Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

rbitros pedem destituio de Boaventura na ANJBA

Melo Clemente - 17 de Outubro, 2019

Wilson Boaventura ( esqueda) cumpre o seu terceiro ano de mandato a frente dos destinos da ANJBA

Fotografia: Dr

A Mesa da Assembleia Geral da Associação Nacional de Juízes de Basquetebol de Angola (ANJBA), vai reunir nos próximos dias em Assembleia Geral Extraordinária, para analisar o pedido de destituição do presidente de direcção daquela associação, Wilson Boaventura, feito pelos homens do apito por meio de um baixo assinado.
Cansados com a forma pouco ortodoxa, como o antigo árbitro tem conduzido os destinos da Associação Nacional de Juízes de Basquetebol de Angola (ANJBA), os homens do apito decidiram fazer um baixo assinado, para a destituição do seu líder, que o acusam de estar fortemente ligado com o presidente de direcção da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), Hélder Martins da Cruz \\\"Maneda\\\", situação que tem contribuído para a não cumprimento nos pagamentos dos prémios dos árbitros.
A cumprir o seu penúltimo mandato a frente dos destinos da ANJBA, Wilson Boaventura tem sido fortemente contestado pelos seus antigos companheiros do apito, facto que levou o presidente da referida associação a colocar o seu lugar à disposição, pedido prontamente recusado pelo presidente da Mesa da Assembleia Geral da Associação Nacional de Juízes de Basquetebol de Angola, Francisco António \\\"Cabinda\\\".
Em declarações ontem, ao Jornal dos Desportos, o presidente da Mesa da Assembleia Geral da Associação Nacional de Juízes de Basquetebol de Angola, Francisco António \\\"Cabinda\\\", confirmou a recepção do baixo assinado para a destituição de Wilson Boaventura, tendo assegurado que o seu pelouro vai reunir em Assembleia Geral Extraordinária nas próximas horas, para analisar a crise que se instalou na ANJBA.
\\\"De facto, a mesa da assembleia geral recebeu um baixo assinado dos árbitros, em que solicitam a destituição do actual presidente de direcção, Wilson Boaventura. Os árbitros alegam que o presidente nada tem feito em prol da classe, por estar ligado ao presidente de direcção da FAB. Portanto, nós vamos reunir nos próximos dias, para sanarmos esta situação. Aliás, em face destas convulsões, o senhor Wilson Boaventura já tinha manifestado o seu desejo em colocar o seu lugar à disposição mas, nós, aconselhamos a terminar o seu mandato\\\", disse.
De acordo ainda com aquele responsável, os homens do apito sugerem que a ANJBA seja conduzida por uma Comissão de Gestão até o próximo ano, altura em que a actual direcção cessa as suas funções.
\\\"O que nós temos apelado é o bom senso dos nossos associados. Eles falam em comissão de gestão e ninguém quer assumir a tal comissão\\\", desabafou Francisco António \\\"Cabinda\\\".
Entretanto, em declarações ao Jornal dos Desportos, Wilson Boaventura, afirmou que até ontem não tinha recebido qualquer baixo assinado dos seus associados. \\\"Portanto, ouvi falar sobre a existência deste documento mas, honestamente, não recebi nada. Se calhar, o presidente da Mesa da Assembleia Geral, o senhor Francisco António \\\"Cabinda\\\" poderá lhe confirmar sobre a existência deste baixo assinado\\\".
Quanto as acusações de que é alvo, segundo a qual, está directamente ligado ao presidente da FAB, situação que tem contribuído para o não pagamento, Wilson Boaventura negou categoricamente.
\\\"Isto não faz qualquer sentido. Nós, associação, temos trabalhado em parceria com os nossos filiados, porque os problemas tocam a todos nós\\\", finalizou o antigo árbitro de basquetebol.

BOAVENTURA REAFIRMA
POSIÇÃO DOS ÁRBITROS

O presidente da Associação Nacional de Juízes de Basquetebol de Angola (ANJBA), Wilson Boaventura, reafirmou ontem, ao Jornal dos Desportos, que o arranque da 42ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos, está condicionado ao pagamento na totalidade dos prémios em atraso.
\\\"É ponto assente, que se a direcção da federação angolana da modalidade não pagar na totalidade as dívidas que tem para com os homens do apito, o campeonato nacional não vai arrancar. Portanto, a FAB tem conhecimento da decisão que os árbitros tomaram, após a reunião da última terça-feira\\\".
O homem forte da ANJBA assegurou, que a dívida ronda os oito a dez milhões de kwanzas. \\\"Como sabe, nem todos os árbitros recebem o mesmo valor. A dívida ronda os oito a dez milhões de kwanzas\\\", finalizou Wilson Boaventura.
A direcção da FAB, liderada por Hélder Martins da Cruz \\\"Maneda\\\", tem até ao dia de hoje, quinta-feira, para pagar as dívidas.
A primeira jornada do Campeonato Nacional da \\\"bola ao cesto\\\" está marcada para amanhã, sexta-feira, dia 18, e compreende o seguinte cartaz: Clube Universidade Lusíada-Clube Formação Desportiva Kwanza, Petro de Luanda-Grupo Desportivo da Marinha de Guerra, Futebol Clube Vila Clotilde-Grupo Desportivo Interclube e Atlético Sport Aviação (ASA)-1º de Agosto. Petro de Luanda é o actual detentor do título nacional.