Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Petro(leo) sem chama

Melo Clemente - 02 de Abril, 2016

O extremo base Olímpio Cipriano esteve em destaque ontem na vitória da sua equipa

Fotografia: Jornal dos Desportos

 O Recreativo do Libolo assumiu de forma isolada o segunda lugar,  agora com quatro pontos, mercê da vitória ontem, no Pavilhão do Dream Space,
sobre o Atlético Petróleos de Luanda, por 82-71 desafio que centralizou as atenções da jornada número dois do Grupo A da 38 edição do Campeonato
 Nacional de basquetebol em seniores masculino (BIC Basket).

 Com este triunfo, os libolenses somam agora, quatro pontos, no segundo lugar, menos um que o 1 de Agosto (cinco),no primeiro lugar, contra três dos petrolíferos da capital no terceiro posto.Com o internacional angolano, Milton Barros, a liderar o jogo ofensivo, a formação do Recreativo  do Libolo entrou melhor na partida, ao contrário do seu opositor que se mostrou bastante preso nos seus movimentos, fruto da maior pressão defensiva exercida pelos libolenses.Eficientes no ataque, aliada uma defesa organizada, a formação da vila de Calulo conseguiu logo um parcial de 8-0, quando estavam decorridos três minutos e 25 segundos. Ante a apatia da equipa petrolífera, os libolenses passaram a assumir o comando das operações, com lançamentos a longa distância, através de Carlos Morais, Riderick Nealy e Benvindo Quimbamba.

 A perder por 21-5, isto quando restavam pouco menos de dois minutos para o termo do quarto inicial, Lazare Adingono viu-se
obrigado a solicitar um Time Out (desconto de tempo), para acalmar a sua rapaziada que acusou em demasia a responsabilidade do jogo. Nos últimos dois minutos do primeiro período, os petrolíferos da capital anotaram mais quatro pontos, contra seis da equipa caseira, tendo o
resultado se fixado em 27-9.

 Depois de um começo ruim, a equipa do Eixo-viário conseguiu equilibrar a partida, tendo inclusive dominado em algumas etapas do jogo. Os primeiros cinco minutos do segundo período pertenceram inteiramente aos actuais campeões nacionais que num ápice reduziram a vantagem de 17 para dez pontos de diferença. Perante a aproximação no placard, Norberto Alves, técnico português ao serviço do Recreativo do Libolo tirou da quadra o capitão Milton Barros, dando o seu lugar para o base norte-americano, Joanathan Wallace.  O internacional angolano, Carlos Morais, com 12 pontos, foi das unidades que mais se destacou na formação do Libolo, durante os primeiros 24 minutos, ao contrário dos seus companheiros Olímpio Cipriano e Eduardo

Mingas, que terminaram com zero e dois pontos respectivamente.Já no Atlético Petróleos e Luanda, Jason Cain era o mais inconformado, tendo anotado 12 pontos, contra um de Emanuel Quezada, uma das principais jóias do conjunto tricolor.  Em desvantagem de 14 pontos (44-30), os petrolíferos da capital tiveram a força anímica e num ápice, anularam a vantagem do Libolo, tendo passado pela primeira vez na liderança do marcador (47-48), quando restavam cinco minutos e 47 segundos para o termo do terceiro quarto.

A liderança da equipa do Eixo-viário durou pouco menos de um minuto, já que o internacional angolano, Olímpio Cipriano, tetra campeão africano, que até então estava a passar ao lado do jogo, tratou de colocar novamente a sua equipa no comando do marcador, com dois lançamentos a longa distância, para a tristeza dos adeptos da formação tricolor. Emanuel Quezada uma das unidades em sob rendimento no Petro, foi convidado a abandonar a quadra, dando o seu lugar ao base Domingos Bonifácio. Quando restavam sete minutos para o termo da partida, a equipa caseira conseguiu uma margem confortável de 20 pontos (75-55), vantagem que os libolenses passaram a gerir até ao apito final. 82-71 foi o resultado final.

Carlos Morais, com 19 pontos, foi o festinha da partida, seguido de Olímpio Cipriano, com 18. Jason Cain (Petro) marcou 18 pontos.Ainda ontem, o Atlético Sport Aviação (ASA) surpreendeu o Interclube, em pleno Pavilhão 28 de Fevereiro, ao vencer por 84-76. Já o 1 de Agosto bateu a Marinha de Guerra, por 96-78.


FICHA TÉCNICA
 
Pavilhão: Dream Space
Comissário: Tony Sofrimento
Arbitragem: Carlos Júlio, Francisco Tanto e Osvaldo Neto
 
Libolo:  Olímpio Cipriano (18 ), Jonathan Wallace ( 15), Carlos Morais (19 ), Roberto Fortes ( 3), Vladimir Pontes ( 0), Roderick Nealy ( 8),
Va

ldelício Joaquim (12 ), Zola Paulo ( 0), Eduardo Mingas (9 ), Joseney Joaquim ( 0), Benvindo Quimbamba ( 4), Milton Barros ( 4).
Treinador: Norberto Alves
 
Petro: Pedro Bastos ( 5), Delcio Ucuahamba (0 ), Reggie Moore ( 11), Walter, Tadeu (0 ), Teotónio Dó ( 0), Emanuel Quezada ( 6), Leonel Paulo ( 17), Domingos Bonifácio ( 3), Hermenegildo Mbunga ( 4), Joaquim Pedro ( 0), Gerson Gonçalves (7 ), Jason Cain ( 18).
 Treinador: Lazare Adingono
 
Marcha do marcador: 27-9, 44-30, 63-52, 82-71


Declarações dos técnicos

Norbeto Alves (Libolo)
“Defendemos bem”


Norberto  Alves, técnico principal do Recreativo do Libolo, destacou no final da partida o trabalho defensivo exercido pela sua equipa que ontem venceu o Atlético Petróleos de Luanda, por 82-71. "Creio que defensivamente hoje ( ontem) estivemos muito bem, apesar de no terceiro período termos permitido que o Petro passasse na liderança do marcador. Mas, felizmente tivemos a força necessária para  vencermos a partida", reconheceu o técnico português que procura o segundo título nacional. Questionado sobre a partida de amanhã (hoje), diante do Atlético Sport Aviação (ASA), Norberto Alves afirmou que vão lutar no sentido de conseguir os  dois pontos.

Benjamim Avó ((Petro)
“Cometemos muitos erros”


Benjamin Avó, um dos adjuntos do técnico camaronês, Lazare Adingono, reconheceu que a vitória do Recreativo do Libolo acabou por ser justa, em face dos inúmeros erros que cometerem. "Infelizmente, hoje (ontem), as coisas nos correram muito mal, fundamentalmente, no primeiro quarto. Reagimos bem no segundo período mas, nos quartos subsequentes o Libolo acabou por superiorizar-se", disse o antigo internacional angolano.


BIC BASKET
Interclube quer travar líder do grupo


A formação do Grupo Desportivo Interclube defronta hoje a partir das 18h00, no Pavilhão 28 de Fevereiro, o 1 de Agosto, em partida de maior cartaz da terceira jornada do Grupo A da 38 edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculino (BIC Basket).

Depois de ter enfrentado ontem o Atlético Sport Aviação (ASA), em partida referente a segunda jornada do Grupo A, hoje, os comandados de Alberto Babo voltam a ter mais um teste difícil, desta, frente ao 1 de Agosto, líder incontestável da aludida competição, com cinco pontos. 

A jogar em casa, a equipa adstrita a Polícia Nacional vai tentar impor a primeira derrota ao 1 de Agosto, conjunto que a par do Atlético Petróleos e Luanda e Recreativo do Libolo, é apontado como um dos fortes candidatos a conquista do título da 38 edição do BIC Basket.

Reconhecendo o potencial do Clube Central das Forças Armadas Angolanas, a dupla técnica Alberto Babo e Manuel Sousa "Necas" vai procurar montar uma equipa que seja capaz de conter o jogo ofensivo dos militares que continuam invictos na fase de grupos, agora com cinco pontos, fruto de duas derrotas.

 Os militares que ontem passearam classe diante da equipa sensação da fase regular da 38 edição do Campeonato Nacional da "bola ao cesto", vulgo BIC Basket, no caso, o Clube Desportivo da Marinha de Guerra, vão procurar esta noite fazer mais uma vítima, para manter a invencibilidade na fase grupos.

Apesar da superioridade da equipa rubro e negra, isto em termos de valores individuais, o equilíbrio poderá prevalecer em algumas etapas do jogo, dado a irreverência da juventude do Grupo Desportivo Interclube. 

Ainda hoje, para a terceira jornada do Grupo A, o Clube Desportivo da Marinha de Guerra recebe as 16h00, no Pavilhão Victorino Cunha, o Atlético Petróleos de Luanda, desafio em que os petrolíferos são claramente favoritos a conquista dos dois pontos.

Por seu lado, o Atlético Sport Aviação (ASA) mede forças com o Recreativo do Libolo, partida marcada para o Pavilhão Anexo Número dois da Cidadela Desportiva. Com maior ou menor dificuldade, o representante da vila de Calulo vai chamar  a si a conquista dos dois pontos em disputa.
 M.C