Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Regresso agrada a adeptos

04 de Julho, 2014

Capitã da Selecção Nacional está de regresso para gáudio da população de Luanda depois de ter sido afastada do grupo campeão

Fotografia: Dombele Bernardo

A família do basquetebol angolano e a população de Luanda receberam com bom agrado a informação do regresso da capitã Nacissela Maurício à selecção nacional sénior feminina, visando o campeonato do mundo a realizar-se na Turquia de 27 de Setembro a 5 de Outubro. A atleta do 1º de Agosto havia sido afastada do grupo por liderar um protesto relacionado com os prémios de participação nos campeonatos africanos.

Numa ronda feita ontem, a população jovem de Luanda e amante do basquetebol manifestou regozijo pela decisão tomada pela equipa técnica da selecção nacional, liderada por Aníbal Moreira.

Manuel Joaquim, funcionário público, disse que o regresso de Nacissela Maurício à selecção nacional justifica o trabalho que desenvolveu ao longo da época com a camisola do 1.º de Agosto.

"Numa época tão concorrida, Nacissela Maurício ajudou o 1.º de Agosto a conquistar a triplete, um feito inédito no basquetebol sénior feminino angolano. Por esse facto, não se justificava a ausência da selecção nacional da MVP de África", disse.

O jovem funcionário assegurou que "as pessoas sabem do valor da Nacissela Maurício no desporto nacional, mas estava a pagar um preço muito alto por questões extradesporto". Para Manuel Joaquim, "o mais importante é que tudo está ultrapassado e chegou a hora de arregaçar as mangas para o bem comum".

Marta Dengue, estudante universitária, realça que Aníbal Moreira foi "pressionado a recuar da decisão, sob pena de arcar com as despesas". A estudante afirmou que "só não se apercebeu das causas do afastamento quem não acompanha o desporto, em especial o basquetebol".

Marta Dengue socorre-se da experiência como mulher para justificar a ausência na selecção nacional: "Os verdadeiros motivos não são as reivindicações de Nacissela, Camufal e outras, há outras questões de fundo, só quem está no desporto sabe explicá-los".

Questionada sobre o novo momento do basquetebol feminino, Marta Dengue disse que "Nacissela Maurício, Catarina Camufal e Ngiendula Filipe têm lugar em qualquer selecção de África".

O regresso da tripla à selecção nacional vai ser feita em conferência de imprensa a ter lugar nos próximos dias em Luanda. O seleccionador nacional Aníbal Moreira mantém o grupo de 15 de atletas e a triagem final vai ser feita na segunda semana de Setembro, antes do embarque para o palco da competição mundial.

 Angola está no grupo D do campeonato do mundo e joga na cidade de Istambul com as selecções da Sérvia, China e Estados Unidos da América.


Nba
LeBron exige
salário máximo


As exigências de LeBron James como agente livre são diferentes das de quatro anos atrás, quando foi para o Miami Heat onde recebia menos dinheiro do que receberia caso ficasse em Cleveland. Agora, LeBron James busca um novo contrato na NBA e quer o salário máximo possível, projectado para girar em torno de 20,7 milhões dólares, de acordo com a ESPN dos Estados Unidos.

A informação pode ser um indício de que o jogador eleito MVP da NBA quatro vezes pode estar de saída mesmo do Miami Heat. Estima-se que o tecto salarial para a próxima época gire em torno de 63 milhões de dólares, e a equipa da Florida ainda tem de negociar os novos vínculos de Chris Bosh e Dwyane Wade, e montar um elenco competitivo, com os 55 milhões de dólares que tem disponíveis para gastar neste momento.

Por esse motivo, manter LeBron com 20,7 milhões de dólares de salário, Wade, Bosh e ainda o formar um elenco competitivo pode ser complicado para Miami.

Mesmo sendo o melhor jogador desta geração na NBA, LeBron nunca teve o salário mais alto na sua equipa em 11 anos de carreira. Nas quatro últimas épocas ganhou os mesmos de Chris Bosh;  era o segundo mais bem pago depois de Shaquille O'Neal,  Ben Wallace. De 2003 a 2007 era o quinto mais bem pago no Cleveland Cavaliers.


Contratação
Equipas querem
serviço de James


LeBron James falou sobre o futuro com os seus dois aliados no "supertrio" do Miami Heat, Dwyane Wade e Chris Bosh. Porém, LeBron já tem um "preço", 20,7 milhões de dólares, segundo a ESPN dos Estados Unidos.

Esse valor representa a quantia máxima que LeBron pode receber de salário para a próxima época. Sendo assim, um grupo selecto de equipas da NBA tem, de facto, oportunidade de contratar o astro eleito quatro vezes MVP.

As equipas que neste momento, segundo o site "spotrac.com", têm espaço disponível no tecto salarial para fazerem uma oferta a LeBron James com o primeiro ano tendo um salário de 20,7 milhões de dólares são: Detroit Pistons, 23,5 milhões de dólares, a Los Angeles Lakers, 28,1 milhões, a Dallas Mavericks, 28,6 milhões, a Orlando Magic, 28,7 milhões, a Utah Jazz, 30,9 milhões, a Philadelphia 76ers, 32,6 milhões, a Phoenix Suns, 37,5 milhões e a Miami Heat, 60,3 milhões de dólares.Dentre esses, o Miami Heat é o que mais tem espaço livre no tecto salarial. Apenas dois jogadores (Norris Cole e Justin Hamilton), que combinados tiram 2,8 milhões de dólares dos cofres da equipa, têm contrato garantido para a próxima época. Com isso, o Heat tem pouco mais de 60 milhões de dólares para gastar.