Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Paulo Madeira elogia Cuito

Sérgio V. Dias- Cuito - 07 de Outubro, 2015

Líder da FAB elogiou desempenho das equipas no “Nacional” da II Divisão competição que decorreu na província do Bié

Fotografia: M. Machangongo

O presidente da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), Paulo Madeira, enalteceu a realização da III edição do Campeonato Nacional de basquetebol da II Divisão, no Cuito, prova que consagrou como campeã a equipa do Sporting Petróleos do Bié. O líder da FAB elogiou, nesse sentido, o desempenho das equipas envolvidas no certame, particularmente o Sporting do Bié, Marinha de Guerra de Angola e a Casa do  Pessoal do Porto do Lobito, que ocuparam os três primeiros lugares da competição.

As três agremiações, particularmente o Sporting do Bié e a Marinha de Guerra,  deram um espectáculo de bom nível e para o que lhes deve ser exigido no BIC-Basket”, referiu Paulo Madeira, após a disputa do jogo da final no sábado. Por essa razão, o presidente do organismo que superintende a modalidade da "bola ao cesto," no país, disse ter sido “importante a todos níveis”, o que foi dado observar no “nacional” da II Divisão, que decorreu no Cuito, no período de 16 a 26 do mês transacto.

Em relação à fraca participação das províncias, neste campeonato nacional, que a capital biena albergou, apenas três desfilaram na prova, Paulo Madeira referiu que para uma presença mais significativa, “estas têm de se organizar”.  “Para participar nos campeonatos nacionais, as outras províncias têm de se organizar melhor e ter equipas para o efeito. As províncias representadas, são as que têm aspiração de jogar a esse nível,  de subir à prova maior do basquetebol”, disse. Vale recordar que nesta terceira edição do “nacional” sénior masculino de basquetebol, só  o Bié, Luanda e Benguela estiveram representadas no certame.

O Bié, na qualidade de anfitrião, esteve representada pelo campeão Sporting Petróleos, Benfica do Andulo, Sporting Clube de Catabola, Clube Recreativo do Jask do Cuito e pelo Benfica do Cunje, respectivamente. Luanda esteve representada pela turma da Marinha de Guerra de Angola, que se sagrou vice -campeã da prova, ao passo que Benguela, pela Casa Pessoal do Porto do Lobito, que se quedou no terceiro posto, ao vencer nas meias -finais o Benfica do Andulo.

Ascensão ao BIC-BASKET
Madeira aguarda por capacidade financeira

Num outro ângulo de abordagem, feita com à imprensa no Bié, o presidente da Federação Angolana de Basquetebol (FAB) disse esperar, da parte do campeão Sporting Petróleos local e da Marinha de Guerra, terem capacidade financeira para participar no BIC-Basket. “Vamos desejar que tanto o Sporting do Bié, como a Marinha de Guerra, tenham capacidade financeira para fazerem parte das dez grandes equipas da elite, do nosso basquetebol nacional”, disse Paulo Madeira.

Os leões bienos e a turma marinheira, ganharam o direito de marcar presença na fina-flor do basquetebol angolano, depois carimbarem o passe para a final da terceira edição do “nacional” sénior masculino, disputada sábado  e ganha pela equipa do Sporting. O presidente da FAB acrescentou, nesse sentido, que espera também da parte do governo do Bié a sensibilidade para apoiar a equipa na competição.

“Acredito que o Governo da província vai ajudar nesse processo e desse modo, poder assistir no Bié, a basquetebol de alto nível, com equipas como as do 1º de Agosto, Petro de Luanda, Libolo e outras”, disse o líder da FAB, que acrescentou que isso é dignificante para todos, enquanto desportistas, para juventude e para a sociedade, de uma forma geral.

Paulo Madeira fez saber, por outro lado, que pelo facto do actual elenco da FAB ter herdado do anterior, encabeçado por Gustavo da Conceição, uma estrutura organizacional “extremamente boa”, há necessidade de  manter a fasquia. “Nós temos um factor muito importante no que toca o nosso funcionamento, que são os níveis de organização  altos. Tivemos a felicidade de herdar do anterior elenco federativo, por um lado, uma estrutura organizacional extremamente boa, e por outro, temos a responsabilidade de manter esse nível”, disse.

O líder da FAB fez saber, por outro lado, que por vezes as pessoas e a opinião pública focam apenas  as actividades da Selecção Nacional.
“É importante que se olhe também, para o que é a competição interna e para as responsabilidades do elenco federativo, isso faz parte dos nossos objectivos, em termos daquilo que são as nossas responsabilidades à frente da FAB”, justificou.
SVD - CUITO