Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Mãos à obra

Melo Clemente - 14 de Novembro, 2017

Selecção Nacional de basquetebol

Fotografia: Jornal dos Desportos/ Edições Novembro

O novo seleccionador dos hendecacampeões africanos, Will Voigt, vai trabalhar de forma intensa esta semana, a fim de escolher os doze (12) atletas que vão representar a Selecção Nacional de basquetebol em seniores masculinos na primeira mão da primeira eliminatória para a Copa do Mundo da China, em 2019, prova a decorrer de 24 a 26 do mês em curso, no Pavilhão Arena do Kilamba, em Luanda.
Depois de ter sido apresentado oficialmente sábado último, numa das salas de reuniões da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), sita no Complexo da Cidadela Desportiva, em conferência de imprensa, o substituto de Manuel Silva "Gi" começou ontem a executar no Pavilhão 28 de Fevereiro, o plano de preparação, rumo ao apuramento a Copa do Mundo de 2019, competição a disputar-se de 31 de Agosto a 15 de Setembro, na República Popular da China.
Ontem, na primeira e única sessão de treino, que teve início as 10h00 e terminou por volta das 13h50 minutos, o técnico norte-americano, de 41 anos de idade, contou com a presença de dezassete (17) atletas dos vinte e quatro convocados inicialmente para a primeira etapa da "operação" China 2019.
Trata-se de Edson Ndoniema, Reggie Moore, Teotónio Dó, Gerson Domingos, Edmir Lucas, Islando Manuel, Roberto Fortes, Mohamed Malick Cissé, Miguel Kiala, Ngombo Rogério, Carlos Cabral, Eduardo Mingas, Fidel Cabita, Alexandre Jungo, Leandro Conceição, Gerson Gonçalves "Lukeny" e Sebastão Quicuame, este último foi chamado a última hora a fim de integrar os trabalhos da pré-selecção nacional, elevando deste modo para vinte e cinco o número de pré-convocados.
Leandro Conceição, base que esteve ao serviço da Selecção Nacional na fase final da 29ª edição do Campeonato Africano das Nações de 2017, prova disputada no Senegal e Tunísia, respectivamente, apesar de ter marcado presença ontem na primeira sessão de treino do cinco nacional não treinou-se com o grupo, devendo fazê-lo apenas hoje, na sessão nocturna, a realizar-se no Pavilhão Anexo número II da Cidadela, segundo fez saber o fisioterapeuta António Sousa Manuel.
O jovem jogador teve um desarranjo intestinal na semana passada e recebeu do seu clube (1º de Agosto) um repouso que terminou ontem.    
Entretanto, dos atletas militam no basquetebol doméstico destaque para as ausências de Olímpio Cipriano, Felizardo Ambrósio "Miller", Leonel Paulo e Hermenegildo Mbunga.
Durante três horas e 50 minutos, o norte-americano ao serviço da Selecção Nacional trabalhou de forma intensa os aspectos ofensivos, onde era privilegiado  a circulação da bola em todas as áreas de jogo, sem descurar a componente defensiva.
O novo comandante dos hendecacampeões africanos repartiu o grupo em três, tendo realizado jogo treino, onde a intervenção do seleccionador era quase que sistemático para a correcção dos posicionamentos  ofensivos.
Alberto Babo e Zé Guião, ambos treinadores do Grupo Desportivo Interclube, auxiliaram o selecção nacional na primeira sessão de treino.
No final da sessão de treino, Will Voigt, enalteceu a entrega da sua rapaziada, tendo assumido que nesta altura luta contra o factor tempo.
"Foi o primeiro contacto que tive com os jogadores pré-convocados e creio que foi um treino bastante proveitoso. Existe uma predisposição por parte de todos atletas e isto bom para nós que pretendemos formar um grupo bastante coeso.  Vamos continuar a trabalhar de forma árdua porque não temo muito tempo para esta primeira eliminatória", reconheceu Will Voigt.
Nesta primeira eliminatória, o cinco nacional vai defrontar as congéneres da República Democrática do Congo, Marrocos e Egipto.
Carlos Morais, Yanick Moreira e Valdelício Joaquim devem escalara a capital do país, Luanda, no início da próxima semana, segundo apurou o Jornal dos Desportos de fonte federativa.

Operação China
Regressos e estreias marcam convocatória

Os regressos de Edson Ndoniema, Islando Manuel, Edmir Lucas, Mohamed Malick Cissé, Gerson Domingos, Teotónio Dó, Valdelício Joaquim, Alexandre Jungo, Carlos Cabral para além das estreias absolutas de José Salvador, Ngombo Rogério  e Sebastião Quicuame marcam sem sombras de dúvidas, a primeira "convocatória" do novo seleccionador nacional dos hendecacampeões africanos, Will Voigt, que projecta a participação do cinco nacional na fase final da Copa do Mundo de 2019, prova a decorrer na República Popular da China.
Entre os regressados, destaque para Edson Ndoniema, extremo base, e Islando Manuel, extremo, Valdelício Joaquim, poste, atletas que foram campeões africanos em 2013, em Abidjan, capital da Costa do Marfim, com o técnico angolano Paulo Macedo. Edson Ndoniema e Islando Manuel falharam a fase final da 29ª edição do Campeonato Africano das Nações, vulgo Afrobasket, de 2017, por opção técnica, do antigo seleccionador nacional, Manuel Silva "Gi", ao passo que Valdelício Joaquim tinha sido afastado do grupo por motivos disciplinares.
Já o jovem Carlos Cabral, base, regressa a uma pré-selecção nacional, depois de ter sido convocado pelo técnico Carlos António Dinis, para o Torneio Pré-olímpico da Sérvia.
Entretanto, 1º de Agosto, Grupo Desportivo Interclube e Sport Libolo e Benfica foram as formações que mais atletas forneceram a Pré-Selecção Nacional, com oito, seis e cinco jogadores, respectivamente.
Eis os vinte e cinco atletas "convocados" pelo seleccionador nacional, Will Voigt, para "operação" China 2019: Edson Ndoniema, Carlos Cabral, Leandro Conceição, Mohamed Malick Cissé, Islando Mnuel, Felizardo Ambrósio "Miller", Eduardo Mingas e Sebastião Quicuame (1º de Agosto); Edmir Lucas, Gerson Gonçalves "Lukeny" e Leonel Paulo (Petro de Luanda), Reggie Moore, Olímpio Cipriano, Roberto Fortes, Teotónio Dó e Hermenegildo Mbunga (Sport Libolo e Benfica), Fidel Cabita, Ngombo Rogério, Alexandre Jungo, José Salvador e Gerson Domingos (Interclube), Carlos Morais (Sport Lisboa e Benfica), Yanick Moreira ( Parma Basket), Valdelício Joaquim (Obras Sanitárias).

GRUPO A
First Bank bate Victory Club
e assume a segunda posição

A equipa do First Bank da Nigéria está mais próxima de carimbar o passe para a segunda fase da Taça do Clubes Campeões Africanos em basquetebol sénior feminino, em face da vitória alcançada ontem, no Pavilhão Arena do Kilamba, frente a similar do Victory Club do Congo Democrático, por 76-64, em partida referente a terceira jornada do Grupo A.
As duas equipas apresentaram satisfatórios níveis de entrosamento nos esboço dos diagramas tácticos, de maneira que a nota dominante da partida se pautou pelo equilíbrio, mas foram as nigerianas do First Bank que melhor souberam explorar as debilidades do adversário, tirando proveito de alguma superioridade na luta de baixo da tabela, situação que favorecia uma sequência de finalizações por parte de Nkechi Akashilli, cestinha da partida, com 21 pontos, Dominique Wilson, 17 e Priscila Udeaja a totalizar 12.
O Victory Club do Congo, apesar de nunca ter liderado o marcador efectuou 18 turnover, contra 17 do First Bank, teve melhor percentagem nos lançamentos livres, 54 por cento, contra 50 por cento do First Bank. A equipa congolesa teve como atletas mais produtivas Maweja  Kipanga, Hoangi Kabobo, ambas a com 15 ontos e Matokio Ngobeleza que completou a sua marca em 10.
O primeiro quarto foi o mais equilibrado, em que o First Bank começou a vencer por um parcial de dois potos (6-8), tendo mantido a mesma percentagem no tempo que se saldou em 12-16. No segundo período, as nigerianas abriram uma vantagem de 16-28 e fora para o intervalo a vencer por 26-36.
O reatamento da partida apresentou um Victory Club mais esclarecido no ataque e reduziu a vantagem para três pontos (37-40), mas não foram capazes de virar o resultado a seu favor quando o placar ficou registrado com o parcial de 14 pontos a favor do Firts Bank (42-56).  As congolesas viram-se impotentes de impedir a fuga das nigerianas, em função da desconcentração  nos momentos decisivos do quarto derradeiro, ao permitirem que o First Bank estabelecesse o resultado a seu favor (51-63) e vencesse a partida com 12 favoráveis (64-76).
Com o resultado o First Bank assumiu o segundo lugar do Grupo B, com quatro pontos, atras do Interclube que lidera a prova com seis, ao passo que o Victory Clube averbou a segunda derrota. O Victory Clube do Congo volta a jogar hoje diante do Equity Bank do Quénia e o First Bank da Nigéria defronta o Groupement Sportif da Argélia.

INTER ASSEGURA
QUARTOS-DE-FINAL
O Interclube carimbou o passe para os quartos-de-final da 23 ª edição da Taça dos Clubes Campeões da “bola ao cesto”, mercê da vitória, ontem à noite, no Pavilhão Arena do Kilamba, por expressivos 99-30, diante da formação queniana do Equity Bank, em partida pontuável para a terceira jornada, quando ao intervalo já vencia por 47-14.
Diante de um adversário, de longe, inferior, as senhoras da Polícia jogavam ao seu belo prazer, de modo que a equipa técnica, liderada pelo experiente Apolinário Paquete, aproveitou para fazer rodar todo o plantel em antecâmara para as partidas mais exigentes que, de certeza, terá de enfrentar a partir de amanhã, diante do First Bank da Nigéria, em jogo referente última jornada do grupo A.
A quenianas tinham em mente que cruzar com as detentoras do título na faze preliminar da competição seria uma “penalização”, no entanto nunca baixaram a guarda e procuraram impedir uma derrota mais dilatada com recurso a uma defessa homem a homem, muitas vezes facilmente ludibriada pelo ataque incisivo da formação  da Polícia.
Helder Jeremias

Taça de Clubes
1º de Agosto procura segundo triunfo


A partida entre o 1º de Agosto e o Ferroviário de Maputo, marcado para às 19h00, no Pavilhão Arena do Kilamba, será a principal atração da quarta jornada, Grupo B, da Taça dos Clubes Campeões Africanos em basquetebol sénior feminino que a capital do país, Luanda, acolhe de 11 a 19 do mês em curso.
As duas equipas se estrearam com vitória domingo último, tendo a equipa moçambicana aproveitado o desfalque no seio da formação congolesa democrática do DCMP para arrancar o seu primeiro triunfo, por 67-38, ao passo que as senhoras do Rio Seco impuseram a sua supremacia diante da sua similar do Kenya Ports Authority com os favoráveis 75-43.
Cientes da necessidade de chamar a si a conquista dos dois pontos, as duas equipas aproveitaram a folga de ontem, por imperativos de calendarização, para corrigir eventuais falhas que tenham chamado a atenção das respectivas equipas técnicas, sem descurar a necessidade de observar, com atenção, o vídeo do jogo do adversário, de formas a averiguar a movimentação do adversário na quadra de jogo.
Com uma equipa rejuvenescida e a praticar um basquetebol fluido, o 1º de Agosto tem ainda a vantagem de jogar diante do seu público, mas as comandas de Jaime Covilhã sabem que a equipa do Índico sempre foi um dos adversários que mais esforços exigiu nas várias vezes em que mediram forças na maior montra do basquetebol continental ao nível de clubes, pelo que todas as cautelas serão tidas em conta para evitar um desaire.
Jaime Covilhã e Jaqueline Francisco gozam de alguma tranquilidade, tendo em conta que, apesar de a equipa ainda estar a ganhar ritmo competitivo, já foi possível notar que as suas unidades mais influentes se encontram em plena forma desportiva, tal como são os casos da moçambicana Leila Dongue, a norte-americana, Alicia Devaoughn, a internacional angolana, Rosa Gala, entre outras que se evidenciaram pelo poder de finalização no jogo de estreia.
A experiência da base Finesa Eusébio deverá servir para transmitir maior confiança as menos experimentadas, entre as quais Isabel Simba e Helena Viega, que contam ainda com o apoio das influentes Luísa Tomas, Avelina Peso, Ana Gonçalves e Sónia Ndoniema com as quais a formação o clube militar acredita aposta todas as suas “cartas” com o propósito de resgatar o troféu maior para a sua galeria.
O Ferroviário de Maputo, às ordens do experiente professor de nacionalidade espanhola, Joseba Garcia, já deu indícios de que tem um plantel muito disciplinado, no qual perfilam nomes como Eleuteria Lhavanguane, Odélia mafanela, Rute Muianga, Deolinda Gimo, Ana Jaime, entre outros grandes nomes que têm passado classe nas quadras continentais com as cores do clube e pela seleção do irmão país do Índico. 
Tudo indica que o Africano de Clubes começa a atingir hoje momentos de maior intensidade, numa jornada que inicia às 12h15, com o Kenya Ports Authority e o DCMP do Congo Democrático a abrirem as hostilidades, seguindo-se do aliciante Equity Bank do Quénia- Victory Club do Congo Democrático, às 14h30 e o prélio entre o Groupement Sportif da Argélia- First Bank da Nigéria.