Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Seleco trabalha amputada

Melo Clemente - 23 de Julho, 2015

Seleccionador nacional Carlos Dinis trabalha com poucos atletas do total de convocados para os Jogos Africanos do Congo

Fotografia: M.Machagongo

A Selecção Nacional de basquetebol sénior masculino B continua a trabalhar de forma amputada, no Pavilhão Principal da Cidadela, com  vista a  sua participação nos XI Jogos Africanos do Congo Brazzaville, prova a decorrer de 09 a 18 de Setembro.

Dos 26 convocados pelo seleccionador nacional, Carlos Dinis, apenas nove estão a trabalhar desde segunda-feira, em sessão única do dia.
Trata-se de Islando Manuel, Jerson Gonçalves, Zola Paulo, Carlos Cabral, Egídio Ventura, Paulo Barros, Alexandre Jungo, campeão africano de sub-16, Gerson Domingos e Ricardo Ucuahamba, este último filho do antigo internacional angolano, Benjamin Avô.

Depois de alguma incerteza que pairou no ar, relativamente, ao arranque dos trabalhos de preparação do “cinco” nacional, finalmente, o grupo deu início aos trabalhos na segunda-feira, sob o comando do técnico Carlos Dinis.

Do grupo seleccionado para "operação" Congo Brazzaville, num total de 26 atletas, 12 estão ao serviço da Selecção Nacional A, que projecta em Espanha, a 28ª edição do Campeonato Africano das Nações, vulgo Afrobasket, prova  a decorrer de 19 a 30 de Agosto do ano em curso.

Trata-se de Armando Costa, Hermenegildo Santos, Edmir Lucas, Edson Ndoniema, Reggie Moore, Felizardo Ambrósio "Miller", Mohamed Cissé Malick, Valdelício Joaquim, Braúlio Morais, Domingos Bonifácio, Roberto Fortes, Yanick Moreira e Sílvio Sousa.

Entretanto, Bruno Fernandes, atleta que milita nos Estados Unidos da América, e John Pedro, em gozo de férias na Alemanha, devem juntar-se ao grupo a qualquer momento, de acordo com Nuno Teixeira, coordenador da Selecção B, que vai disputar os XI Jogos Africanos do Congo Brazzaville, com os olhos postos na medalha de ouro.

“Não lhe posso precisar as datas da chegada destes dois jogadores, mas o que lhe posso afirmar é que a qualquer altura eles vão estar à disposição do seleccionador nacional”.

Hoje, a partir das 10h00, no Pavilhão Principal da Cidadela, acontece mais uma sessão de treinos, por sinal, a quarta da semana. Nesta primeira semana de preparação, Carlos Dinis tem dado maior incidência aos aspectos técnicos e tácticos, sem descurar a vertente física .

Eis os atletas convocados para os XI Jogos Africanos do Congo Brazzaville: Armando Costa, Hermenegildo Santos, Edmir Lucas, Edson Ndoniema, Reggie Moore, Felizardo Ambrósio "Miller, Islando Manuel, Mohamed Cissé Malick e Johne Pedro, todos do 1º de Agosto, Valdelício Joaquim, Braúlio Morais, ambos do Recreativo do Libolo, Domingos Bonifácio, Hermenegildo Mbunga, Roberto Fortes, Jerson Gonçalves (Atlético Petróleos de Luanda), Zola Paulo, Carlos Cabral e Egídio Ventura (Atlético Sport Aviação ASA), Paulo Barros (Interclube), Alexandre Jungo e Gerson Domingos (Futebol Clube Vila Clotilde), Moisés César (Sporting do Bié), Yanick Moreira (Universidade Metodista de Dallas), Bruno Fernandes e Sívio Sousa, ambas a militarem em universidades norte-americanas e Ricardo Ucuahamba.

AFROBASKET
Ministro almeja
final com Angola


O ministro da Juventude e Desportos de Moçambique, Alberto Nkutumula, augura uma final entre as selecções do seu país e de Angola, no campeonato africano sénior feminino de basquetebol (Afrobasket2015), a disputar-se de 24 de Setembro a 4 de Outubro, nos Camarões. Numa antevisão aquilo que vai ser a prova, o governante moçambicano referiu em declarações exclusivas à Angop, em Maputo, que os dois conjuntos, sem desprimor aos demais, têm feito um árduo trabalho a nível da modalidade, daí esperar uma final entre ambas.

Apesar de reconhecer as potencialidades de outros países, como Senegal, Mali e Nigéria, o dirigente de Moçambique, actual vice -campeão, acredita mesmo que as maiores dificuldades a enfrentar vão ser diante das angolanas, detentoras do título.

“Angola tem uma equipa muito forte e mostrou isso, quando aqui em Maputo, na edição passada, conquistou o campeonato, venceu na final Moçambique, portanto é uma selecção que temos de respeitar e enfrentar, caso aconteça, com muita humildade e coragem”, disse.

De acordo com Alberto Nkutumula, o seu país também sempre investiu nesta modalidade, tanto em feminino como em masculino e por aquilo que foi o desempenho das atletas durante a competição interna, adivinha-se uma formação mais forte, rumo à conquista do troféu.

Para o Afrobasket2015, o seleccionar Nazir Salé chamou as seguintes pré-seleccionadas: Odélia Mafanela, Onélia Mutumbune, Rute Muianga, Vilma Covane, Deolinda Ngulela, Valerdina Manhonga, Elisabeth Perreira, Deolinda Gimo, Ilda Chambe, Ludomila Rangel, Eliana Sheila, Isabel Mavamba, Leia Dongue e Vânia Sengo.

Moçambique faz parte do Grupo A, juntamente com Camarões, África do Sul, Gabão, Uganda e Mali, ao passo que Angola está no A, com as congéneres do Senegal, Argélia, Guiné Conakry e uma equipa convidada.