Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Petro e Libolo em vantagem na disputa da Taça de Angola

Melo Clemente - 26 de Março, 2014

Olímpio Cipriano e Carlos Morais foram decisivos na vitória do libolo sobre o 1º de Agosto

Fotografia: José Soares

A formação do Recreativo do Libolo deu um passo importante rumo a conquista do passe para a final da Taça de Angola, ao derrotar ontem, em pleno Pavilhão Victorino Cunha, o 1º de Agosto, por 87-95, em partida a contar para a primeira mão da segunda maior competição a nível da "bola ao cesto".

Com um primeiro quarto marcado pelo signo de equilíbrio, onde o placard registava sistematicamente igualdades, a formação do Recreativo do Libolo terminou com uma vantagem de dois pontos (24-26).

No segundo período, a apatia tomou conta da equipa rubro e negra, ao contrário do seu adversário que mostrava coesão defensiva e um ataque eficiente, onde se destacava o internacional angolano, Eduardo Mingas, que foi para o descanso maior com 15 pontos.
Neste período, os libolenses conseguiram um parcial de 24-14, o que perfez 38-50, ao cabo dos primeiros 24 minutos. Mário Correia (nove pontos, Felizardo Ambrósio "Miller",

Joaquim Gomes "Kikas", ambos com sete pontos, e Hermenegildo Santos (seis) eram, até então, os mais inconformados no seio do Clube Central das Forças Armadas Angolanas.
Com uma desvantagem de 12 pontos (38-50), a formação militar procurou nos minutos iniciais sufocar o seu adversário, com uma defesa pressionante, variando com a defesa a campo inteiro, tendo conseguido em algumas etapas do desafio diminuir a avalanche atacante da equipa forasteira.

O equilíbrio voltou a marcar o desafio a passagem do minuto sete do terceiro período. Felizardo Ambrósio "Miller" ainda conseguiu reduzir para seis pontos (60-66), quando restavam 16 segundos para o fim do terceiro quarto.

O jovem Braúlio Morais com um lançamentos de dois pontos bem no soar do apito fixou o resultado em 66-68.
Com Olímpio Cipriano no banco, coube a Carlos Morais assumir o jogo ofensivo dos libolenses, com os seis lançamentos certeiros a longa distância, ante a apatia defensiva da equipa rubro e negra que concedia sistematicamente espaços para o internacional angolano converter com maior tranquilidade. O festival de lançamentos a longa distância também foi proporcionado pelo gambiano Moses Sonko e o inevitável Olímpio Cipriano.

 Carlos Morais, Eduardo Mingas, ambos com 20 pontos, e Olímpio Cipriano, com 16 pontos destacaram-se na formação da vila de Calulo. Felizardo Ambrósio "Miller", com 19 pontos e Cedrick Son, com 17, foram os mais inconformados da equipa militar. A equipa rubro e negro consentiu a sua sexta derrota na época frente ao Libolo, tendo conseguido apenas uma vitória nos confrontos directos.

Ainda ontem, para a outra meia-final, os petrolíferos da capital cilindraram os aviadores, por expressivos 114-70, e carimbaram praticamente o passe para a final da 30ª edição da Taça de Angola.

Os desafios da segunda mão estão marcados para a próxima sexta-feira. O Libolo recebe o 1º de Agosto, no Complexo do Dream Space, ao passo que o ASA recebe o Petro, no Pavilhão Principal da Cidadela. O Petro é o actual detentor da Taça de Angola.

FICHA TÉCNICA

Pavilhão: Victorino Cunha
Comissário: Soares de Campos
Arbitragem: David Manuel, Clésio Francisco e Deidi Figueira

1º de Agosto: Edson Ndoniema (5), Armando Costa (2), Adilson Baza (0), Mário Correia (11), Reggie Moore (2) , Felizardo Ambrósio "Miller" (19), Joaquim Gomes "Kikas" (9), Mutu Fonseca (0), Cedrick Ison (17), Carlos Almeida (0), Hermenegildo Santos (14) e Edmir Lucas (8).

Treinador: Paulo Macedo

Libolo: Francisco Sousa (0), Olímpio Cipriano (20), Luís Costa (6), Carlos Morais (20), José Miguel (0), António Monteiro (0), Moses Sonko (13), Abdel Moussa Bouckar (3), Eric Coleman (8), Eduardo Mingas (20), Romining Sambo (0).

Treinador: Norberto Alves

Marcha do marcador: 24-26, 38-50, 60-68, 87-95

BAI Basket
FAB analisa actuação dos árbitros

O desempenho dos juízes, oficiais de mesa e cronometristas durante a fase regular e de grupos da 36ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculino, vulgo BAI Basket, vai ser esta tarde, a partir das 16h30 minutos, alvo de uma análise exaustiva por parte da direcção técnica do órgão reitor da modalidade, acto a decorrer numa das salas de reuniões da Federação.
Nuno Teixeira, chefe do gabinete técnico e de formação da Federação Angolana de Basquetebol, Manuel Cristóvão «Jassy», responsável máximo do Conselho de Arbitragem da FAB vão presidir a reunião que se espera muito participativa.
A actuação dos homens do apito, fundamentalmente, durante a fase regular da 36ª edição do BAI Basket foi muito contestada pelos treinadores, razão pela qual, o órgão que supervisiona a arbitragem a nível da «bola ao cesto» decidiu promover este encontro para se encontrar mecanismos que possam ajudar a melhorar o desempenho dos árbitros durante a parte crucial do Campeonato Nacional.
Os critérios de nomeação dos trios vão ser igualmente debatidos no conclave desta tarde, marcado para uma das salas de reuniões da FAB, sita no Complexo da Cidadela Desportiva.
No início da presente época desportiva, juízes, oficiais de mesa e cronometristas foram submetidos a uma acção de refrescamento.
Angola possuiu nesta altura sete árbitros de categoria internacional, designadamente, Carlos Júlio, David Manuel, António Bernardo, Fernando Pacheco «Baganha», Clésio Francisco, Francisco Tandu e Osvaldo Neto, este último, ainda não realizou o teste físico exigido pela Fiba-África para renovar a sua carteira internacional.
Entretanto, a fase de grupos do BAI Basket regista nesta altura um interregno, em virtude da disputa da Taça de Angola, que ontem, organizou a primeira mão das meias-finais da referida competição.
As emoções da 36ª edição do Campeonato Nacional da «bola ao cesto» regressam às quadras no próximo dia 4 de Abril, com a disputa da primeira jornada da segunda volta da fase de grupos.
M.C

PALMARÉS
1985 - 1º de Agosto
1986 - 1º de Agosto
1987 - 1º de Agosto
1988 - 1º de Agosto
1989 - Dínamo
1990 - Petro de Luanda
1991 - Petro de Luanda
1992 - 1º de Agosto
1993 - ASA
1994 - Petro de Luanda
1995 - 1º de Agosto
1996 - Petro de Luanda
1997 - Petro de Luanda
1998 - Petro de Luanda
1999 - ASA
2000 - Petro de Luanda
2001 - Petro de Luanda
2002 - 1º de Agosto
2003 - 1º de Agosto
2004 - Petro de Luanda
2005 - 1º de Agosto
2006 - 1º de Agosto
2007 - Petro de Luanda
2008 - 1º de Agosto
2009 - 1º de Agosto
2010 - Recreat.do Libolo
2011 - Recreat.do Libolo
2012 - 1º de Agosto
2013-  Petro de Luanda
2014 - ???????????????

NBA
Ex-atleta surpreendido
com notícia da sua morte


O jogador de basquetebol, Quinton Ross, teve que prestar ontem um esclarecimento bastante esquisito: provar a amigos e familiares que estava vivo. O extremo base foi dado como morto pelo jornal americano The New York Post na segunda-feira, o que causou uma choque as pessoas próximas a ele.

Ross vive na região metropolitana de Dallas, no Texas, e estava num jogo de basquetebol universitário entre LSU e SMU quando a notícia da sua morte foi publicada no site do jornal. Ao acordar ontem viu que o telefone celular estava cheio de mensagens de pessoas preocupadas com o seu estado de saúde.

“O meu telefone tinha enlouquecido. Aí olhei o Facebook e depois vi na internet. Estavam a dizer que eu tinha morrido, não dá para acreditar”, disse o extremo, 32 anos. O New York Post havia noticiado na sua página na internet que Ross tinha sido encontrado morto e enterrado na cidade. Mais tarde, o diário corrigiu a história.

Após telefonar para as pessoas mais próximas, Quinton Ross postou na sua página no facebook que “estava ok”. “Alguns parentes estavam a chorar. Quero dizer, foi um dia difícil para a maioria dos meus familiares”, acrescentou.
Quinton Ross disputou sete épocas da NBA em cinco equipas diferentes, entre 2004 e 2011: Los Angeles Clippers, Memphis Grizzlies, Dallas Mavericks, Washintgon Wizards e New Jresey Nets. A sua última equipa foi o Boulazac, da França.