Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Seleco Nacional est no pas

Melo Clemente - 01 de Março, 2015

Hendecacampees africanos passearam classe no torneio de apuramento de Bulawayo

Fotografia: M. Machangongo

A Selecção Nacional de basquetebol de seniores masculinos regressou ontem a   Luanda, proveniente de Bulawayo, Zimbabwe, onde disputou, de 21 a 28 de Fevereiro, o torneio de apuramento aos Jogos Africanos do Congo Brazzaville, prova a decorrer de 4 a 19 de Setembro do ano em curso.

Sob o comando da dupla técnica Emanuel Trovoada e Manuel da Silva "Gi", ambos adjuntos do técnico espanhol Ramón López Suárez, Moncho López, a Selecção Nacional conseguiu terminar de forma invicta a prova, assegurando o passe de acesso aos Jogos Africanos do Congo Brazzaville. Tal como se esperava, o combinado nacional, onze vezes campeão do continente africano, superou com alguma naturalidade os seus adversários, que tiveram de se render à superioridade do basquetebol angolano.

Inserido no Grupo I, ao lado das selecções do Zimbabwe, país anfitrião, África do Sul e Seyshelles, a Selecção Nacional  fez-se presente sem seis atletas que constituem o seu núcleo duro, Carlos Morais, Olímpio Cipriano, Milton Barros, Joaquim Gomes "Kikas", Yanick Moreira e Hermenegildo Santos, e conseguiu seis vitórias em igual número de partidas. Na partida de estreia, a Selecção Nacional, que este ano vai em busca do apuramento aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, depois de Barcelona1992, Atlanta1996, Sidney2000, Atenas2004 e Pequim2008, bateu o país anfitrião, por expressivos 100-49. Na segunda jornada da primeira volta do torneio, os angolanos venceram os sul-africanos por 121-65, encerrando a primeira volta com uma vitória expressiva diante das Seyshelles, 117-55.

Com domínio avassalador na primeira volta, o técnico Emanuel Trovoada fez descansar as suas principais unidades na segunda volta da competição, casos de Armando Costa, Eduardo Mingas e Reggie Moore, dando maior tempo aos novatos, como Carlos Cabral, Pedro Bastos, Afonso Rodrigues e Miguel Kiala.

A Selecção Nacional manteve a senda de triunfos. Zimbabwe e África do Sul, contra todas as expectativas, conseguiram evitar a chapa cem, perdendo por 50-98 e 70-87 respectivamente.

E no fecho da competição,  a Selecção Nacional derrotou as Seyshelles, por 103-48, terminando a prova de forma invicta.

Em seis partidas, a Selecção Nacional marcou 626 pontos, o que representa uma média de 104,3 pontos, e sofreu 337 pontos, uma média de 56,1 pontos.