Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Paulo Madeira satisfeito por época positiva

18 de Dezembro, 2014

Paulo Madeira considera época positiva

Fotografia: M.Machangongo

Na hora de avaliação das actividades da Federação Angolana de Basquetebol, o presidente de direcção, Paulo Madeira, considerou “extremamente positiva” a época desportiva de 2014, que termina em Janeiro, com a realização dos campeonatos nacionais de sub-18. Rigor e abnegação foram determinantes para o êxito.Paulo Madeira encontra-se no Lubango a acompanhar os nacionais de sub-14 e justificou que “todas as provas planificadas acontecem dentro dos prazos, com organização, rigor e sem incidentes”.

Para o êxito, o responsável federativo assegurou que a FAB tem feito um esforço tremendo para ajudar os mais necessitados. A título de exemplo, Paulo Madeira disse que a sua presença na Huíla deve-se em ajudar a organização dos campeonatos nacionais, face às dificuldades financeiras dos clubes. Esse esforço, não é visível porque a opinião pública acompanha mais as “nossas Selecções Nacionais”.

No capítulo internacional, Angola participou nos campeonatos do mundo em seniores (masculina e feminina) e sub-17 (masculino). As selecções de sub-20 (masculina e feminina) conquistaram as medalhas de ouro nos VI Jogos da SADC realizados em Bulawayo, Zimbabwe. O Interclube conquistou recentemente a Taça de Clubes Campeões Africanos na Tunísia em feminino e o país testemunha o desenrolar das participações das equipas masculinas do 1º de Agosto e do Recreativo de Libolo na Taça de Clubes Campeões que decorre também na Tunísia.Para Paulo Madeira, “as duas equipas angolanas discutem o troféu de campeão africano com responsabilidade”.

PARTICIPAÇÃO
Pouca adesão
preocupa FAB


A adesão de poucas equipas nos campeonatos nacionais de sub-14, que decorrem na cidade de Lubango, preocupa o presidente de direcção da Federação Angolana de Basquetebol, Paulo Madeira. As seis equipas femininas e igual número em masculino constituem “cifra preocupante” por aquilo que se pretende para a massificação e desenvolvimento do basquetebol.Paulo Madeira prescindiu de toda a responsabilidade no processo de massificação e esclareceu os limites. “A responsabilidade da Federação é gerir o desporto federado regido por regras e exigências da FIBA e da FAB. Trabalhamos com aqueles que obedecem a essas regras e exigências. Isso, não inviabiliza o basquetebol de massas, o corporativo e o de recreação que também existe”, disse.

O dirigente assegurou que a sustentabilidade do futuro do basquetebol angolano depende do trabalho feito entre os mais jovens, uma responsabilidade que a FAB assume anualmente com a realização de provas nacionais. Paulo Madeira disse que a conquista da selecção de sub-19, feminina, nos VI Jogos da SADC resultou do trabalho de massificação feito em diferentes províncias do país. As atletas integrantes são provenientes da Huíla, Benguela, Huambo, Luanda e outras províncias. No entanto, a conquista em Bulawayo “é uma demonstração da vitória da formação feita em Angola”.