Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Militares superam encarnados na Cidadela

Juscelino da Silva - 10 de Março, 2018

Eduardo Mingas foi o cestinha e ressaltador do jogo

Fotografia: Paulo Mulaza|Edies Novembro

Em partida equilibrada nos dois primeiros quartos, o 1º de Agosto venceu ontem, na Cidadela Desportiva, com direito a chapa cem, o Sport Libolo e Benfica por 104-86 em partida da terceira jornada da terceira volta do Unitel Basket 2017-2018. Com Eduardo Mingas inspirado, os militares do Rio Seco empenharam-se a fundo para lograr a vitória nos dois últimos quartos. Enfrentaram um grupo moralizado, depois de encaixarem uns \"trocos atrasados\" dos contratos.
Perante uma casa quase cheia e emprestada, o 1º de Agosto confirmou os dois pontos no último quarto, quando o Sport Libolo e Benfica perdeu as forças para acompanhar a dinâmica militar. Pedro Bastos, o irrequieto dos encarnados, perdeu o fôlego para manter o equilíbrio com Eduardo Mingas.
Na etapa inicial, o 1º de Agosto ncomeçou com Armando Costa, Eduardo Mingas, Manuel Quezada, Muto Fonseca e Mohamed Cissé. O quinteto militar encontrou um grupo coeso formado por Francisco Sousa, Divaldo Mbunga, Pedro Bastos, Benvindo Quimbamba e  eotónio Dó. O equilíbrio foi a nota dominante.
Com nota mais para o 1º de Agosto, as equipas apresentaram bons argumentos técnicos para levar a melhor. Os rubros-negros foram mais consistentes no jogo interior, com o poste Eduardo Mingas a ser a unidade de maior destaque no desafio. Os militares dominaram o primeiro quarto da partida e venceram apertadamente por 23-22.
O equilíbrio manteve-se no segundo quarto. Eduardo Mingas, pelo 1º de Agosto, e Pedro Bastos, pelo Libolo, eram as unidades quemais se destacavam na quadra. Os \"carregadores de piano\" tiveram sortes diferentes no acompanhamento das jogadas.
Do lado militar, Eduardo Mingas contou com apoio do norte-americano Manuel Quezada. O base foi fundamental na estratégia definida por Paulo Macedo. Na equipa de Cuanza Sul, Pedro Bastos contou com a sua experiência. Os colegas estavam longe das exigências do jogo. Ao intervalo, o placard contava 49-42 favoráveis ao 1º de Agosto.
No reatamento, foi visível a falta em campo dos norte-americanos do Sport Libolo e Benfica, mormente, o base Jakel Foster e o  extremo-poste Andre Harris.
A equipa de Calulo perdeu a \"pujança\" e precisava de novas forças para forçar o equilíbrio. Sem solução, os meninos de Raul Duarte entregaram o jogo aos militares, bem comandados por Eduardo Mingas, quer no ataque quer na defesa. O menino da Lunda Norte era dono e senhor de ressaltos.
No último quarto, o 1º de Agosto dilatou o resultado para dois dígitos. A diferença pontual deixou conformada a equipa militar. O treinador Paulo Macedo privilegiou a gestão de tempo para alcançar mais uma chapa cem na competição. No final o resultado foi de 104-86.
Com 31 pontos, Eduardo Mingas foi o cestinha do jogo e melhor ressaltador com 18. No Sport Libolo e Benfica, Pedto Bastos foi o marcador de serviço com 20 pontos.


JOGOS PARA HOJE
Marinha e ASA
ajustam contas

Sem grande fulgor, o Unitel Basket 2017-2018 faz disputar hoje quatro partidas da terceira jornada da terceira volta, em que o destaque recai para o jogo entre a Marinha de Guerra e o Atlético Sport Aviação, às 16h00, no Arena do Kilamba. Os marinheiros estão com motivação alta, depois de cilindrarem com derrotas pesadas os aviadores nas duas voltas anteriores. A probabilidade de somar a terceira vitória sobre o ASA é alta. Os aviadores atravessam momentos difíceis, mesmo com a eleição de novo presidente. Os ajustes nos contratos "fazem mossa" na relação entre a direcção e os jogadores. O baixo nível psicológico favorece os marinheiros de Walter Costa.
Noutros jogos, às 17h00, no Arena Kilamba, a Universidade Lusíada recebe o 1º de Agosto, líder da prova. A derrota dos estudantes é uma questão indubitável.
Às 18h00, no Dream Space, o Sport Libolo e Benfica joga com Vila Clotilde. Os anfitriões entram na partida com a dose de favoritismo pelo factor casa e qualidade de atletas. O senão pode comprometer os libolenses: os contratos com os atletas. O grito de "socorro" vem de todo o plantel, o que pode facilitar aos jovens do bairro Maculusso.
Na última partida do dia, o Petro de Luanda recebe às 20h00, no Arena do Kilamba a Academia Helmarc. A vitória dos petrolíferos é inquestionável pelo plantel e a organização contratual do grupo. O mesmo não acontece com os adversários. Questões contratuais
ainda fazem "barulho".
JUSCELINO DA SILVA