Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Polícia controla falsas identidades

Gaudêncio Hamelay, no Lubango - 15 de Dezembro, 2014

Por esse facto, Diogo Gomes apela às direcções técnicas dos clubes participantes nos nacionais de sub-14 a evitar a adulteração de idades dos atletas.

Fotografia: M. Machangongo

A Associação Provincial de Basquetebol da Huíla (APBH) promete responsabilizar criminalmente os clubes e os atletas, que pautarem pela falsificação da idade, durante a disputa da 23ª edição dos Campeonatos Nacionais de Basquetebol em Sub-14, que decorre de 16 a 22 deste mês, na cidade do Lubango.

O secretário- geral da Associação de Basquetebol da Huíla, Diogo Rodrigues Gomes, assegurou que,  em consequência dos factos constatados aquando da realização dos campeonatos nacionais em Sub-18, em Janeiro último, a Associação provincial enquadrou no comité de organização dos campeonatos nacionais elementos ligados à Direcção Provincial de Investigação Criminal da Huíla, com vista a apurar os casos do género, assim como  detectar as situações que possam manchar o campeonato em termos de idade.

Diogo Gomes esclareceu que o fenómeno de falsificação de idade tem se constatado todos os anos, nessa categoria, e para combatê-lo e desencorajar a prática é necessário tomar medidas punitivas rigorosas. O responsável acrescentou que a experiência utilizada nos campeonatos de sub-18, também serve para os sub-14, com vista a colmatar eventuais situações que possam surgir no tocante à adulteração de idades.

“Felizmente, fruto dessa parceria com a Investigação Criminal conseguimos ter uma prova bem sucedida”, disse. Diogo Gomes argumentou que muitos atletas despertam tarde para a modalidade, o que constitui motivo da adulteração das idades nessa categoria. Os atletas começam a praticar o basquetebol aos 15 anos e os clubes, às vezes, ajudam-no a alterar a idade, porque precisam deles dentro do campo, segundo o responsável associativo.

Outra consequência da adulteração de idades tem a ver com a desmotivação que causa aos atletas menores. Muitos adolescentes, quando se deparam com jogadores adultos, ficam inibidos e perdem a motivação de jogar, podem mesmo abandonar  a prática do desporto, disse Diogo Gomes.

A presença de efectivos da investigação criminal no comité organizador é uma decisão, que vai permanecer para todos os eventos desportivos na Huíla, para responsabilizar as pessoas criminalmente, que continuam a pautar por condutas indecorosas. Por esse facto, Diogo Gomes apela às direcções técnicas dos clubes participantes nos nacionais de sub-14 a evitar a adulteração de idades dos atletas.