Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Marrocos é adversário no fecho da fase inicial

Silva Cacuti - 30 de Outubro, 2013

Angola está na última posição da tabela classificativa e perdeu as esperanças para defender o quarto lugar obtido em Marrocos

Fotografia: M.Machangongo

A selecção nacional defronta hoje a similar dos Marrocos com olhos virados para a fuga à cauda da primeira fase do IV campeonato africano de basquetebol em cadeira de rodas que decorre no país desde 26 de Outubro.

Irremediavelmente, a selecção nacional falhou o objectivo que era a manutenção do quarto lugar ou entrada para os lugares do pódio. Marrocos é uma equipa que, apesar de ter mais anos de prática da modalidade, tem-se mostrado irregular, tanto que apenas venceu a Nigéria, outra equipa, cuja experiência tem sido sabotada pelas condições difíceis que lhe são postas à disposição.

Se Raul Adriano, seleccionador nacional, conseguir a melhoria das percentagens do jogo de ontem, trouxer uma equipa mais concentrada, pode oferecer a primeira vitória aos adeptos. Marrocos é uma equipa que está ao alcance. Ontem, a equipa repetiu a dose e somou nova derrota por 35-83, para a África do Sul, no jogo que pontuou para a quarta jornada do campeonato.

Contra todas as expectativas, a equipa orientada por Raul Adriano tornou-se num saco de pancada, acessível a qualquer interessado. Na partida de ontem, a selecção nacional passou a papel químico todo o conjunto de erros que vem demonstrando desde o primeiro jogo. Falhas nos bloqueios defensivos e ofensivos, baixa percentagem em todo tipo de lançamentos e ainda pouca acutilância no aproveitamento das situações de contra-ataque, com superioridade numérica.

A equipa tremeu desde o início do jogo. O nome dos campeões continentais e o facto de já terem defrontado os sul-africanos pesou em demasia. O primeiro turno foi o pior, com apenas cinco pontos a serem concretizados pela equipa angolana. Ao intervalo, a Selecção Nacional tinha concretizado apenas 17 pontos, contra 41 dos adversários.
A Selecção Nacional esboçou melhorias defensivas à entrada do segundo turno do jogo, mas, logo a África do Sul reassumiu o domínio.

Embora nalguns movimentos a selecção nacional tenha denotado mais rapidez que os adversários, a experiência dos campeões continentais era visível no momento da finalização.
O jogo foi disputado, quase sem assistência, devido à chuva que se abateu sobre a capital. A partir do momento em que se apercebeu das facilidades cedidas por Angola, Frank Blen começou a projectar o duelo de hoje, que vai ser decisivo para a sua equipa, já que vai defrontar a outra equipa favorita, Argélia, que também mantém a invencibilidade, após quatro jornadas.

O técnico sul-africano descansou as suas principais unidades e deu tempo de jogo a atletas que não são preponderantes na manobra da sua equipa.
Para a selecção nacional resta vencer hoje os marroquinos para conhecer o sabor de uma vitória caseira.

ENTRE LÍDERES
África do Sul e Argélia disputam liderança

A Argélia e a África do Sul decidem a liderança da fase regular da IV edição do Campeonato Africano de basquetebol em cadeira de rodas, com palco em Luanda até dias 2 de Novembro próximo, quando, a partir das 16h15 entrarem para a quadra do pavilhão da Cidadela Desportiva em disputa da quinta jornada. Uma partida aguardada com grande ansiedade pelo público, em função do excelente nível com que ambos os planteis se tem exibido nas quatro jornadas disputadas, tendo cada um dele obtido o mesmo número de vitórias, facto que lhes atribui a condição das equipas mais cotadas na competição.

Os sul-africanos, orientados pelo técnico Frank Blen, entram com maior pressão para o desafio na qualidade de defensores do título, arrebatado no Reino do Marrocos em 2011 diante dos argelinos que, não obstante terem estado ausentes na última edição, estão a dar cartas com brilharetes diante dos considerados “fortes” como foi o caso do Marrocos, detentor da prata e o Egipto, medalha de bronze.

O técnico Argelino, Meddour Toufik, deixou clara a sua intenção de levar de vencida a partida frente a equipa do seu homólogo sul-africano, Frank Blen, ao frisar que a equipa está na prova para lutar pela melhor classificação. Meddour reconhece a experiência do adversário ao dizer que “a equipa deve manter a serenidade, sobretudo, nos minutos mais delicados”. “Só assim voltaremos a sair triunfantes”, disse.

Por seu turno, Frank Blen sente-se satisfeito por ter garantido a presença na fase seguinte. O sul-africano acrescenta: “Daqui para frente as dificuldades vão aumentar porque somos o alvo a bater. Estamos conscientes disto e não vamos ficar parados”, disse.
HELDER JEREMIAS