Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

NBA envia propostas de mudanças

10 de Agosto, 2017

Willy Hernangomez e o calouro francês Frank Ntilikina, o cunhado de Obama vai ter a função bem estratégica numa equipa que precisa encontrar uma identidade na NBA.

Fotografia: AFP

O calendário da NBA ainda não foi divulgado, mas muita gente está numa expectativa elevada. Antes de anunciá-lo, a liga precisa de algumas aprovações das equipas. A liga enviou às 30 formações um memorando com as propostas de mudanças no calendário, de acordo com a ESPN americana.

A principal motivação da direcção comandada pelo comissário Adam Silver é evitar que as equipas poupem jogadores, como tem acontecido nos últimos anos, o que causa o verdadeiro pânico nas emissoras que exibem as partidas e também nos adeptos que pagam caríssimos para ver os seus ídolos maiores e são surpreendidos com anúncios 24h antes de que (os craques) não vão jogar.

Entre as principais medidas estão a extensão da época regular em uma semana (início na primeira semana de Outubro), o fim da insanidade que eram quatro jogos em cinco noites, 40 Back-to-Back a menos (embates em dias seguidos), 17 porcento a menos de viagens para apenas um duelo e aumento de 4 por cento no número de partidas nos finais de semana (antes a NBA evitava sábados e domingos para evitar o choque de audiência com o futebol americano).

A ideia é dar cada vez menos argumentos às comissões técnicas para poupar os seus atletas, evitar perdas financeiras para as equipas (em contratos com televisões e venda de ingressos sobretudo) e queda na reputação da NBA. Vale lembrar que na época passada em alguns jogos do sábado à noite, horário nobre da TV americana, as equipas pouparam atletas e ajudaram a derrubar as audiências da ABC, a principal parceira de comunicação da NBA.

As 30 equipas, agora, precisam aprovar o documento enviado pela NBA e o preliminar calendário também encaminhado pela liga às equipas na semana passada (as equipas podem solicitar pequenas mudanças). Pela primeira vez na história, a Associação de Atletas também vai revisar as medidas e as datas, dando também a sua chancela antes da divulgação oficial. A expectativa é que até o final do mês corrente, a NBA anuncie o calendário completo.

NBA
Cunhado
de Obama reforça
New Y.Knicks

Em péssima fase na NBA, o New York Knicks, que não se classifica para os play offs há quatro épocas, tem tentado fazer uma verdadeira revolução nas suas fileiras. Depois de ter mandado embora Phil Jackson, o manda-chuva do basquetebol, a equipa contratou Steve Mills como vice-presidente de operações, Scott Perry como gerente-geral e Gerald Madkins como executivo.

Dentro de quadra, veio apenas Tim Hardaway JR, ex-jogador do próprio Knicks que regressa após anos sem muito brilho com o Atlanta Hawks. Por isso, a notícia que surgiu ontem foi encarada pela imprensa nova-iorquina com uma mistura de brincadeira e de realidade.

O reforço com nome mais conhecido da equipa de Nova Iorque para a próxima época chama-se Craig Robinson, cunhado do ex-presidente norte-americano Barack Obama (este, adepto fanático do Chicago Bulls) e que vai ser o responsável pelo desenvolvimento dos jovens atletas do elenco.

Craig é o irmão mais velho de Michelle, esposa de Obama, e o responsável por organizar os já famosos jogos de basquetebol de Barack durante as duas campanhas presidenciais que culminaram com vitórias do democrata nos EUA. Aos mais próximos, Obama costuma dizer que Robinson é a pessoa para quem liga, quando quer conversar sobre basquetebol.

Craig foi assistente-técnico da Universidade de Northwestern entre 2000 e 2006, treinador principal da faculdade de Brown de 2006 a 2008 e comandante de Oregon entre 2008 e 2014. No mesmo ano, tornou-se comentarista da ESPN e desde a época passada exercia a mesma função para a qual foi contratado pelo Knicks no Milwaukee Bucks.

Com jovens jogadores como Kristaps Porzingis, Tim Hardaway Jr., Willy Hernangomez e o calouro francês Frank Ntilikina, o cunhado de Obama vai ter a função bem estratégica numa equipa que precisa encontrar uma identidade na NBA.