Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Norberto enaltece o empenho do colectivo para a conquista

Hélder Jeremias - 19 de Maio, 2014

Libolenses festejaram sábado no pavilhão Victorino Cunha o segundo título no campeonato nacional da bola ao cesto

Fotografia: MOTA AMBRÓSIO

O técnico principal do Recreativo do Libolo, Norberto Alves, considerou a conquista antecipada da XXXVl edição do campeonato Nacional de Basquetebol sénior masculino, como o resultado do esforço do colectivo de jogadores, dirigentes e do apoio moral da sua família.A formação de Calulo conquistou antecipadamente o título do Bai Basket mercê da vitória tangencial sobre o 1º de Agosto(88-87) em partida da décima jornada da "Final Four", disputada sábado à noite, no pavilhão Vitorino Cunha, em Luanda.

O técnico viveu momentos de grande emoção no final do jogo que o consagrou campeão nacional, no primeiro ano do seu contrato com a equipa do Cuanza Sul e não foi capaz de conter as lágrimas. Para além disso, a retirada do título da equipa militar traduz-se num feito de grande relevância para a ficha de serviço de qualquer treinador na maior competição da bola ao cesto à escala nacional.

"Sempre acreditei no trabalho, com base nas condições de serviço disponíveis e agradeço a todos os membros do clube que me receberam bem, em particular o presidente", afirmou reforçando o desejo de continuar a trabalhar em prol da elevação da equipa para patamares mais elevados, mais concretamente na próxima Taça dos Clubes Campeões Africanos, Taça Compal, entre outras. Depois de na fase regular ter denotado pouca consistência no entrosamento entre as sua unidades mais influentes, com destaque para Olímpio Cipriano, Carlos Morais e Eduardo Mingas, a equipa de Calulo entrou para a fase de grupos mais esclarecida e melhor determinada na final a quatro.

Com um total de 942 pontos marcados e 812 sofridos, o Libolo regressa hoje ao trabalho com os olhos fixos na 11ª jornada do "nacional", para  defrontar  amanhã, a partir das 18h00, no pavilhão do Dream Space , em Kikuxi, o Petro de Luanda, formação que sábado venceu o Interclube por 92-80 e que mantém a terceira posição na tabela classificativa com 14 pontos. Paulo Macedo reconheceu o esforço dos seus atletas, mas deixou claro que houve falta de serenidade na fase derradeira. "O adversário conseguiu dar a volta por cima", acrescentou.

O técnico da equipa militar sublinhou o facto das duas equipas terem feito "uma partida digna do palmarés do basquetebol nacional" e disse que o trabalho vai continuar no sentido de "dignificar as cores do clube" até ao final do campeonato, no qual restam os confrontos com o Interclube (quarto classificado, com 11 pontos), amanhã no pavilhão 28 de Fevereiro e contra o Petro de Luanda, sexta-feira no pavilhão principal da Cidadela Desportiva.

Libolo
Carlos Morais
promete continuar


O extremo Carlos Morais foi feliz no seu regresso ao Recreativo do Libolo, ao conquistar o título nacional de basquetebol sénior masculino na presente época. Depois da consagração, o atleta afirmou que vai continuar no conjunto de Calulo na próxima época.De acordo com o MVP do Afrobasket2013, que esteve a fazer testes na NBA, na próxima temporada  volta a representar o Libolo, por  tratar-se de um clube ganhador.“Sinto-me bem neste grupo de trabalho e pretendo continuar”, salientou, dedicou  a conquista do nacional ao presidente do clube e os seus colegas.

Palmarés

Com a conquista antecipada do título, a formação do Cuanza Sul soma dois títulos, mas não ultrapassou o 1º de Agosto no somatório de títulos na  lista de campeões do basquetebol nacional (tem 17 troféus). A formação do Petro de Luanda é a segunda equipa mais titulada com 11 títulos, seguida do ASA e Sporting de Luanda com dois cada.
Eis o palmarés:

1979 - Clube Ferroviário de Luanda
1980 - Desportivo da Taag
1981 - 1º de Agosto
1982 - Sporting de Luanda
1983 - 1º de Agosto
1984 - Sporting de Luanda
1985 - 1º de Agosto
1986 - 1º de Agosto
1987 - 1º de Agosto
1988 - 1º de Agosto
1989 - Petro de Luanda
1990 - Petro de Luanda
1991 - 1º de Agosto
1992 - Petro de Luanda
1993 - Petro de Luanda
1994 - Petro de Luanda
1995 - Petro de Luanda
1996 - Atlético Sport Aviação
1997 - Atlético Sport Aviação
1998 - Petro de Luanda
1999 - Petro de Luanda
2000 - 1º de Agosto
2001 - 1º de Agosto
2002 - 1º de Agosto
2003 - 1º de Agosto
2004 - 1º de Agosto
2005 - 1º de Agosto
2006 - Petro de Luanda
2007 - Petro de Luanda
2008 - 1º de Agosto
2009 - 1º de Agosto
2010 - 1º de Agosto
2011 - Petro de Luanda
2012 - Recreativo do Libolo
2013 - 1º de Agosto
2014 – Recreativo do Libolo

Basquetebol em cadeira de rodas
Cidadela e Cabinda jogam para a sexta ronda


A formação da Cidadela Desportiva defronta hoje, no Pavilhão Arena Palanca Negra, em Malanje, o Misto de Cabinda para a sexta jornada do décimo  Campeonato Nacional de Basquetebol em Cadeiras de Rodas, que decorre nesta província até ao dia 25 deste mês.À entrada da sexta jornada, o campeão em título Kabuscorp de Cabinda, continua imbatível depois de ter derrotado sexta-feira última, para a 4ª jornada, a Académica do Lobito por 49-21.

O técnico do Kabuscorp de Cabinda, Raul Adriano, disse ao Jornal dos Desportos que, apesar da vitória da sua equipa, não está satisfeito com a exibição dos seus pupilos, uma vez que estes ignoraram os adversários e todas as equipas do campeonato nacional têm o Kabuscorp de Cabinda como o alvo a abater, por ser o detentor do troféu.  Já o técnico-adjunto da Académica do Lobito, José Pedro, valorizou o esforço dos seus pupilos, devido a força, ao nível competitivo e à qualidade que os adversários apresentaram.

Participam no campeonato nacional 14 equipas em representação de 12 províncias. Na série A encontram-se Kabuscorp de Cabinda, Centro Profissional de Reabilitação de Viana, Misto de Benguela, do Moxico, do Cuanza Norte,  do Uíge e da Huíla. Já a serie B  conta  com as equipas da Cidadela Desportiva, Misto do Huambo, do Bié,  Cuanza Sul,  Lunda Sul,  Malanje e  Lunda-Sul. 
 Filipe Eduardo | Malanje

APÓS COMPRA
Seattle Super Sonics pode regressar à NBA


Devido aos comentários racistas de Donald Sterling, a NBA baniu o dono do Los Angeles Clippers da liga e está a agir rápido para forçar o empresário a vender a equipa. Uma possibilidade real é a volta do Seattle SuperSonics, que afundado em dívidas deu lugar ao Oklahoma City Thunder em 2008.Muita gente em Seattle acredita que o ex-CEO da Microsoft, Steve Ballmer e o empresário Chris Hansen podem fazer uma proposta para comprar o Clippers e levar uma franquia da NBA de novo à cidade das Esmeraldas.

Ballmer e Hansen estiveram muito perto de comprar o Sacramento Kings há um ano atrás, com planos de construir uma nova arena em Seattle, mas a NBA bloqueou o acordo. Os dois continuam interessados em trazer a NBA de volta a Seattle. Não há dúvidas de que eles possuem poderio financeiro para tal.De qualquer maneira, não está  muito claro como exactamente Sterling deve ser removido do seu status de dono, muito menos como o processo de trazer de arranjar novo dono pode ser feito. Primeiro, a NBA necessita de 75 por cento dos votos dos donos das equipas para afirmar oficialmente que Sterling não pode ser mais dono do Clippers.

“Eu acredito que possa ter o suporte de todos os outros donos de franquias da NBA para remover Donald Sterling do seu cargo actual”, disse o comissário chefe Adam Silver em seu discurso na passada terça-feira.De vacordo com  Colin Cowherd, da ESPN Seattle, ainda antes do pronunciamento de Silver, a possibilidade de Ballmer e Hansen fazerem uma oferta de compra para o Los Angeles Clippers é muito grande:

“Ballmer é um homem muito rico. Além disso, é respeitado e está louco para comprar uma franquia. É absolutamente tão viável quanto qualquer outro candidato”, garantiu Cowherd.O basquetebol é uma paixão do ex-CEO da Microsoft. Ele  importa-se  muito com o desporto e não é surpresa que ele ainda seja parte de um conjunto de investidores que desejam comprar uma franquia. Ballmer era presença constante nos jogos do Seattle SuperSonics antes da equipe  mudar-se para Oklahoma City em 2008.