Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Senhor absoluto!...

Melo Clemente - 27 de Maio, 2019

Pupilos de Paulo Macedo mostraram classe frente aos morroquinos do Sal

Fotografia: Paulo Mulaza | Edies Novembro

O quarteto de atletas formado por Eduardo Mingas, Emanuel Quezada, Hermenegildo Santos e Islando Manuel foi determinante na vitória de ontem do 1º de Agosto, sobre a similar do Association Sportive de Salé, por 83-71, desafio que contou para a final da primeira edição da AfroLiga em basquetebol sénior masculino.
Com este triunfo, a equipa militar que ontem disputou a sua décima segunda final, elevou para nove o número de troféus continentais, sendo por isso, a formação mais titulada do continente berço da humanidade.
Por seu turno, Paulo Jorge Rebelo de Macedo arrebatou o seu terceiro anel.
Entretanto, com algum nervosismo a se apoderar das duas formações nos primeiros minutos do quarto inicial, foi a equipa forasteira que acabou estabilizar o seu jogo, ao contrário do Clube Central das Forças Armadas Angolanas que precisou seis minutos para liderar a marcha do marcador (10-9), quando restavam quatro minutos e 16 segundos para finalizar o primeiro período.
Com o veterano Eduardo Mingas bastante assertivo nos lançamentos exteriores, par do seu colega de equipa, Emanuel Quezada, a equipa militar conseguiu superiorizar-se nos minutos finais do primeiro quarto, em que saíram a venceram por uma margem de nove pontos (26-17).
No segundo período, as duas equipas voltaram a exibir-se ao mais alto nível, com a formação do Clube Central das Forças Armadas Angolanas (1º de Agosto) a destacar-se nos aspectos defensivos, onde foi irrepreensível, obrigado o seu adversário à violar sistematicamente os seus tempos de ataque.
Ao cabo dos primeiros 20 minutos, o internacional angolano, Eduardo Mingas, poste de 40 anos de idade, terminou com 15 pontos, curiosamente, o número da sua camisola.
Para além dos lançamentos exteriores, Mingas destacou-se igualmente no jogo interior, onde aparecia com os seus afundanços, para o gáudio dos amantes da “bola ao cesto”, que ontem compareceram em grande número (cerca de cinco mil), para testemunharem a grande final.
Depois de ter brilhado nas meias-finais, onde havia anotado 23 pontos, na vitória da sua equipa diante do Smouha do Egipto, por 86-76, Mingas voltou a estar ontem em grande plano, desta para a final da AfroLiga, competição que a partir do próximo ano, passa a designar-se (African Basketeball League).
Contra todas as espectativas, a equipa rubro entrou mal na partida, fruto do rigor defensivo evidenciado pela equipa forasteira, que em seis minutos anulou a vantagem de oito pontos que trazia do intervalo maior (42-36).
A quatro minutos do termo da partida, o placar registava uma igualdade a 42 pontos. Mesmo diante da improdutividade da sua rapaziada, o técnico Paulo Jorge Rebelo de Macedo tardou em solicitar um minuto de desconto de tempo.
Mesmo depois de ter solicitado um minuto de desconto de tempo, o nervosismo continuava a apoderar-se do conjunto rubro e negro, que só esboçou uma reação quando restavam pouco menos de três minutos para o fim do terceiro quarto.
Num espaço de três minutos houve nada mais, nada menos do que três igualdades a 42, 47 e a 49 pontos, respetivamente.
Os pupilos de Paulo Jorge Rebelo de Macedo perderam no parcial, por 13-19, levando para o derradeiro período, uma vantagem mínima de dois pontos (55-53).
Perante a aproximação do inimigo, os militares tiveram que utilizar toda a artilharia, para afastar o seu opositor da sua área de jurisdição.
Armando Costa foi o responsável dos últimos dois disparos à longa distância, que aniquilou por completo a formação do Associatino Sportive de Salé, fixando o resultado final em 83-71.

EDUARDO MINGAS
ELEITO MVP

O internacional angolano, Eduardo Mingas, foi eleito como o Jogador Mais Valioso (MVP) da primeira edição da AfroLiga. O poste militar ficou ainda com o prémio de melhor ressaltador da competição.
O poste do Clube Central das Forças Armadas Angolanas terminou a partida com um duplo duplo, 20 pontos e 11 ressaltos (3/8). Quezada contribui com 17 pontos para além de sete ressaltos.

FICHA TÉCNICA
Pavilhão
: Arena do Kilamba
Arbitragem: Kingsley Ojeaburu (Nígeria), Tonton Kalume (RDC), Sameh Estafanous (Egipto)

1º de Agosto
: Pedro Bastos (0), Mohammed Malick Cissé (4), Edson Ndoniema (2), Armando Costa (Cap) (9), Felizardo Ambrósio “Miller” (9), Carlos Cabral (0), Mutau Fonseca (0), Emanuel Quezada (17(, Eduardo Mingas (20), Hermenegildo Santos (10), Islando Manuel (12), Andre Harris (0).
Treinador: Paulo Macedo

AS Salé:
Abderrahim Najah (12), Yassine El Mahsini (6), Soufiane Kourodu (6), Zakaria El Mashahi (0), Wayne Arnold (21), Mbhmed Choua (5), Abdelhakim Zouita (15), Mohammed Belhaddar (0), Hamza Jaddi (0), Adam El Ghazi (0), Yacine Baeri (0), Brandon Wood (0).
Treinador: Zeliko Zecevic
 
Marcha do marcador:
26-17, 42-34, 55-53, 83-71

Terceiro lugar
Smouha suplanta JS Kairouan da Tunísia


A formação do Smouha do Egipto arrebatou a malha de bronze, ao vencer ontem, no Pavilhão Arena do Kilamba, a congénere do JS Kairouan da Tunísia, por 69-58, em partida a contar para as classificativas do terceiro e quarto lugares da primeira edição da AfroLiga.
Apesar do triunfo, os egípcios do Smouha viram-se e desejaram-se para levar de vencida a equipa do JS Kairouan da Tunísia.
Aliás, a formação do Smouha do Egipto que nas meias-finais sucumbiu diante do 1º de Agosto, conjunto mais titulado do continente africano, por 76-86, construiu a sua vantagem logo no quarto inicial, onde venceu no parcial, por 24-14.
Os tunisinos do JS Kairouan voltaram a perder no parcial por 12-13, o que perfez 37-26, ao cabo dos primeiros 20 minutos, a favor do representante do Egipto.
Nos quartos subsequentes registraram-se duas igualdades a 17 e a 15 pontos, respectivamente. O norte-americano James Justine Jr, com 22 pontos, foi o cestinha da partida, tendo capturado seis ressaltos.
Lawrence Gilbert Jr, do JS Kairouan da Tunísia, fez um duplo duplo, 14 ressaltos (7/7), e 15 pontos, tal como Augustine Okosun, do Smouha, que terminou o desafio com 15 ressaltos (5/10) e 14 pontos.