conquistar estas duas competições, designadamente, a Supertaça e a Taça dos Clubes Campeões Africanos». Para Paulo Macedo, é importante reconquistar os troféus acima referenciados, para que a equipa, encare o resto da temporada, com maior naturalidade. «Sem dúvidas, estes dois troféus são importantes para o resto de temporada, daí que, estamos a preparar-nos para arrebatarmos as duas provas».
M.C