Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Seleccionador divulga convocatória

Melo Clemente - 16 de Junho, 2015

Processo de renovação continua de acordo com o seleccionador nacional

Fotografia: Jornal dos Desportos

O seleccionador nacional, Moncho López, divulga hoje após o termo da finalíssima, a lista da pré-selecção de basquetebol sénior masculino, para o Campeonato Africano das Nações da Tunísia, competição a decorrer de 19 a 30 de Agosto do ano em curso, selectiva aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro,  em 2016.

O grupo de pré-convocados para a "operação" Tunísia não deve fugir muito daquele que disputou o Campeonato do Mundo de Espanha, em 2014, de acordo com o novo seleccionador nacional que está apostado na conquista do título da 28ª edição do Afrobasket e consequentemente, assegurar a sétima presença consecutiva nos Jogos Olímpicos, depois da estreia em Barcelona, em 1992, seguiram-se as presenças em Atlanta, Estados Unidos da América, em 1996, Sidney, Austrália, em 2000, Atenas, Grécia, 2004, Pequim, China, 2008 e Londres, Inglaterra, em 2012.

Angola esteve representada no mundial de Espanha com os seguintes atletas: Joaquim Gomes “Kikas”, Reggie Moore, Armando Costa, Hermenegildo Santos, Islando Manuel, Olímpio Cipriano, Eduardo Mingas, Milton Barros, Edson Ndoniema, Yanick Moreira, Roberto Fortes e Valdelício Joaquim.

No país, há sensivelmente duas semanas, onde tem acompanhado as emoções da final da 37ª edição do Campeonato Nacional da "bola ao cesto", Moncho López tem acompanhado milimetricamente a ponta final do BIC Basket, que hoje encerra, com a disputa da finalíssima.

O seleccionador nacional afirmou recentemente á comunicação social, depois da  apresentação oficial, que vai convocar um grupo de atletas que seja capaz de lutar para conquistar o 12º anel continental e por via disso, o alcance do passe para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.
A regularidade, na presente época desportiva, é um dos itens que o substituto de Paulo Macedo vai levar em linha de conta para convocar a pré-selecção nacional, que dentro de dias deve arrancar os trabalhos de preparação.

De acordo com presidente da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), Paulo Alexandre Madeira, os trabalhos de preparação do combinado nacional vão iniciar na capital do país, para posteriormente seguir para o velho continente (Europa), onde estão agendados alguns jogos de controlo.

Apesar das dificuldades financeiras, que o órgão reitor da modalidade está a atravessa, o homem forte da FAB promete envidar esforços no sentido de criar as melhores condições de trabalho para a Selecção Nacional, que tem como objectivo conquistar o título da 28ª edição do Afrobasket.

A pouco menos de dois meses  do início do Campeonato Africano das Nações, prova que vai apurar o único representante africano aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, Moncho López acredita que o grupo vai ter tempo suficiente para descansar e posteriormente projectar a aludida competição.

A Selecção Nacional vai disputar a fase preliminar do Afrobasket da Tunísia, inserida no Grupo B, ao lado do Senegal, Marrocos e Moçambique.
A Tunísia, país anfitrião, está enquadrado no Grupo A, juntamente com Uganda, Nigéria e República Centro Africana. O Egipto, Gabão, Mali e Camarões fazem parte do Grupo C, ao passo que no D, estão as selecções da Costa do Marfim, Cabo Verde, Argélia e Zimbabwe.


FEMININO
1º de Agosto revalida Taça de Angola
 

O 1º de Agosto revalidou domingo, o título da Taça de Angola em basquetebol sénior feminino, ao vencer o Interclube por 62-50, em jogo da final disputado no Pavilhão Principal da Cidadela em Luanda. As militares somam o 12º troféu desta segunda maior competição da modalidade no país, nesta categoria, mais sete que as polícias que possuem apenas cinco.

As rubro- negras,  começaram a dar mostras de superioridade desde os primeiros quatro minutos do encontro, ao vencer por 4-0 eram as mais certeiras na finalização em relação ao Inter, daí que conservaram a liderança até o término do período, por 21-12. 

No terceiro período, as duas formações pareciam equilibradas, o Interclube mais inconformado tentava através da base norte-americana, Italee Lucas, encurtar o resultado, mas as  "agostinas" que contavam com duas estrangeiras, nomeadamente a moçambicana Leia Dongue e a norte-americana Lindsay Taylor,  fruto das suas habilidades facilmente conseguiam finalizar com êxitos e tornar a vencer, por 48-31.

No quarto e último tempo da partida, o 1º de Agosto sentiu-se pressionado  a seis minutos do apito final, quando o Inter  reduziu a desvantagem para oito pontos (42-50), mas  a  extremo poste Sónia Guadalupe acabou o sonho do adversário ao empatar a partida com dois triplos seguidos o que animou o resto do plantel e dilatar a vitória para  62-50.Com este troféu o 1º de Agosto soma o 12º títulos, contra cinco do Interclube.

FEDERAÇÃO APELA
À CRIAÇÃO DE EQUIPAS


O presidente da Federação Angolana de Basquetebol, Paulo Madeira, apelou domingo em Luanda, às direcções do Petro de Luanda, ASA, Recreativo do Libolo e outros clubes no sentido de criarem equipas de basquetebol seniores feminino, para aumentar o número de participantes em provas nacionais.

Em declarações à imprensa, na final da Taça de Angola ganha pelo 1º de Agosto ao Interclube por 62-50, o dirigente referiu que os clubes citados  pelo orçamento que apresentam deviam ter um comprometimento melhor e maior com o basquetebol.

"É muito triste que se tenha só quatro equipas a participar na taça de Angola nesta modalidade" disse, para posteriormente reiterar a valorização do género feminino nesta modalidade, uma vez que conseguiram elevar o país ao mais alto nível ao  tornarem-se  campeãs africanas.


NBA
Curry coloca Warriors
a uma vitória do título


O MVP (Jogador Mais Valioso) Stephen Curry marcou 15 dos seus 37 pontos nos últimos 7.33 minutos na recepção aos Cleveland Cavaliers (104-91) e colocou ontem os Golden State Warriors a um triunfo do título da Liga norte-americana de basquetebol profissional (NBA).

Depois de recuperarem  o “factor casa”, com o triunfo no quarto jogo, em Cleveland, os Warriors reassumiram o comando da final (3-2), que podem fechar amanhã, na casa dos ‘Cavs’, e arrebatar o ceptro que não conquistam há 40 anos, desde 1975.Por seu lado, LeBron James está muito perto de perder uma final e depois de mais um jogo numericamente monstruoso, com 40 pontos - 15 lançamentos de campo marcados, em 34 sofridos -, 14 ressaltos e 11 assistências, em 44.46 minutos.

Na equipa da casa,  além de Curry, destaque para os 16 pontos, nove ressaltos e seis assistências de Draymond Green e os 14 pontos, cinco decisivos, que passaram o resultado de 86-84 para 91-84, oito ressaltos e sete assistências de Andre Iguodala, que pecou nos lances livres (dois em 11).

O brasileiro Leandrinho Barbosa também foi importante, ao trazer 13 pontos do banco, enquanto Klay Thompson esteve abaixo do normal, com apenas 12 (cinco em 14 nos “tiros” de campo).

Nos forasteiros, Tristan Thompson foi um gigante junto ao cesto, terminou com 19 pontos e dez ressaltos, e JR Smith marcou 14 pontos na primeira parte, mas ficou em branco na segunda, numa equipa em que, estranhamente, Timofey Mozgov só jogou 9.19 minutos, depois dos 28 pontos no quarto embate – ficou a zero.

O embate, que teve dez igualdades no marcador e 20 mudanças de liderança, começou com sucessivos falhanços dos dois lados, com os anfitriões a serem os primeiros a acertar e a construir uma primeira vantagem significativa (8-2).

Do banco, JR Smith veio inspirado e os “Cavs” viraram o resultado (16-17), com o equilíbrio a instalar-se e o primeiro período a chegar com uma igualdade de 22 pontos. No segundo parcial, os forasteiros conquistaram sete pontos a maior (30-37), mas com uma parcial de 14-5, os Warriors voltaram para a frente (44-42) e conseguiram fechar nessa condição a primeira parte (51-50).

A toada de equilíbrio manteve-se no início do terceiro período, até que na parte final, os Warriors conseguiram superiorizar-se e construir uma vantagem de seis pontos (73-67), com Curry ainda a falhar um “triplo” no último lançamento.

Os comandados de David Blatt ainda tentaram a reaproximação, nomeadamente com faltas a obrigar Iguodala a lançar e falhar lances livres, mas Curry  assumiram por completo o controlo da situação, marcou  “triplos” quando lhe “apeteceu”.Muito desgastado fisicamente, face à quase nula rotação de Blatt, o conjunto de Clevaland acabou por perder por “enganadores” 13 pontos (104-91), que não espelham as dificuldades que impuseram os Golden State Warriors.