Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Novo regulamento rege actividade de treinadores

H?lder Jeremias - 30 de Janeiro, 2017

Para Raul Duarte o seu pelouro termina as funções com o sentimento do dever cumprido

Fotografia: José Cola|Ediçoes Novembro

A entrada em vigor do regulamento da actividade dos técnicos de basquetebol que trabalham no território nacional nos vários escalões, cuja homologação deverá acontecer durante a realização da assembleia-geral ordinária da Federação Angolana de Basquetebol, terá repercussões  na prestação de um melhor serviço rumo ao desenvolvimento da modalidade.

A constatação é do presidente cessante da Associação Nacional de Treinadores de Basquetebol, Raul Duarte, quando, em declarações ao Jornal dos Desportos fazia um balanço positivo sobre os quatro anos em que esteve a dirigir a instituição que vela pelos interesses da classe dos técnicos da "bola ao cesto".

O experiente técnico mostra-se optimista pelo facto do processo eleitoral dos corpos sociais do órgão reitor da modalidade para o próximo quadriénio ter reatado e estar a decorrer com a celeridade necessária, de forma que, na sua óptica, qualquer das listas que merecer a confiança para a gestão do basquetebol estará incumbida de realizar a assembleia-geral, na qual o novo instrumento jurídico que vai nortear a vida dos técnicos será legitimado.

Para Raul Duarte o seu pelouro termina as funções com o sentimento do dever cumprido, porquanto, para além da luta travada com a federação no sentido de ratificarem o referido tratado, foi possível, ao longo dos quatro anos, trazer várias dezenas de prelectores  internacionais de alto nível de quem os técnicos nacionais absorveram sólidos conhecimento no que toca à formação de atletas e gestão de equipas.

"Sentimo-nos regozijados por termos travado uma luta junto da federação para que aprovassem o novo regulamento que vai gerir e regular a vida dos treinadores  de basquetebol que trabalham em Angola. Este importante documento será homologado durante a Assembleia -geral ordinária da direcção da Federação Angolana de Basquetebol, assim como junto das associações provinciais, quer dizer que qualquer que seja a direcção eleita terá esta responsabilidade", esclareceu Raul Duarte.

Questionado sobre a transferência das pastas para a lista de consenso cuja presidência de direcção poderá  recair entre Anselmo Monteiro e Manuel Silva "GI", o presidente cessante frisou que sente-se confortado em passar o testemunho para qualquer um dos dois que tenha mais disponibilidade para assumir as funções, na medida que ambos têm créditos firmados no seio da classe, de quem se espera êxitos no desempenho das funções.

Ao terminar, Raul Duarte aproveitou para reiterar a confiança na qualidade do trabalho levado a cabo pelos técnicos nacionais, mas fez questão de deixar claro que a competência só pode ser obtida com o intercâmbio de experiência com treinadores dotados de elevados conhecimentos, razão pela qual sempre deverá ser apanágio a vinda de prelectores na senda da formação.

Quanto à preferência na contratação de técnicos estrangeiros por parte dos clubes nacionais, Raul Duarte esclareceu que este assunto é da inteira responsabilidade das equipas, de acordo com os seus objectivos, ao passo que cabe a associação de treinadores criar condições para que os técnicos que trabalham em Angola possam ter acesso ao conhecimento e poderem implementar com zelo para obter ganhos profissionais.

"Os clubes têm toda a liberdade de contratar os técnicos que lhes convém, tanto é que a competência sempre foi o principal critério que esteve na base das contratação, mas não nos devemos esquecer que existem técnicos com muita competência no país, com os quais foi possível obter positivos resultados no passado", reconheceu Raul Duarte.