Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ndoniema fora das contas de \\\"Gi\\\"

Melo Clemente - 22 de Julho, 2017

Angola tem como objectivo reconquistar o título africano perdido em 2015, na Tunísia, à favor da Nigéria.

Fotografia: Jornal dos Desportos! Edições Novembro

O seleccionador nacional de basquetebol em seniores masculinos, Manuel Silva \"Gi\", definiu ontem, logo após a sessão matinal de treinos, realizado no Pavilhão Arena do Kilamba, os catorze basquetebolistas que seguem viagem na próximo terça-feira, dia 25, para a República Popular da China, palco do torneio internacional. A exclusão do extremo base do 1º de Agosto, Edson Ndoniema, acabou por ser a principal novidade da primeira triagem.

Trata-se de Armando Costa, Heremenegildo Santos, Roberto Fortes, Carlos Morais, Leandro da Conceição, Gerson Gonçalves \"Lukeny\",  Olímpio Cipriano, Leonel Paulo, Reggie Moore, Felizardo Ambrósio \"Miller\", Yanick Moreira, Milton Barros, Sílvio Sousa e Eduardo Mingas.

Aos atletas acima referenciados, juntar-se-á o jovem Bruno Fernando, atleta que milita do IMG Academy dos Estados Unidos da América, jogador que falhou à fase final do Campeonato do Mundo de Sub-19, prova que terminou recentemente no Cairo, capital política do Egipto, devido a exames escolares, elevando para quinze o número de jogadores que vão participar no torneio internacional da China, competição que arranque no dia 29 do mês em curso.

Entretanto, ficaram de fora nesta primeira triagem os seguintes atletas: Pedro Bastos, Edson Ndoniema, Teotónio Dó, Gerson Domingos e Alexandre Jungo. Valdélicio Joaquim, extremo poste do Recreativo do Libolo e da Selecção Nacional, foi o primeiro atleta a ser afastado por indisciplina.

No torneio internacional, Angola vai competir  ao lado das selecções da China, Nova Zelândia e Lituânia, respectivamente, partidas enquadradas no âmbito da sua preparação, visando a sua participação na fase final do Campeonato Africano das Nações de 2017, vulgo Afrobasket, competição  a ser coorganizado pela Tunísia e Senegal, de oito a 16 de Setembro do ano em curso.

Angola vai realizar em princípio um estágio pré-competitivo no Reino de Espanha, antes de rumar para Dakar, Senegal, onde vai disputar a fase preliminar do Afrobasket 2017, inserido no Grupo B, ao lado da República Centro Africana, Marrocos e Uganda, respectivamente.

Nigéria, campeã africana em título, lidera o Grupo A, juntamente com as selecções da República Democrática do Congo Mali e Costa do Marfim, ao passo que a Tunísia figura no Grupo C, juntamente com a Guiné, Rwanda e Camarões. Já no Grupo D, estão as selecções do Senegal, Moçambique, Egipto e África do Sul. Angola tem como objectivo reconquistar o título africano perdido em 2015, na Tunísia, à favor da Nigéria.

AFRICANO
Mali e Egipto
lutam pela cora

As selecções do Mali e do Egipto defronta-se hoje, a partir das 17h00, nas Ilhas Maurícias, para a final do Campeonato Africano das Nações de Basquetebol masculino, vulgo Afrobasket, na categoria de Sub-16. Ontem, para as meias-finais da referida competição, os malianos que continuam invictos na prova vergaram os argelinos, por 62-72, ao passo que o Egipto venceu com toda a naturalidade a similar da Tunísia, por 86-45.

Ainda ontem, para as classificativas do quinto ao oitavo lugares, o Rwanda bateu a selecção de Moçambique, por 67-33, ao passo que o Madagáscar cilindrou a formação caseira (Ilhas Maurícias), por 13-125. Tunísia e Argélia lutam pelo terceiro lugar, a partir das 14h30 minutos. Madagáscar e Rwanda disputam hoje as classificativas do quinto lugar, às 12h15 minutos, enquanto Moçambique e Ilhas Maurícias vão lutar pelo sétimo posto, às 10h00.                                                         
M.C.