Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Seleco acelera na liderana

Hlder Jeremias - 23 de Agosto, 2013

Angolanos mantm-se na senda de vitrias e vo encontrar a RCA no fecho da fase preliminar

Fotografia: AFP

A Selecção Nacional venceu ontem, à noite, a sua congénere de Moçambique no pavilhão Palácio do Desportivo de Treicheville, por 91-73, em partida pontuável para a segunda jornada do grupo C da 27ª edição do Campeonato Africano de Basquetebol sénior masculino (Afrobasket).

Apesar de ter vencido, Angola evidenciou alguma vulnerabilidade no seu sistema táctico. Melhores esclarecidos do ponto de vista físico, os comandados de Paulo Macedo começaram a tropeçar ainda no primeiro quarto, em que não se vislumbrava um fio de jogo, pelo facto dos deca-campeões terem subestimado o adversário. Essa situação traduziu-se na pouca eficácia em termos de finalização, muito embora tenham vencido o período inicial por três pontos (17-14).

O segundo quarto foi o mais crítico para a formação que procura o resgate do título continental. A falta de entrosamento quer em termos defensivos quer nos aspectos ofensivos permitiram à equipa do Índico tirar proveito na eficácia dos lançamentos exteriores, sector em que o extremo Augusto Matos, Samora Mucuvale e Armando Baptista interpretaram da melhor maneira. A selecção de Moçambique chegou ao intervalo a vencer por um ponto (37-38).

O combinado nacional só deu conta por si no regresso do intervalo. A equipa de Paulo Macedo estancou a avalanche ofensiva do adversário, através de uma defesa homem a homem mais coesa, ao mesmo tempo que a destreza de Carlos Morais, Olímpio Cipriano e Milton Barros encontravam o necessário entrosamento com o poderio de Eduardo Mingas e Felizardo Ambrósio na luta debaixo do cesto. Porém, o resultado não pode superar os nove pontos (60-51).

Com Valdelício Joaquim e Reggie Moore ainda alguns furos abaixos, os pupilos de Paulo Macedo fizeram jus ao estatuto de candidatos ao ouro continental ao repelirem sem apelo nem agravo as investidas dos moçambicanos, sobretudo, no quarto derradeiro em que os angolanos estabeleceram a retumbante vitória de 91-73 com um festival de “smaches” e jogadas acrobáticas.


GRUPO C
Cabo Verde vence Centro-Africanos


A selecção cabo-verdiana de basquetebol venceu ontem a sua congénere da República Centro-Africana por 90-82, em jogo da segunda jornada do Grupo C do Afrobasket’2013. Os Tubarões Martelo melhoraram muito o seu jogo, depois da derrota na jornada inaugural frente a Angola. Rodrigo Mascarenhas e Dimitri Coronel foram os destaques.

Com Vinny Lima em bom plano, ajudado por Rodrigo Mascarenhas, Dimitri Coronel e Eddy Walter, Cabo Verde comandou quase sempre as operações e esteve sempre em vantagem no marcador, nunca dando hipóteses aos centro-africanos.

No primeiro período, os Tubarões Martelo venciam por 12 pontos de diferença (23-11) mas permitiram a recuperação da formação da África Central, que venceu o segundo período por 26-22. Apesar dessa recuperação, era Cabo Verde quem seguia na frente do marcador ao intervalo (45-38).

O terceiro período foi dos mais renhidos, com Cabo Verde a vencer por 19-18. Os centro-africanos ainda venceram o último quarto pela margem mínima (27-26) mas a vitória não fugiu a Cabo Verde que venceu por 90-82.

Destaque na formação crioula para Rodrigo Mascarenhas, com 17 pontos, 12 ressaltos e duas assistências. Dimitri Coronel também esteve em bom plano, com 17 pontos e cinco ressaltos. Vinny Lima com 15 pontos e Eddy Walter com 11 e Shane da Rosa com 11 também ajudaram na primeira vitória de Cabo Verde no Afrobasket’2013 que decorre em Abidjan, capital da Costa do Marfim.

Do lado da República Centro-Africana, Makongo com 14, Kouguere com 13 e Kossangue com 12 pontos foram os destaques. Amanhã, Cabo Verde mede forças com Moçambique, em novo duelo lusófono e a República Centro-Africana termina a fase de grupos frente a Angola.



IMPRENSA
Chris Paul é presidente
da Associação de Jogadores


O base Chris Paul, do Los Angeles Clippers, foi eleito presidente da Associação Nacional de Jogadores de Basquetebol dos Estados Unidos (NBPA), na última quarta-feira, durante a reunião de Verão da entidade, em Las Vegas (EUA). O atleta vai suceder no posto ao veterano Derek Fisher.

“Uma das prioridades é alcançar o maior envolvimento e a união possível dos jogadores”, disse o camisa três do Clippers após a eleição. Paul, de 28 anos de idade, é o primeiro grande nome do basquetebol a presidir à entidade desde que o mandato do poste Patrick Ewing expirou em 2001. O astro do Clippers foi seleccionado para o All-Star Game em seis oportunidades e integrou a equipa ideal da NBA na época passada.

O vice-comissário da NBA, Adam Silver, exaltou a chegada de Chris Paul ao posto e disse que pretende trabalhar em conjunto com o atleta.
“Chris Paul é uma estrela do basquetebol e é uma pessoa com quem pretendemos trabalhar em conjunto”, disse.

Com presença constante na selecção norte-americana de basquetebol, Chris Paul ainda tem no currículo duas medalhas de ouro com os EUA, conquistadas nos Jogos Olímpicos de Beijing’2008 e Londres’2012. Recentemente, firmou um acordo de cinco anos com o Clippers e vai receber 170 milhões de dólares (cerca de 17 mil milhões de kwanzas). O extremo do Miami Heat, LeBron James, cogitou a candidatura ao cargo, mas em seguida desistiu da ideia.

IMPRENSA
Fab Melo deixa os Celtics


A passagem do poste Fab Melo pelo Boston Celtics terminou ontem, quando o brasileiro foi negociado com o Memphis Grizzlies em troca do extremo-poste Donte Greene, que chega sem um contrato garantido.

Os Celtics informaram que a saída de Melo, seleccionado com o número 22 no draft de 2012, vai recolocar o clube abaixo do tecto salarial e dessa maneira evitar o pagamento do imposto extra.

Com a saída do atleta brasileiro, a equipa de Boston vai ter um elenco que vai custar abaixo dos 71,8 milhões de dólares (cerca de 7,2 mil milhões de kwanzas) estabelecidos como tecto. Fab Melo tem um contrato de 1,3 milhões de dólares (cerca de 130 milhões de kwanzas).

Os Celtics também libertaram um poste que não cumpriu as expectativas criadas e o levaram a ser seleccionado. Neste ano, defendeu o Maine Rede Claws, da Liga de Desenvolvimento da NBA, e teve rendimento abaixo do esperado, com média de 9,8 pontos, seis ressaltos, 3,1 tampões e 26,2 minutos em quadra por partida.

Além disso, a equipa seleccionou o também poste Kelly Olynyk, que esta época vai actuar na Turquia, e contrataram o extremo-poste brasileiro Vitor Faverani, que estava no basquetebol espanhol.