Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Seleco de Sub-18 trabalha amputada

Juscelino da Silva - 08 de Julho, 2018

Seleco nacional de Sub-18 est reduzida a quase meia dzia de atletas

Fotografia: Jos Cola | Edies Novembro

Com um grupo de trabalho amputado, a Selecção Nacional feminina de Sub-18 trabalha os aspectos técnicos e tácticos no pavilhão anexo número dois da Cidadela Desportiva, visando a participação no campeonato africano a decorrer no Mali a partir do dia 29 do corrente. O número reduzido de atletas preocupa o seleccionador nacional, Aníbal Moreira.
Em sete semanas de preparação, o grupo trabalhou completo em duas ocasiões. Do lote de convocadas, apenas sete estão a aperfeiçoar os lançamentos de curta e longa distância e a transição defesa-ataque a todo o campo.
Em declarações ao Jornal dos Desportos, Aníbal Moreira disse que \"assim fica complicado trabalhar nessas condições\". A ausência de outras jogadoras no treino tem reflexos na qualidade de jogo a apresentar na competição continental. O grosso de convocadas fazem parte também da selecção nacional de Sub-17 que vai participar do Campeonato do Mundo a decorrer em Minsk, Bieolorrússia.
\"As duas competições vão decorrer em simultâneo (o Mundial e o Africano). Então, aguardamos a escolha das 12 atletas que trabalham com a treinadora Elisa Pires. Só assim, vamos ter o retorno de algumas atletas\", disse.
Para agravar a qualidade competitiva do grupo, Aníbal Moreira e companhia vão fazer toda a preparação em solo pátrio. O seleccionador nacional lamentou a falta de estágio para aumentar a performance do grupo.
\"Os estágios fazem bem às equipas. Nessa altura, um estágio seria mais-valia para a selecção nacional. Agora, somos obrigados a jogar com a selecção de Sub-17\", disse.
O mal não vem só. Aníbal Moreira tem outros handicaps.
\"Quando fomos indicados para conduzir a selecção nacional feminina de Sub-18, encontrámos a lista das jogadoras feita. Resta-nos trabalhar\", disse.
O seleccionador nacional lamentou pelo facto das jogadoras residentes no estrangeiro não se apresentarem ao grupo. Aleixa Dizeko, atleta do Sion da Suíça, e Rafaela Henriques, do Benfica do Montejo, \"não vão a tempo de integrar o grupo\".
Aníbal Moreira reconhece a importância do contributo das duas basquetebolistas no grupo.
\"São jogadoras com muita qualidade e gostaríamos de as ter no nosso grupo de trabalho\", disse.
A Selecção Nacional feminina de Sub-18 tem a missão de elevar a qualidade técnica do basquetebol angolano na competição.