Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Petro surpreende Libolo

Melo Clemente - 12 de Outubro, 2017

Petro de Luanda venceu o Libolo

Fotografia: Jornal dos Desportos/ Edições Novembro

Contra todas as expectativas, a formação do Petro de Luanda surpreendeu a similar do Sport Libolo e Benfica, ao derrotá-lo ontem, no ex-Codenm, por 72-76, em partida a contar para a primeira jornada da 9ª edição do Torneio Victorino Cunha, prova que visa homenagear a figura do antigo seleccionador nacional dos hendecacampeões africanos, que continua em Lisboa, Portugal, onde recupera satisfatoriamente de uma intervenção cirúrgica a que submetido.

Mesmo com o seu "arsenal" completo, com particular realce para Reggie Moore, Pedro Bastos, Hermenegildo Mbunga e Teotóno Dó, todos provenientes da equipa petrolífera, a formação do Sport Libolo e Benfica foi incapaz de desfazer a estratégia montada pelo técnico camaronês, Lazare Adingono, que mais uma vez está a construir  uma equipa nova.

Incompreensivelmente, a partida começou sem os dois treinadores do Libolo, Raul Duarte e Ricardo Rodrigues, tendo o internacional angolano, Olímpio Cipriano, assumido de forma temporária o comando da equipa.

Ricardo Rodrigues apareceu quando já decorria o primeiro quarto, ao passo que o seu "comandante" fê-lo apenas no segundo período.
Sob liderança do técnico adjunto, os libaneses perderam no quarto inicial, por 15-23, fruto do maior rigor defensivo evidenciada pela rapaziada de Lazare Adingono, que apostava sistematicamente nas jogadas de contra ataque.

A equipa do Sport Libolo e Benfica entrou melhor no segundo quarto, onde privilegiava os lançamentos exteriores, tendo vencido no parcial por 21-17, o que perfez 40-36 ao cabo dos primeiros 24 minutos, a favor do conjunto do Eixo-viário.

As duas agremiações estiveram em bom plano no terceiro período. Aliás, a igualdade registada a 21 pontos, atesta perfeitamente o equilíbrio que prevaleceu nesta etapa de jogo.

A vencer por quatro pontos de diferença 61-57), a entrada do derradeiro quarto, os actuais campeões nacionais e detentores do troféu Victorino Cunha, não tiveram capacidade para travar a determinação da jovem formação do Petro de Luanda que impôs um rigoroso empate a 15 pontos, fixando o resultado final em 72-76, para os petrolíferos da capital que somaram os primeiros dois pontos, contra um do Libolo.

Reggie Moore, com 23 pontos, foi o cestinha da partida, seguido de Edmir Lucas, extremo base do Petro de Luanda, que anotou 18 pontos.

O cabo-verdiano do Petro de Luanda, Sekouba Conde, foi o rei dos ressaltos, com 12, sendo quatro ofensivos e oito defensivos, respectivamente.

Petro e 1º de Agosto lideram a competição, ambos com dois pontos, seguido do Libolo e Interclube, com um ponto cada.


FICHA TÉCNICA


Pavilhão: Victorino Cunha
Comissário: José Kuleca
Arbitragem: Francisco Tandu,
David Manuel e António Luvuati

Petro: Clai Cubango ( 1 ), Childe Dundão ( 13 ), Edmir Lucas ( 18 ), José ANTÓNIO ( 10), Sekouba Conde ( 9 ), André MIGUEL ( 4 ), Gerson Varanda ( 0 ), Domingos Bonifácio (10  ), Aboubakar Gakou (7  ), Malcon Tungo ( 0 ), Joaquim Pedro (  4), Pascoal Conde (0 ).
Treinador: Lazare Adingono

Libolo: Francisco Sousa (0  ),  Olímpio Cipriano (9  ), Roberto Fortes (4  ), Reggie Moore ( 23 ), Deogracio António (  0), Teotónio Dó ( 6 ), Hermenegildo Mbunga ( 3 ), Benvindo Quimbamba (0  ), Milton Barros (  9), Andre Harris ( 0 ), Jekel Foster ( 11 ), Pedro Bastos (7).
Treinador: Raul Duarte

Marcha do marcador:
23-15, 40-36, 61-57, 76-72

Hoje
Petro procura
segunda vitória


As formações do Petro de Luanda e do Grupo Deportivo Interclube defrontam-se hoje, a partir das 16h00, no ex-Cidenm, em partida a contar para a segunda jornada da 9ª edição do Torneio Victorino Cunha de basquetebol em seniores masculinos.

Depois de ter batido ontem a forte equipa do Sport Libolo e Benfica, por 76-72, na ronda inaugural da prova que visa homenagear a figura do antigo seleccionador nacional dos hendecacampeões africanos, professor Victorino Cunha, os petrolíferos da capital vão em busca da segunda vitória na competição, rumo à conquista do seu segundo troféu.

Os polícias que ontem baquearam frente aos militares, por 78-95, são quase que obrigados a vergar está tarde os petrolíferos da capital, a fim de se manterem na corrida ao título da 9ª edição do Torneio Victorino Cunha.

Polícias e petrolíferos vão seguramente proporcionar estar tarde uma boa partida de basquetebol, a julgar pelo potencial das duas colectividades.

Para o encerramento da jornada número dois, o 1º de Agosto recebe o Sport Libolo e Benfica, no ex-Cidenm, a partir das 18h00.

Tal como os polícias, os libolenses, actuais detentores do centro, são obrigados a vencer os militares, sob pena de dizerem adeus ao título da 9ª edição do Torneio Victorino Cunha.

Uma eventual vitória da equipa caseira, coloca os militares em excelente condições para reconquistar o troféu.


Primeira jornada
Militares superam polícias no encerramento


Com o internacional angolano, Eduardo Mingas, a assumir a titularidade, atleta que na época transacta representou as cores do Libolo, a formação do 1º de Agosto derrotou ontem o Grupo Desportivo Interclube, por 95-78, em desafio que marcou o encerramento da primeira jornada da 9ª edição do Torneio Victorino Cunha.

A jogar no seu reduto e com apoio incondicional da sua massa associativa, os militares, agora na versão Paulo Macedo, entraram melhor na partida, ao contrário dos polícias que se mostraram algo apáticos, fundamentalmente, no quarto inicial, onde perderam por 15-27.

O Clube Central das Forças Armadas Angolanas manteve o domínio nos primeiros seis minutos no segundo período, tendo a equipa adstrita a Polícia Nacional esboçado uma recuperação estrondosa nos minutos finais.

Aliás, o empate registado a 24 pontos no segundo quarto, atesta perfeitamente o quão foi equilibrada a partida nesta etapa. Os militares foram  para o intervalo maior a vencer por 51-39.Sem o técnico português, Alberto Babo, no banco da sua colectividade, em virtude de ter sido expulso pelo árbitro internacional, Mbunga Pedro, por reclamar sistematicamente das decisões do trio, os polícias conseguiram reagir no terceiro quarto, tendo anulado a vantagem da formação caseira. A faltarem pouco menos de dois minutos para o final do terceiro período, as duas equipas estavam empatadas a 65 pontos.

Com o veterano Eduardo Mingas a liderar o jogo interior dos militares, a formação caseira foi mais eficiente no ataque, ao contrário dos polícias, que tiveram que render-se a superioridade do Clube Central das Forças Armadas Angolanas. 95-78 foi o resultado final, a favor da equipa anfitriã.

O internacional angolano, Islando Manuel, com 20 pontos foi o cestinha da partida, contra 16 do jovem Alexandre Jungo, do Grupo Desportivo Interclube.

Petro e 1º de Agosto lideram a prova, ambos com dois pontos, contra um do Libolo e Interclube, respectivamente.
M.C