Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Macedo procura terceiro trofu

Melo Clemente - 23 de Maio, 2019

Treinador acredita na superao dos seus atletas durante a disputa da Final Four

Fotografia: Kindala Manuel|Edies Novembro

Aos 51 anos de idade, Paulo Jorge Rebelo de Macedo, procura o seu terceiro troféu continental, ao serviço do Clube Central das Forças Armadas Angolanas (1º de Agosto), equipa que amanhã, sexta-feira, defronta a similar do Smouha do Egipto, no Pavilhão Arena do Kilamba, em partida a contar para a segunda meia-final da primeira edição da AfroLiga.
Apesar de estar ainda combalido, com a perda do título da 41ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculino (Unitel Basket), a favor do arqui-rival, Atlético Petróleos de Luanda (4-2), o técnico angolano não escondeu o desejo de conquistar o título da primeira edição da AfroLiga.
Em declarações ao Jornal dos Desportos, Paulo Jorge Rebelo de Macedo, afirmou que a preparação tem decorrido sem grandes sobressaltos no Pavilhão Arena do Kilamba, palco escolhido pela Comissão Organizadora, presidida por Hélder Martins da Cruz "Maneda", para acolher a aludida competição.
"Nós não estamos tão bem, a verdade é essa. Nós ainda temos algumas preocupações, que se passaram na final four do Unitel Basket, mas, a cada dia que passa, estamos a tentar mudar esta mentalidade, porque sabemos que temos uma competição muito importante pela frente e hoje, mas do que ontem, a equipa já está sensibilizada para encarar mais este desafio", revelou o técnico principal do 1º de Agosto, equipa mais titulada do continente africano, com oito troféus arrebatados.
Macedo assegurou, por outro lado, que até ao dia de amanhã, data em que serão disputadas as meias-finais da primeira edição do AfroLiga, a sua rapaziada estará cem por cento preparada, para defrontar a forte equipa do Smouha do Egipto.
"Os trabalhos de preparação estão a correr bem e tenho a plena convicção, que até amanhã, sexta-feira, a equipa estará muito bem. Portanto, estamos a tentar recuperar jogadores, que não estiveram tão bem na fase final do nacional, para termos uma equipa mais homogénea\".
Os aspectos defensivos têm dominado as sessões de treinos do Clube Central das Forças Armadas Angolanas, sem colocar de parte a componente finalização.
"Nós fizemos um scouting da equipa com quem vamos jogar na sexta-feira, estamos a trabalhar nos aspectos defensivos, fundamentalmente, naquilo que não esteve muito bem, relativamente as tomadas de decisões, lançamentos, assim como os contra ataques".
Entretanto, Edson Ndoniema, Hermenegildo Santos e Islando Manuel, atletas que estiveram em sob rendimento durante a disputa da Final Four, estão totalmente recuperados, de acordo com o técnico militar.
"Como sabe, nós tivemos azar na final four. O Gildo contraiu uma lesão, o Edson Ndoniema teve uma surto palúdico, assim como o Islando, o que de certa forma condicionou o nosso jogo. Felizmente, todos estes problemas estão superados e vamos aparecer no máximo da nossa força", garantiu. 

Reforço
Fidel Cabita pode ser a grande novidade


O extremo poste, Fidel Cabita, poderá ser a grande novidade na lista dos doze atletas, que o técnico angolano, Paulo Macedo, vai eleger para a disputa da Final Four da AfroLiga, competição que arranca amanhã, sexta-feira, no Pavilhão Arena do Kilamba, em Luanda.
Contratado no início da época desportiva 2018/2019, ao Grupo Desportivo Interclube, o jovem jogador não actuou na 41ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculino, vulgo Unitel Basket, ao serviço da equipa rubro e negra, em virtude de ter contraído uma grave lesão.
O antigo jogador da equipa adstrita a Polícia Nacional, tem sido uma das principais atracções nas sessões de treino do Clube Central das Forças Armadas Angolanas (1º de Agosto), realizadas no Pavilhão Arena do Kilamba, palco que vai acolher a festa do basquetebol continental, a partir de amanhã, sexta-feira, com a disputa das meias-finais da AfroLiga.
Caso se efective à integração do jovem jogador, a formação do Clube Central das Forças Armadas Angolanas estará mais reforçada na posição de extremo.
O técnico angolano Paulo Macedo trabalha, nesta altura, com quinze (15) atletas, dos quais doze (12) vão representar as cores do 1º de Agosto na “Final Four” da AfroLiga.
Tratam-se de Edson Ndoniema, Pedro Bastos, Emanuel Quezada, Armando Costa, Mohammed Malick Cissé, Tárcio Domingos, Islando Manuel, Hermenegildo Santos, Carlos Cabral, Andre Harris, Felizardo Ambrósio “Miller”, Eduardo Mingas, Mutau Fonseca, Fidel Cabita e Jilson Bango.

Final Four
Confronto de invictos acontece amanhã


Com os olhos postos para a final de domingo, a formação do 1º de Agosto defronta amanhã, sexta-feira, a partir das 20h30 minutos, no Pavilhão Arena do Kilamba, a similar do Smouha do Egipto, na segunda meia-final da primeira edição da AfroLiga. Às 18h00, a Association Sportive de Salé de Marrocos vai medir forças com a congénere do JS Kairouan, da Tunísia.
Depois de ter perdido o título da 41ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculino, vulgo Unitel Basket, a favor do Atlético Petróleos de Luanda, a equipa militar está fortemente apostada, na conquista do título da primeira edição da AfroLiga.
A formação do 1º de Agosto, oito vezes campeã africana, à semelhança do seu opositor, continua invicta na aludida competição, facto que eleva ainda mais o interesse da segunda meia-final.
Ainda combalida com a perda da coroa doméstica, a equipa rubro e negra vai procurar ultrapassar a similar do Smouha do Egipto, conjunto que apesar de nunca ter conseguido vencer um título a nível de clubes, possuiu nas suas fileiras jogadores com enormes qualidades, com particular realce para James Justice Jr, de nacionalidade norte-americana, 30 anos de idade, um metro e 77 centímetros de altura, e Augustine Okosun, de nacionalidade nigeriana.
Apesar de reconhecer o potencial do seu opositor, o técnico Paulo Macedo não escondeu o desejo de ultrapassar a forte equipa do Egipto, mas para tal, os índices de concentração da sua rapaziada têm de estar em alta.
 “Vamos ter pela frente uma forte equipa, que entra nesta fase crucial da competição sem qualquer derrota, tal como nós. Temos que manter os índices de concentração em alta, defender bem e atacar também bem, porque só desta forma vamos conseguir vencer o Smouha do Egipto”, revelou o treinador militar.
No seio dos jogadores, não se fala noutro resultado, senão o triunfo e, consequentemente, o apuramento para a grande final.
Emanuel Quezada, atleta que esteve em evidência durante a disputa da Final Four do Unitel Basket, Eduardo Mingas, Armando Costa, Andre Harris e Felizardo Ambrósio “Miller” vão procurar liderar os mais novos, nomeadamente, Islando Manuel, Mohammed Malick Cissé, Carlos Cabral, Tárcio Domingos, dentre outros.
Por seu turno, a formação do Smouha do Egipto, que desembarcou na capital angolana na terça-feira, sendo por isso, a primeira delegação estrangeira a pisar o solo angolano, está praticamente ambientada com o clima da “cidade do basquetebol africano” e com vontade de contrariar o favoritismo caseiro do Clube Central das Forças Armadas Angolanas (1º de Agosto).
Sem qualquer histórico a nível do continente africano, os egípcios do Smouha tencionam inscrever, pela primeira vez, o seu nome na galeria do basquetebol continental.
O equilíbrio vai, seguramente, dominar algumas etapas de jogo, julgar pela qualidade dos dois plantéis.
Entretanto, hoje, quinta-feira, Paulo Macedo vai orientar a última sessão de treinos, no Pavilhão Arena do Kilamba, antes de defrontar amanhã, sexta-feira, a similar do Smouha do Egipto.
                        
Determinação
Capitão assume prontidão do grupo

O capitão da formação do 1º de Agosto, Armando Costa, considerou que o moral do grupo está em alta, visando a disputa da primeira edição da AfroLiga, competição que arranca amanhã, sexta-feira, no Pavilhão Arena do Kilamba, em Luanda.
Depois de perder o título da 41ª edição do Unitel Basket, a favor do arqui-rival, Atlético Petróleos de Luanda, o penta campeão africano afirmou, que os seus colegas estão preparados para encarar com maior naturalidade a Final Four da AfroLiga.
"O moral do grupo está em alta, estamos todos conscientes, que temos o nosso último objectivo da época desportiva 2018/2019, e vamos tudo fazer, no sentido de conquistarmos o título da primeira edição da AfroLiga. Portanto, a equipa está concentrada, estamos de estágio,  a concentração é máxima, para que, na sexta-feira, possamos ultrapassar a forte equipa do Smouha do Egipto, e, no domingo, disputar e vencermos o troféu".
Para o base Armando Costa, o desaire do Unitel Basket já faz parte do passado, pelo que as atenções estão agora viradas, para a final four da AfroLiga.
"Infelizmente, não conseguimos revalidar o título nacional, mas, isso, já faz  parte do passado. Estamos agora concentrados para a AfroLiga, uma competição que será extremamente difícil, a julgar pela qualidade das equipas participantes. Portanto, nós, 1º de Agosto, temos responsabilidades acrescidas, porque estamos a jogar em casa e, naturalmente, queremos brindar os nossos adeptos com a conquista do troféu africano de clubes", augurou o internacional angolano.

Ranking
D`Agosto domina

Com oito troféus conquistados, a formação do 1º de Agosto domina o ranking da antiga Taça dos Clubes Campeões Africanos da "bola ao cesto", seguido do As Forces Armées, com três troféus.