Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Petro vence e reduz desvantagem

02 de Junho, 2018

Petrolferos reduziram a vantagem militar

Fotografia: SANTOS PEDRO | EDIES NOVEMBRO

O Petro de Luanda colocou um freio na sequência de vitórias do 1º de Agosto e insuflou oxigénio na luta pela conquista do título nacional ao vencer ontem, à noite, no Arena do Kilamba, por 100-90, na terceira partida das sete possíveis dos play off da 40ª edição do campeonato sénior masculino de Basquetebol, também designada de Unitel Basket. Depois de ter sido vergado em casa do adversário nos depois primeiros encontros, no pavilhão Vitorino Cunha, a equipa às ordens do técnico Lazare Andingono não se fez rogada perante a súplica da sua massa associativa que se deslocou ao pavilhão da nova zona urbanística de Luanda. Os adeptos tricolores empurraram ao necessário triunfo. Os militares do Rio Seco não conseguiram lograr  o preconizado 3-0 e falham a margem folgada para o quarto duelo marcada para amanhã, às 18h00, no mesmo local. Seria trivial afirmar que o jogo se saldou pelo equilíbrio, mas numa breve incursão de pormenores que estiveram na essência do triunfo, destaca-se o facto dos pupilos de Paulo Macedo revelarem-se uma dose de permeabilidade pouco comum na sua secção transversal. O experiente extremo-poste Leonel Paulo tirou a rentabilidade que se impunha para, sobretudo, no terceiro quarto, alargar a vantagem a favor do Petro de Luanda. Mesmo com a perspicácia e visão periférica do estremo-base militar, Emanuel Quezada, entre outras unidades na manobra ofensiva, só ficou reduzida pela metade. No dois primeiros períodos, tudo apontava para um novo triunfo a favor dos militares. A formação do Eixo-viário insistia no jogo exterior e a percentagem de finalização era diametralmente proporcional ao número de falhas. Contudo, Lazare Andigono foi a tempo de alterar a estratégia de jogo, antes dos visitantes explorarem com eficiência a vulnerabilidade existente no ataque e na defesa. Os parciais 17- 15 e 46-39 não fugiram muito do que sucedera no limiar dos dois encontros precedentes. O 1º de Agosto relaxou bastante, após o intervalo. A equipa voltou desestruturada, com indícios de que Paulo Macedo, na ânsia de fazer rodar algumas peças com menos horas de jogo, se deparou com um Petro de Luanda transfigurado no ataque. Gerson Gonçalves, Leonel Paulo, Child Dudão, Aboubakar Gakou e outros deram um pouco mais de si em prol do colectivo. A equipa tricolor venceu os dois períodos finais pelos parciais de 28-20 (74-59) e 26-21 (100-90). No final do Jogo, o técnico Paulo Macedo reconheceu: \"sabíamos que seria um jogo difícil, mas a equipa hoje esteve mal, pois relaxámos e o Petro de Luanda aproveitou para se impor. Quando tentamos já era tarde\".
No lado petrolífero, Lazare Andigono felicitou a equipa pelo triunfo e apelou a \"um esforço colectivo para que a próxima partida volte a ser coroada com vitória\".