Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Paulo príncipe destaca trabalho

Sergio V.Dias, no Cuito - 28 de Setembro, 2015

Treinador do Sporting do Bié promete trabalho árduo para uma participação condigna na maior competição de basquetebol do país

Fotografia: Arélio Mourinho, Angop

O técnico principal da equipa sénior masculino de basquetebol do Sporting Petróleos do Bié, Paulo Rufino Eduardo “Príncipe”, realçou que a conquista do título no campeonato nacional da II Divisão resulta da qualidade trabalho realizado.Falando à imprensa momentos após a vitória do emblema leonino na final do certame que lhe opôs à formação da Marinha de Guerra de Angola, sábado último, no Pavilhão do Sporting do Bié, por 91-86, Príncipe mostrou-se radiante com a conquista.

“Não tenho palavras para enfatizar o quanto é reconfortante a conquista deste campeonato. Jogamos com uma grande equipa e essa vitória demonstra a nossa qualidade, o grande trabalho e a luta para chegarmos até aqui”, começou por dizer o técnico leonino.Face à ascensão do Sporting do Bié ao escalão principal do basquetebol nacional, apelidado de BIC-Basket, Paulo Eduardo “Príncipe” revela que a equipa está em condições de representar condignamente a província na prova. “Estamos em condições de representar com dignidade o Bié no campeonato nacional sénior masculino da I Divisão. Por isso, vamos lutar e continuar a trabalhar para a consolidação desse desiderato”, disse.O técnico diz não ter sido fácil a conquista, pelo Sporting, da terceira edição do “nacional” da "bola ao cesto" da II Divisão.

“Foi muito difícil ganhar esse campeonato, sobretudo, pela grande réplica que a Marinha deu neste jogo da final. A turma adversária nunca baixou os braços. Praticamente, só demos a cambalhota ao resultado na parte final do último quarto do jogo”, frisou.O técnico do Sporting louvou, por outro lado, a entrega do conjunto neste “nacional” de basquetebol e a forma tenaz como os seus pupilos se bateram do princípio ao fim. “Há que valorizar  o esforço da equipa e dos nossos bravos rapazes, que lutaram tenazmente para que se efectivasse a conquista da vitória na final e consequentemente se lograsse o apuramento do Sporting à fina-flor do basquetebol angolano”, justificou.

Paulo Eduardo “Príncipe” revela, ainda, que o título conquistado é como “colocar a cereja no topo do bolo”, já que o “seu” Sporting cumpre assim o objectivo.“O objectivo está cumprido, já que a nossa intenção passava, em primeira instância, por nos qualificarmos para o BIC-Basket. Quanto ao título é apenas corolário de tudo que havíamos preconizado em termos de participação neste nacional”, concluiu. 

GARCIA DOMINGOS
“Cometemos muitos erros
no quarto período de jogo”


Após a disputa da final da terceira edição do campeonato nacional de basquetebol sénior masculino da II Divisão, Garcia Domingos, treinador da Marinha de Guerra de Angola, conformou-se com a derrota da sua equipa por 86-91 diante do Sporting do Bié.A nossa equipa entrou bem, mas acabamos por cometer muitos erros no quarto período, o que permitiu o adversário virar o resultado”, começou por desabafar o antigo jogador de basquetebol da Selecção Nacional e do 1º de Agosto.

Não obstante a derrota no desafio da final deste “nacional”, frente ao Sporting do Bié, o técnico Garcia Domingos promete muito trabalho pela frente, já que a par da turma do Planalto Central, a Marinha de Guerra também confirma a ascensão ao BIC-Basket, prova que disputou na edição passada.“Vamos continuar a trabalhar, reforçar a equipa em alguns sectores para que possamos bater-nos condignamente no campeonato nacional da I Divisão”, disse.

Voltando a transcorrer no leito da derrota da Marinha de Guerra, na final frente ao Sporting, o “timoneiro” da agremiação da capital do país referiu que o conjunto acusou algum desgaste físico no último período do desafio.“Penso também que a equipa acusou certo desgaste físico no último período e isso ditou a vitória do Sporting do Bié. Não obstante isso, vamos procurar apresentar-nos bem no Campeonato nacional da primeira divisão, o BIC-Basket’2015/2016, já que esse é o grande objectivo da colectividade”, concluiu.

FACTO

O Sporting do Bié e Marinha de Guerra de Angola protagonizaram, na noite de sábado último, no Cuito, uma final electrizante. O jogo começou de forma intensa e com a equipa de Luanda, treinada pelo antigo treinador da Selecção Nacional e do 1º de Agosto, GarciaDomingos, a dar mostras de que estava aí para complicar ao máximo a tarefa dos anfitriões.Aliás, fruto da postura avassaladora demonstrada de início, a formação marinheira chegou ao final da primeira etapa de jogo a vencer por 54-45. Portanto, uma diferença de nove pontos e depois dos já favoráveis 24-15 no fecho do quarto inicial da contenda.

No terceiro quarto de jogo, o Sporting converteu 28 pontos contra 16 da Marinha de Guerra. Fruto desse ascendente, os leoninos fecharam o terceiro período de jogo a vencer por claros 73-70. Estava assim dado um sério aviso.Veio depois o quarto período em que a turma leonina converteu 18 pontos contra 16 do adversário, sentenciando assim o marcador em 91-86, para gáudio do público presente no Pavilhão do Sporting do Bié, que apoiou a equipa do princípio do fim.

ARTILHARIA DA PROVA
Sachocal foi eleito
o melhor cestinha


Com 222 pontos convertidos, Enolvim Sachocal, jogador da equipa do Recreativo das Jask do Cuito, foi o melhor cestinha da edição de 2015 do campeonato nacional de basquetebol da II Divisão, que decorreu na capital do Bié de 16 a 26 de Setembro.Joaquim Nunda, da Marinha de Guerra de Angola, e Manuel Nowa, do Sporting Petróleos do Bié, com 183 e 181, pontos convertidos, ocuparam a segunda e terceiras posições da lista de melhores artilheiros deste “nacional” da «bola ao cesto».

Enquanto isso, Domingos Inácio Cutete, do Benfica do Andulo, com 169 pontos acertados no cesto ocupou a quarta posição. No quinto posto da lista de melhores cestinhas ficou Fernando Catalaio, jogador que representou o Benfica do Cunje, com 148 pontos. Lembre-se que após a realização da final desta competição, ocorreu a tradicional cerimónia de entrega de troféus, testemunhada pelo vice-governador do Bié para Área Política e Social, Carlos Ulombe da Silva, pelo presidente da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), Paulo Madeira, e outras individualidades.