Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Petro de Luanda e interclube vencem em Sub-14

Gaudêncio Hamelay, no Lubango - 24 de Dezembro, 2014

Campeão nacional voltou a erguer o troféu em ambiente testemunhado pelas entidades do desporto do país

Fotografia: Jornal dos Desportos

O Petro de Luanda revalidou o título de campeão nacional da categoria de sub-14, ao derrotar o 1º de Agosto por 78-55, na final disputada no pavilhão Multiusos de Nossa Senhora do Monte, no Lubango. A equipa do Eixo-viário colecciona o segundo troféu consecutivo da competição, realizada de 16 a 22 do corrente na província da Huíla.Com um basquetebol mais esclarecedor, os adolescentes de Edmar Victoriano “Baduna” chegaram ao intervalo com uma vantagem de 43-20.

Nos dois primeiros quartos, furaram todas as barreiras da equipa adversária. No primeiro quarto, venceu por 18-10 e no segundo, por 25-10. No reatamento, o 1º de Agosto saiu do balneário com a tendência de inverter o quadro. A vitória parcial de 10-18 foi falso indicador. No último quarto, Baduna puxou dos galões e o Petro de Luanda expeliu toda a técnica na quadra. Os militares desconheciam o caminho para a cesta. No final do quarto, a parcial era favorável à equipa do Eixo-viário: 25-17.

REACÇÕES
No final da competição, Edmar Victoriano “Baduna” era um homem feliz por cumprir a missão: a conquista do quarto título nacional do escalão de iniciados.“A missão está cumprida. Trabalhámos o ano inteiro e os meus miúdos mereceram o troféu. Durante o campeonato, vencemos todos os jogos, porque sou treinador com ambições de vencedor”, disse.Baduna dedica a vitória à direcção do Petro de Luanda pelo apoio prestado para formar “uma grande equipa”. Por outro lado, sente-se grato pela conquista, por ultrapassar todas as barreiras durante os treinos. “Não é fácil treinar os miúdos”, disse.

O antigo extremo sustentou que depositou confiança na rapaziada pela conquista do troféu ao longo da preparação. A estratégia passou por um diálogo aberto e franco, onde a motivação foi fundamental. Baduna revelou-os que “o jogo colectivo é mais importante do que jogar para os outros”. A receita surtiu efeito no final.Com a ascensão dos campeões nacionais ao escalão de cadetes, Baduna afirmou que vai formar um novo grupo para conquistar outros troféus em 2015.

A vitória do Petro de Luanda resulta do maior trabalho de preparação que os adversários. “O nível competitivo das equipas estava equilibrado”, disse.O treinador do 1º de Agosto, Garcia Domingos, afirmou que a derrota foi fruto da ingenuidade do plantel militar. O relaxamento e o excesso de perdas de bola ditaram a derrota. O antigo base do 1º de Agosto deu os parabéns ao Petro de Luanda “por ter sido superior e o título foi bem entregue”.

Garcia Domingos justificou que 70 por cento da equipa joga basquetebol pela primeira vez e nem passou pelo mini-basket. Apenas dois atletas tiveram a experiência do ano passado e o grupo não conseguiu adaptar-se à qualidade de jogo. Desconcentração e a falta de atitude minou o sistema táctico. A esperança pelo título está agendada para 2016, segundo Garcia Domingos.

CLASSIFICATIVAS
Para o terceiro lugar, o Sporting de Benguela venceu com facilidade o Vila Clotilde de Luanda por 80-74, ao passo que para o quinto lugar, o Progresso Sambizanga superou o 1ºde Maio de Benguela por falta de comparência.Edvaldo Simão, do Sporting Clube de Benguela, com 142 pontos, conquistou o troféu de melhor cestinha, enquanto Gil da Silva, do Petro de Luanda, foi o MVP da prova. O Progresso Sambizanga recebeu o troféu de equipa “fair play”.Na classificação final, Petro de Luanda ficou em primeiro, seguido do 1º de Agosto, Sporting de Benguela, Vila Clotilde, Progresso Sambizanga e 1º de Maio de Benguela.

QUALIDADE
Artur Barros
está satisfeito


O Vogal de direcção do Petro de Luanda para a modalidade de basquetebol, Artur Barros, afirmou que o nível e a qualidade patenteada pelas equipas participantes dos nacionais de Sub-14, foram satisfatórios. O antigo extremo-base assegurou que o ABC esteve muito presente, pese embora haver a necessidade de se acautelarem alguns pormenores técnicos.

Artur Barros apelou aos treinadores de formação a prestarem mais atenção às correcções de pormenores técnicos, porquanto “é nessa idade que se deve ter cuidado para não se crescer torto”. O especialista justificou que “alguns gestos são adquiridos nessa fase de crescimento, como os fundamentos básicos de basquetebol, e o atleta deve saber driblar e ter uma mecânica de lançamento perfeito, por exemplo”.

A diferença entre o masculinos e feminino também mereceu a apreciação de Artur Barros. O antigo extremo-base do Petro de Luanda disse que “as atletas estão com muitas dificuldades e é necessário lutar para que o país tenha um sector feminino ao mesmo nível do masculino”.Artur Barros justificou que a sua presença na cidade do Lubango serviu para dar carinho total às crianças, a base de qualquer projecto desportivo. Por isso, do grupo participante pode-se constituir bons basquetebolistas no futuro.
GAUDÊNCIO HAMELAY- LUBANGO