Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Petro de Luanda vence Vila Clotilde

MELO CLEMENTE - 28 de Dezembro, 2019

Petrolferos mantm-se na liderana da competio

Fotografia: Jos Cola | Edies Novembro

No dia de estreia do base norte-americano Antwan Scoth, o Petro de Luanda cilindrou ontem, no pavilhão 28 de Fevereiro, o FC Vila Clotilde por 111-77 em partida da quinta jornada do campeonato nacional sénior masculino de basquetebol. Os campeões nacionais não tiveram dificuldades de impor o seu jogo.
Impulsionados pelo público presente, o Vila Clotilde entrou com a lição estudada e procurou equilibrar o jogo. Com uma defesa acertada, a equipa liderada por Ricardo Rodrigues não permitia ataques à sua cesta. Fernandes Gomes e David Avelino destacavam-se no contra-ataque à cesta adversária.
O Petro de Luanda, ciente da responsabilidade em campo, aturou com paciência o fulgor primário do Vila Clotilde. Aldemiro João e Abou Bacar Gakou eram os carregadores de piano.
No final do primeiro quarto, registou-se 24-25 no placard.
No segundo quarto, Ricardo Rodrigues não teve solução para suportar as violações à sua cesta. Os campeões nacionais entraram mais esclarecidos e não deram espaços aos meninos da Vila Alice. Lazare Adingono imprimiu velocidade no jogo e cansou a equipa adversária. O parcial foi de 17-31 e as equipas foram ao intervalo com 41-56 favoráveis ao Petro de Luanda.
No reatamento, a equipa do Vila Clotilde desconhecia o caminho para a cesta dos campeões, que se apresentaram muito bem a defender. Sem argumentos defensivos, testemunhou os ataques à sua tabela. A fúria do Petro de Luanda colocou em silêncio o Vila Clotilde que viu o final do terceiro quarto a terminar com o parcial de 17-34 e o resultado a elevar-se para 58-90.
No último quarto, Lazare Adingono fez rodar toda a equipa. Cada petrolífero fez gosto à mão e deixou a marca pessoal no resultado. Com uma estratégia bem definida, os campeões nacionais desaceleraram e passaram a gerir o resultado.
No outro lado da quadra, o conformismo tomou conta de Ricardo Rodrigues e companhia. A equipa tinha debilidades e falta de experiência para contrapor. O tempo arrastou-se e o saldo final do jogo foi de 77-111.