Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Operao Tunsia comea hoje

Melo Clemente - 22 de Junho, 2015

Angolanos comeam a definir as estratgias para a fase final do Campeonato Africano das Naes, Afrobasket

Fotografia: Kindala Manuel

Com o grupo ainda incompleto, a Selecção Nacional de basquetebol em seniores masculinos começa hoje, a partir das 10h00, no Pavilhão Principal da Cidadela Desportiva, os trabalhos de preparação, tendo em vista a fase final do Campeonato Africano das Nações, Afrobasket, de 19 a 30 de Agosto, selectivo aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016.

Dos atletas convocados para a operação Tunísia, um total de 15, apenas seis devem em princípio marcar presença hoje no treino matinal, sob comando de Moncho López, técnico espanhol contratado este ano pela Federação para a reconquista do título africano e, consequentemente, apurar a Selecção Nacional pela sétima vez consecutiva aos

Jogos Olímpicos, depois da estreia em Barcelona, em 1992, seguindo-se as presenças em Atlanta, 1996, Sidney, 2000, Atenas, 2004, Pequim, 2008 e Londres, 2012.
Os atletas do Atlético Petróleos de Luanda e do Recreativo do Libolo, equipas que estiveram recentemente a disputar os play-off do BIC Basket, integram apenas nos próximos dias os trabalhos de preparação da Selecção Nacional.

Os jogadores são Carlos Morais, Olímpio Cipriano, Eduardo Mingas, Valdelício Joaquim, todos da formação do Recreativo do Libolo, Domingos Bonifácio, campeão africano em 2009, na Líbia, Leonel Paulo e Roberto Fortes, do Atlético Petróleos de Luanda, bem como Sílvio Sousa, campeão africano de sub-16, actualmente numa das universidades dos Estados Unidos, e Yanick Moreira, da Universidade Metodista de Dallas e que nesta altura tenta a sua entrada na NBA.

A equipa técnica decidiu dar mais alguns dias de repouso aos atletas que estiveram envolvidos na final, a fim de recuperarem o suficiente.
O treino desta manhã conta apenas com os atletas do 1º de Agosto, Armando Costa, tetracampeão africano, Hermenegildo Santos, Edmir Lucas, Edson Ndoniema, Reggie Moore e Felizardo Ambrósio. Este último falhou a última edição do Campeonato do Mundo, disputada em 2014, na Espanha, devido a lesão.
A primeira etapa de preparação decorre em Luanda e a segunda na Europa (Portugal e Espanha).

Na Espanha estão já confirmados alguns jogos de controlo, com destaque para os embates com a Venezuela, além do confronto com a selecção de esperança daquele país ibérico.

Na fase crucial de preparação, o combinado nacional, que não conta com Joaquim Gomes “Kikas”, que não foi convocado para o Afrobasket da Tunísia, participa num torneio internacional.

A Selecção Nacional disputa a fase preliminar do Afrobasket inserida do Grupo B, ao lado do Senegal, Moçambique e Marrocos. Tunísia, país anfitrião, está no Grupo A, com Uganda, Nigéria e República Centro Africana.

Egipto, pentacampeão africano, faz parte do Grupo C, juntamente com Gabão, Mali e Camarões, ao passo que Costa do Marfim, Cabo Verde, Argélia e Zimbabwe estão inseridos no Grupo D.

O seleccionador nacional chamou os seguintes atletas: Armando Costa, Hermenegildo Santos, Edmir Lucas, Edson Ndoniema, Reggie Moore e Felizardo Ambrósio (1º de Agosto), Carlos Morais, Olímpio Cipriano, Eduardo Mingas e Valdelício Joaquim (Recreativo do Libolo), Domingos Bonifácio, Leonel Paulo e Roberto Fortes (Atlético Petróleos de Luanda), Yanick Moreira (Universidade Metodista de Dallas), Sílvio Sousa (Estados Unidos).

A delegação angolana é chefiada por Paulo Madeira, presidente da Federação Angolana de Basquetebol (FAB).


REACÇÃO
Ausência de Kikas
mexe com os adeptos


Amantes do basquetebol no Cuito estão divididos quanto à ausência do poste do 1° de Agosto, Joaquim Gomes Kikas, do lote de convocados pelo seleccionador nacional, Moncho López.

Nas reacções colhidas pelo Jornal dos Desportos na capital biena, uns manifestaram-se a favor e outros contra a ausência do poste na lista de convocados para o Africano da modalidade deste ano, que tem como palco a Tunísia.

Vários admiradores do jogador agostino defendem que pela sua experiência, Kikas não devia ficar de fora dos eleitos para o Afrobasket.
Na óptica dos interlocutores do JD, o técnico devia aliar a experiência de muitos atletas, como é o caso de Joaquim Gomes Kikas, com o processo de renovação que é encetado no conjunto.

Alguns dos entrevistados referem que a experiência de muitos jogadores e a renovação da Selecção Nacional formam uma simbiose perfeita, razão pela qual defendem que Kikas devia fazer parte dos eleitos de López.

O adepto José Alberto é de opinião de que além de Kikas, Hermenegildo Mbunga é outro jogador que podia fazer parte desta convocatória.
“Quer um como outro atleta davam garantias de ter um bom desempenho na nossa selecção, pois detêm grande experiência. Não quero com isso dizer que os convocados de Moncho López não dão conta do recado, mas apenas reiterar o facto de estes dois atletas serem influentes na equipa nacional”, disse.

A José Alberto junta-se, ainda, o adepto Altura Carlos, que é de opinião que o técnico nacional não devia deixar de fora Joaquim Gomes.
“O treinador não devia  deixar de fora um jogador que ao longo destes anos muito fez pela selecção. O Joaquim Gomes Kikas é um atleta que tem feito muito pela nossa selecção. Acredito que este seria, provavelmente, o seu último campeonato africano, a julgar pelos anos de prática”, disse.

Edson Venâncio, outro dos adeptos interpelados pela nossa equipa de reportagem, defende que os atletas não devem ser convocados pelo que fizeram no passado.
“Estão a surgir novos valores que necessitam de uma oportunidade. Além disso, o Kikas não teve um grande desempenho no recém-terminado campeonato nacional de basquetebol, que consagrou o Petro de Luanda”.

Álvaro Hossi também aplaude a convocatória de Moncho López e afirma que a Selecção Nacional tem condições de fazer boa figura no Africano da Tunísia.
J.C.