Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Marroquino enaltece potencial de Angola

Melo Clemente - 13 de Setembro, 2017

Os jogadores são bem dotados tecnicamente, tacticamente e fisicamente.

Fotografia: kindala Manuel| tunís | Edições Novembro

O técnico principal de Marrocos, Said El Bouzidi, enalteceu o potencial da Selecção Nacional de basquetebol em seniores masculinos, que na Tunísia procura alcançar o seu décimo segundo anel continental.Apesar de vencer os hendecacampeões africanos ainda no Grupo B da fase preliminar da 29ª edição do Campeonato Africano das Nações da \"bola ao cesto\", partida disputada em Dakar, capital senegalesa, o técnico marroquino não deixou de tecer rasgados elogios à Selecção Nacional que vai defrontar nos quartos-de-final a similar do Senegal.

\"Penso que o potencial do basquetebol angolano é inquestionável. Aliás, não é por acaso que dominam o continente há mais de vinte anos. Os jogadores são bem dotados tecnicamente, tacticamente e fisicamente\", começou por enaltecer o seleccionador de Marrocos.A vitória conseguida sobre o seleccionado angolano por 60-53 foi algo surpreendente para os marroquinos, razão pela qual festejaram de forma eufórica, como de um título africano se tratasse.

\"Não são todos os dias que se vergam selecções como Angola. Em quase quarenta anos, conseguimos a nossa segunda vitória frente a selecção de Angola, daí termos festejados de forma tão entusiástica. Honestamente falando, não contávamos vencer Angola, porque é uma grande equipa\", reconheceu o técnico Said El Bouzidi.

Questionado sobre os métodos que usou para suplantar os hendecacampeões africanos, o técnico marroquino afirmou que \"teve de apostar numa defesa coesa\".\"Nós soubemos o potencial da Selecção de Angola daí termos apostado numa boa defesa, e para a nossa satisfação conseguimos anular as suas principais unidades. Portanto, foi um jogo bem conseguido\", reconheceu o técnico de Marrocos.
Said El Bouzidi assumiu por outro lado, a luta pelo título africano que está em posse da Nigéria.

\"Estamos aqui para lutar com os grandes do basquetebol do nosso continente. E tudo vamos fazer no sentido de conseguirmos arrebatar o troféu continental\", prometeu.Ao finalizar, o técnico marroquino apontou o combinado nacional como um dos fortes candidatos à conquista do título da 29ª edição do Campeonato Africano das Nações da \"bola ao cesto\".

Problemas de saúde
Victorino Cunha evacuado de emergência 
 

O categorizado técnico angolano de basquetebol, Victorino Cunha, foi segunda-feira evacuado de emergência para Lisboa, Portugal, devido a problemas de saúde. O tricampeão africano com a selecção principal foi um dos convidados VIPs da direcção do órgão reitor da modalidade no país encabeçado por Hélder Martins da Cruz \"Maneda\", para testemunhar a fase final da 29ª edição do Campeonato Africano das Nações, vulgo Afrobasket, competição que pela primeira vez foi sediada por dois países.

Victorino Cunho, considerado um dos precursores da modalidade no país, sentiu-se mal no último fim de semana e foi assistido numa das unidades hospitalares da cidade de Dakar, onde recebeu os primeiros socorros.Acompanhado de Jean Jacques da Conceição, o seu antigo pupilo na Selecção Nacional e 1º de Agosto, o professor Victorino Cunha seguiu viagem na última segunda-feira para Lisboa, capital lusa, onde dará seguimento ao seu tratamento médico.

Novatos
Leandro supera os concorrentes


Dos três atletas que disputam pela primeira vez um Campeonato Africano das Nações, nomeadamente, Gerson Gonçalvez, extremo base, Sílvio Sousa, extremo poste, e Leandro da Conceição, extremo base, este último foi o atleta que consumiu maior tempo de jogo dado pelo seleccionador nacional, Manuel Silva \"Gi\".

Nas três partidas que disputou até aqui, o filho do antigo internacional angolano, Jean Jacques da Conceição, está com uma média de 18, 8 minutos por cada desafio.O \"norte-americano\" Sílvio Sousa está com uma média de 13, 5, seguido de Gerson Gonçalves, com uma média de 10, 3 minutos por cada partida.

Por sua vez, o tetra campeão africano, Carlos Morais, foi o atleta mais utilizado, com 30,6, seguido de Olímpio Cipriano, Armando Costa, Reggie Moore, Felizardo Ambrósio \"Miller\", Eduardo Mingas, Yanick Moreira, Leonel Paulo e Roberto Fortes, com 24, 9, 20, 8, 19, 8, 17, 2, 16, 15, 2, 14, 5 e 10, 8 minutos, respectivamente.