Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Malick enaltece competitividade

Melo Clemente - 17 de Abril, 2015

Mohamed Malick é uma das apostas de Paulo Macedo para a final da Taça de Angola

Fotografia: M. Machangongo

Aos 21 anos de idade, Mohamed Cissé Malick, extremo, 92 kg, 1, 97, é hoje, um dos esteios da equipa principal de basquetebol do 1º de Agosto, conjunto que amanhã vai procurar conquistar o seu primeiro título da época desportiva 2014/2015, quando defrontar a partir das 19h00, no Pavilhão Principal da Cidadela Desportiva, o Recreativo do Libolo, para a decisão da final da 27ª edição da Taça de Angola.

Há sensivelmente dois anos no Clube Central das Forças Armadas Angolanas, Mohamed Cissé Malick, aos poucos vai se tornando numa verdadeira revelação na presente época desportiva na equipa rubro e negra.

Formado nas Formiguinhas do Canzenga, agremiação que nos últimos tempos tem colocado jovens nos mais variados clubes da capital, Mohamed Cissé Malik tem conquistado aos poucos o  espaço na formação militar.

Apesar do talento enorme que exibe, Cissé tem sido pouco utilizado pelo técnico Paulo Macedo, muito em função da competitividade existente no plantel do Clube Central das Forças Armadas Angolanas.

Ainda assim, o jovem jogador sente-se motivado para continuar a trabalhar para que num futuro muito breve posso conquistar o seu espaço.
Com uma técnica individual acima da média, Mohamed Cissé Malick é seguramente, dos poucos jogadores do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculino que consegue desequilibrar as defesas contrárias nas jogadas de um contra um, para além de ter boa percentagem nos lançamentos à longa distância.
Malick começou por agradecer os técnicos que muito contribuíram para o seu ingresso na equipa principal do 1º de Agosto.

“Antes de tudo, gostaria de agradecer ao Clube Formiguinhas do Cazenga equipa onde apreendi o ABC do basquetebol com os técnicos Eduardo Raul e João Paulo Formosa. Neste particular, gostaria também de enaltecer a figura do meu tio, Jacinto Pemba, que muito me ensinou sobre as técnicas individuais”.

Relativamente à presente época desportiva, onde tem merecido alguma confiança do técnico Paulo Macedo, Mohamed Malick afirmou “que vai continuar a trabalhar para mereceu mais oportunidades da equipa técnica”.

“Eu tenho estado a trabalhar ao máximo na presente época desportiva para poder ter a confiança do treinador e por via disso continuar a jogar. Como sabe, ingressei na equipa há sensivelmente dois anos, mas naquela altura, apesar de pertencer ao 1º de Agosto ainda cheguei a representar as cores dos Amigos de Viana”. 

O extremo de 21 anos de idade, 92 kg, 1, 97 de altura, reconheceu por outro lado, que foi extremamente difícil a integração no plantel principal da equipa militar, onde pontificam nomes como de Joaquim Gomes  “Kikas”, Reggie Moore, Felizardo Ambrósio, Armando Costa, Edmir Lucas, Roderick Nealy entre outros.

“É sempre difícil para qualquer jogador que decida representar as cores do 1º de Agosto, chegar, ver e vencer. O 1º de Agosto foi sempre e sempre será um dos maiores emblemas do nosso país, logo, apresenta os melhores jogadores, daí que, é sempre muito difícil para um jovem jogador que não tendo saído das escolas, integrar o plantel principal”, reconheceu Mohamed Malick. O extremo da equipa militar considerou salutar a luta que os grandes têm travado na presente temporada.
“Creio que temos assistido bons jogos de basquetebol não apenas ao nível das equipas que lutam pelo título nacional. Nós temos realizado o nosso trabalho porque a nossa meta é conquistar todos o troféus em que estivermos engajados”. 

Apuramento aos Jogos Olímpicos
“Angola pode conquistar o Afrobasket”


Apesar do núcleo duro da Selecção Nacional estar praticamente formado para a Campanha da Selecção Nacional de basquetebol em seniores masculino, que este ano vai em busca do passe de acesso aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, Brasil, em 2016, no Campeonato Africano das Nações da Tunísia, prova a decorrer de 19 a 30 de Agosto do ano em curso, o jovem Mohamed Cissé Malick também almeja constar no lote dos convocados do técnico espanhol, Moncho López.

“Todo e qualquer jogador sonha em representar a Selecção Nacional e eu, como é evidente, também almejo um dia representar as cores do meu país e se for já este ano ficaria muito feliz. Sou muito jovem e ainda tenho muito caminho a percorrer. Vou continuar a trabalhar de forma árdua no meu clube porque só desta maneira é que poderei chegar a Selecção Nacional”, reconheceu Mohamed Cissé Malick.

O extremo do 1º de Agosto mostra-se confiante na conquista do Afrobasket da Tunísia e consequentemente, marcar pela sétima vez a sua presença em Jogos Olímpicos, depois de Barcelona/1992, Espanha, Atlanta/1996, Estados Unidos da América, Sidney/2000, Austrália, Atenas/2004, Grécia, Pequim/2008, China e Londres/2012, Inglaterra.

“Hoje por hoje já não existem selecções fáceis. Por isso, teremos que encarar todos os jogos com maior responsabilidade. Vai ser o africano difícil porque só apura um representante aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. E tenho a certeza que vamos vencer o Afrobasket da Tunísia”, disse.
Angola vai disputar a fase preliminar do Campeonato Africano das Nações inserido no Grupo B, ao lado de Marrocos, oitavo classificado da última edição, Moçambique, sendo que a terceira selecção vai ser conhecida nos próximos tempos.
M.C

TAÇA DE ANGOLA
"Queremos vencer"


Depois de ter sido preterido no desafio da primeira mão das meias-finais da 27ª edição da Taça de Angola em que o 1º de Agosto venceu o Atlético Petróleos de Luanda, por 99-71, Mohamed Cissé Malick acabou por ser decisivo no prélio da segunda mão, em que a vitória voltou a sorrir para a equipa militar, por 106-93, tendo sido o segundo melhor marcador, com 16 pontos, contra 18 do Edmir Lucas.

Caso conste na lista dos convocados para a final de amanhã, marcado para as 19h00, no Pavilhão Principal da Cidadela Desportiva, frente ao Recreativo do Libolo, Malick tenciona dar o seu contributo à equipa que vai tentar arrebatar o seu primeiro troféu da época desportiva 2014/2015.

“Trabalho todos os dias para merecer a confiança da equipa técnica. Se for convocado para a final da Taça de Angola estarei disponível para dar o meu melhor em prol do grupo. Eu quando entro para a quadra é para ajudar os meus colegas, portanto, não me folgo em ser o melhor marcador. Vamos ter pela frente uma grande equipa, mas ainda assim, tudo faremos para vergarmos o Recreativo do Libolo".Na segunda mão das meias-finais da aludida competição, o jovem jogador actuou durante 22 minutos e 18 segundos e anotou 16 pontos, para além de ter conseguido dois ressaltos, um defensivo e outro ofensivo.

Nos lançamentos do três pontos, Mohamed Cissé Malick teve um aproveitamento de 100 por cento. Dos três lançamentos tentados converteu igual número.
Nos lançamentos livres fez seis em seis, 100 por cento, ao passo que no tiro dos dois pontos também esteve impecável, conseguiu uma percentagem de cem.            
 M.C