Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Seleco ensaia Afrobasket em Brazzaville

Melo Clemente - 06 de Setembro, 2015

Delegao angolana est desde as primeiras horas da tarde de ontem no Congo Brazzaville palco dos dcimos primeiros Jogos Africanos competio que arrancou na sexta-feira

Fotografia: Nuno Flash

A Selecção Nacional de basquetebol sénior feminina realiza hoje a segunda sessão de treinos, no Congo Brazzaville, palco da disputa dos XI Jogos Africanos, competição que serve de antecâmara, tendo em vista o Campeonato Africano das Nações, vulgo Afrobasket, prova a decorrer de 26 do corrente a 04 de Outubro próximo, nos Camarões.

 A delegação angolana desembarcou nas primeiras horas da amanhã de ontem, no Congo Brazzaville, cidade que acolhe até ao dia 19 do mês em curso, a XI edição dos Jogos Africanos.

Ontem, as campeãs africanas sob liderança do técnico angolano, Jaime Covilhã, que substituiu Aníbal Moreira, antigo internacional angolano, realizaram a primeira sessão de treinos, virada essencialmente para o trabalho de recuperação.

Depois de ter realizado uma preparação cuidada na capital do país, Luanda, a Selecção Nacional sénior feminina partiu para o palco da competição, com os índices de motivação em alta.

As angolanas que na edição de 2011, prova disputa em Maputo, capital moçambicana, perderam a medalha de ouro à favor da selecção caseira, vão procurar resgatar o troféu na presente edição da competição.

Apesar do objectivo estar virado para a conquista da medalha de ouro, a Selecção Nacional sénior feminina vai aproveitar os XI Jogos Africanos para ganhar ritmo competitivo, visando a disputa do Campeonato Africano das Nações (Afrobasket), a decorrer nos Camarões.

Depois de ter conquistado as últimas duas edições do Afrobasket, as angolanas são apontadas como principais favoritas à conquista da medalha de ouro nos XI Jogos Africanos, competição que arrancou na última sexta-feira, com a realização da cerimónia de abertura.
 A Selecção Nacional vai ser capitaneada pela veterana Nacissela Maurício, extremo poste da formação do 1º de Agosto.

Em declarações à comunicação social, momentos antes do embarque para o local da competição, Nacissela Maurício assumiu em nome do grupo a luta pela conquista da medalha de ouro.

"Penso que todo trabalho foi realizado em Luanda. Estamos agora concentrada com o único objectivo de lutar pela medalha de ouro e posteriormente fazer o mesmo, no Afrobasket dos Camarões", vaticinou a extremo poste, que foi decisiva na conquista dos dois títulos africanos.

Entretanto, para o Campeonato Africano das Nações dos Camarões, a Selecção Nacional figura no Grupo B, juntamente com Senegal, Guiné Conakry, Argélia, Nigéria, sendo que a sexta selecção será beneficiada do "Will Card" (convite) da Fiba-Afrique.Já no Grupo A, estão as selecções dos Camarões, Moçambique, África do Sul, Gabão, Uganda e Mali.


Eurobasket
Elite europeia
sonha com “Rio”


A mais antiga competição do Velho Continente arrancou ontem, com 24 selecções à procura do título na 39.ª edição do EuroBasket, bem como do apuramento olímpico: para o Rio’2016 qualificam-se directamente os dois finalistas deste Europeu.

A Ucrânia foi o país inicialmente escolhido pela FIBA como sede do Eurobasket’2015. Contudo, devido ao clima de instabilidade vivido no país, após a anexação da Crimeia pela Rússia, o organismo decidiu dividir a fase de grupos da prova, até 10 de Setembro, por quatro cidades: Zagreb (Croácia), Montpellier (França), Berlim (Alemanha) e Riga (Letónia), enquanto a fase decisiva (de 12 a 20 de Setembro) irá decorrer no Estádio Pierre-Mauroy, com capacidade para 27 mil espectadores, em Lille (França).

A França, actual detentora do título, conquistado em 2013, na Eslovénia – Tony Parker foi eleito o melhor jogador –, reúne a maior dose de favoritismo, não só porque joga a fase final no seu país como integra o maior número de jogadores a actuarem na NBA (seis).

Mas a França não é a única candidata. Espanha, Alemanha, Sérvia, Turquia, Itália, Rússia e Lituânia são também países com legítimas aspirações aos lugares do pódio na competição.

GRUPO B
A cidade de Berlim vai ser a sede do grupo que reúne o maior número de selecções candidatas à vitória final. Na capital germânica, além da anfitriã Alemanha, de Dirk Nowitzki – que aos 37 anos regressa à selecção após uma ausência de quatro anos –, competem as equipas de Espanha (de Pau Gasol e Rudy Fernandez), Sérvia (Milos Teodosic), Itália (Marco Belinelli e Danilo Gallinari), Turquia (Oguz Savas) e ainda a Islândia. Um autêntico grupo da morte. Entretanto, ontem, a Espanha perdeu com Ucrânia, por 70-80.