Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Malanje pode disputar nacional

Melo Clemente - 07 de Setembro, 2016

Modalidade na terra da Palanca Negra Gigante tem registado um crescimento vertiginoso nos últimos tempos

Fotografia: João Gomes

A formação do Recreativo de Cacuso poderá representar a província de Malanje, no campeonato nacional da segunda divisão de basquetebol em seniores masculinos, de 15 a 24 do mês em curso, na cidade do Cuito, província do Bié, competição que apura os dois primeiros classificados para o Campeonato Nacional da "bola ao cesto", vulgo BIC Basket, referente a época desportiva 2016/2017.

O facto foi avançado ao Jornal dos Desportos, no último sábado, pelo novo homem forte da Associação Provincial de Basquetebol de Malanje, Mauro Jorge, durante a disputa do campus da modalidade, realizada no Estádio Valódia, actividade que envolveu mais de uma centena e meia de petizes.

A sensivelmente cinco meses, no cargo de presidente de direcção da associação de basquetebol da terra da Palanca Negra Gigante, Mauro Jorge, reconheceu que esforços estão a ser desenvolvidos, no sentido da formação do Recreativo de Cacuso fazer-se presente na aludida competição.

"De facto existe esta pretensão por parte das autoridades locais e em particular da associação local de basquetebol, que a província de Malanje seja representada no campeonato nacional da segunda divisão, competição a decorrer ainda este mês na província do Bié. Temos mantido contacto com a direcção do equipa do Recreativo de Cacuso e eles estão receptivos", assegurou o novo presidente da Associação Provincial de Basquetebol de Malanje.

De acordo ainda com Mauro Jorge, esforços estão a ser feitos junto da sociedade malanjina, no sentido de se angaria fundos, para suportar as despesas de alimentação e acomodação.

"Estamos a trabalhar em parceria com a direcção do Recreativo de Cacuso, no sentido de conseguirmos verbas para suportar a estadia do nosso representante no campeonato nacional da segunda divisão. Por isso, gostaria de apelar a sociedade malanjina em particular a classe empresarial, no sentido de prestarem o seu apoio a equipa do Recreativo de Cacuso", apelou Mauro Jorge.

Empossado em Maio do ano em curso, o novo presidente da Associação Provincial de Basquetebol de Malanje, enalteceu as direcções da federação angolana da modalidade e da Fundação Eduardo dos Santos (FESA) por terem levado a aquela parcela do território nacional basquetebol de luxo.

"Penso que actividades como esta, acabam sempre por criar motivações para quem trabalha com a modalidade e, sobretudo, estimula cada vez mais os petizes a praticarem a modalidade. A presença de equipas do top do basquetebol nacional na nossa província, nomeadamente, 1º de Agosto, Atlético Petróleos de Luanda, Atlético Sport Aviação (ASA) e Grupo Desportivo Interclube acabou por ser uma grande valia pra nós", reconheceu Mauro Jorge.

Entretanto, a província de Malanje acolheu de 03 a 04 do mês em curso, no Pavilhão Palanca Negra Gigante, infra-estrutura construída de raiz, no âmbito da realização de Angola da 41ª edição do Campeonato  do Mundo de hóquei em patins, isto em 2013, o torneio FESA, actividade que serviu para assinalar os 20 anos da organização, e 74º aniversário do seu Patrono, Engenheiro José Eduardo dos Santos, assinalado a 28 de Agosto último.

A formação do 1º de Agosto conquistou o troféu, ao derrotou na final, a equipa do Grupo Desportivo Interclube, por 94-105, ao passo que o Atlético Petróleos de Luanda bateu o Atlético Sport Aviação (ASA), nas classificativas do terceiro lugar, por 79-94.

O internacional angolano, Edson Ndoniema, extremo base do 1º de Agosto arrebatou o troféu de MVP (Jogador Mais Valioso) da prova. Fidel Cabita, extremo do Grupo Desportivo Interclube, cestinha da final, com 28 pontos, foi eleito o melhor defensor da competição, ao passo que o ASA, foi considerada como equipa Fair-Play.


EM MALANJE
Associação trabalha sem instalações


A falta de instalações desportivas é um dos principais problemas que o novo elenco da Associação Provincial de Basquetebol de Malanje, liderado por Mauro Jorge, tem encontrado para a execução na plenitude o projecto de acção referente ao quadriénio 2016/2020.

Apesar deste constrangimento, os membros de direcção da associação local, têm aproveitado os seus locais de serviço e residências para tratarem de assunto relacionado com a  modalidade.

"Infelizmente, a associação provincial não têm instalações desportivas, situação que tem dificultado imenso o nosso trabalho. Nós tomamos posse em Maio e, como deve compreender, não temos recursos para podermos arrendar um local onde poderíamos estar a  desenvolver o nosso trabalho. Muitas vezes reunimos em nossas casas, inclusive em nossos locais de trabalho para tratarmos de assunto de basquetebol", revelou Mauro Jorge, que aos 32 anos de idade, tem a missão de resgatar a mística da modalidade da "bola ao cesto" na terra da Palanca Negra Gigante.

A direcção cessante tinha baseado o seu quartel-general na direcção provincial da juventude e desportos, em virtude do seu então secretário-geral ser funcionário daquela instituição.Apesar deste constrangimento, Mauro Jorge acredita em dias melhores para a modalidade na cidade de Malanje.

"Nós estamos praticamente a arrumar a casa, identificarmos os principais problemas, para posteriormente apresenta-las a direcção da juventude e desporto local. Temos aqui que reconhecer o trabalho desenvolvido pela direcção cessante. Aliás, a nossa direcção pegou no projecto da anterior direcção e vamos introduzir algumas mudanças para darmos continuidade. Acredito que nos próximos anos a província de Malanje vai aparecer a disputar campeonatos nacionais nos escalões de formação", asseverou Mauro Jorge.

De acordo com aquele responsável, a associação local controla nesta altura mais de cento e cinquenta  petizes, dos seis aos 14 anos de idade.
Três clubes movimentam a modalidade, nomeadamente, Baixa de Cassange, Malanje Sport Clube e Recreativo de Cacuso. Existem mais seis núcleos, de acordo com Mauro Jorge.                                                        

MASSIFICAÇÃO
Ângelo Victoriano
trabalha com escolas


O antigo internacional angolano, Ângelo Victoriano, já começou a trabalhar na província de Malanje para o desenvolvimento da modalidade naquela parcela do território nacional.Contratado pelo governo da província na pessoa de sua excelência, Norberto dos Santos, para liderar o mega projecto de massificação na terra da Palanca Negra Gigante, Ângelo Victoriano, atleta mais titulado da Selecção nacional, com oito títulos conquistados em Campeonatos Africanos das Nações, vulgo Afrobasket´s, para além de várias participações em Campeonatos do Mundo e Jogos Olímpicos, tem trabalhado com jovens das escolas do primeiro e segundo ciclo, enquanto aguarda pelo arranque do "Projecto de Massificação" do governo da província.

A antiga estrela da Selecção Nacional confidenciou ao Jornal dos Desportos que trabalha nesta altura com mais de 150 petizes dos cinco aos 14 anos de idade, tendo assegurado por outro lado, que a província possuiu talento que bem lapidados, podem dar num futuro muito breve em grandes estrelas da "bola ao cesto".

Entretanto, Ângelo Victoriano agradeceu o gesto da direcção da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), que dou no último sábado, a margem da realização no Estádio Valódia do cumpus da modalidade, 40 bolas e 22 pares de sapatilhas, matérias que segundo disse, "vão minimizar a carência que existia".

Na ocasião, Alberto Babo, técnico principal do Grupo Desportivo Interclube, que participou do campus e testemunhou a entrega do material desportivo, aconselhou os treinadores e monitores a servirem o basquetebol e não servirem-se da disciplina.

"É extremamente importante que os treinadores e monitores que estão envolvidos no projecto de massificação sejam capazes de servirem o basquetebol e não servirem-se da modalidade. O pouco tempo que privei com os petizes identifiquei seis a oito miúdos que podem no futuro dar grandes alegrias a população de Malanje, desde que sejam bem acompanhados", revelou Alberto Babo.

O técnico luso enalteceu por outro lado, o trabalho que está a ser desenvolvido pelo antigo internacional angolano. "Este é um projecto que tem pernas para andar e tem que envolver a sociedade no geral", disse. Ao serviço da Selecção Nacional, Ângelo Victoriano conquistou os Afrobask´s de 1989, em Luanda, 1992, Cairo, Egipto, 1993, Nairobi, Quénia, 1995, Argel, Argélia, 1999, Luanda, 2001, Casablanca, Marrocos, 2003, Alexandria, Egipto e 2005, Argel, Argélia respectivamente. em 1987 e 1997, em Tunis, Tunísia,  e Dakar, Senegal, ficou com a medalha de bronze.

A nível nacional, o antigo extremo poste tem 11 títulos conquistados, sendo quatro ao serviço do Petro, um com ASA e seis com o 1º de Agosto. Ainda serviço do 1º de Agosto, Ângelo Victoriano conquistou duas Taça dos Clubes Campeões Africanos, e uma medalha de prata e outra de bronze na referida competição.           
M.C