Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Slvio Mateus quer ficar no grupo

Melo Clemente - 04 de Agosto, 2018

Hendecacampees africanos esto na China a projectar a quarta janela de qualificao zona africana para a Copa do Mundo

Fotografia: Jornal dos Desportos

O base que actua na Áustria, Sílvio Bruno Mendes Mateus, quer se instalar no grupo restrito de jogadores seleccionáveis, visando a campanha da Selecção Nacional de basquetebol em seniores masculinos, que busca a sua oitava presença numa fase final de uma Copa do Mundo da \"bola ao cesto\".
Aos 24 anos de idade, um metro e 86 centímetros de altura, 84kg, o base, a militar actualmente no basquetebol austríaco, depois de ter passado pela França, país que os seus progenitores adoptaram como segunda pátria, mostrou-se satisfeito pelo facto de ter merecido a confiança do seleccionador nacional, o norte-americano, Will Voigt, para integrar os trabalhos do cinco nacional, que continua na República Popular da China a projectar a quarta janela de qualificação zona africana, prova a decorrer de 14 a 16 de Setembro do mês em curso, na Tunísia.
Em entrevista ao Jornal dos Desportos, momentos antes de embarcar com os hendecacamepões africanos, para a República Popular da China, país que acolhe em 2019, a 18ª edição da Copa do Mundo, o jovem jogador revelou que recebeu com alguma surpresa a convocatória do norte-americano, Will Voigt.
\"Estou a realizar um sonho de criança. Sempre sonhei em representar o meu país, nos mais variados palcos internacionais. Angola é, tradicionalmente, um país respeitado não apenas no continente africano mas também no mundo. Recebi, com alguma surpresa, a convocatória do seleccionador nacional e durante vários dias não estava a acreditar que tinha sido seleccionado\", confessou Sílvio Bruno Mendes Mateus. Embora, tenha \"abandonado\" o país aos sete anos de idade, continua a manter o português como a sua língua principal.
Rápido nas transições defesa ataque, o novo inquilino dos hendecacampeões africanos tem como ponto forte, a grande capacidade na organização do jogo ofensivo, para além de ter uma boa percentagem nos lançamentos a curta distância.
Apesar de ter embarcado com o segundo grupo, devido a problemas administrativos, Sílvio Bruno Mandes Mateus ressaltou a recepção calorosa que teve, quer dos seus companheiros de selecção, como dos dirigentes federativos.
\"Fui muito bem recebido pelos meus colegas e, sobretudo, pelos dirigentes da federação angolana de basquetebol. Foram dois dias maravilhosos que passei aqui em Luanda, com a Selecção Nacional. Tudo farei para que, nas futuras convocatórias, o meu nome possa voltar a constar. Tenho consciência que existem jogadores angolanos com qualidades acima da média mas, ainda assim, vou lutar para nunca mais sair das opções do seleccionador nacional\", asseverou Sílvio Bruno Mendes Mateus.
Para o torneio da China, o seleccionador nacional, Will Voigt, levou doze (12) atletas, nomeadamente, Gerson Domingos, Sílvio Bruno Mendes Mateus, Leandro Conceição, Mohamed Malick Cissé, Gerson Gonçalves \"Lukeny\", Edson Ndoniema, Yanick Moreira, Reggie Moore, Alexandre Jungo, Sebastião Quicuame, Pedro Bastos e  Hermenegildo M´bunga, respectivamente.
A Selecção Nacional de basquetebol em seniores masculinos continua na República Popular da China, a preparar a quarta janela de qualificação zona africana para a Copa do Mundo de 2019.
Os henedecacampeões africanos estão inseridos no Grupo E, juntamente com a similares da Tunísia, Camarões, adversário com quem se estreia a 14 de Setembro do ano em curso, Egipto, Marrocos e Chad, ao passo que no Grupo F fazem parte das selecções da Nigéria, Senegal, República Centro Africana, Rwanda, Costa do Marfim e Mali, respectivamente.
Angola ocupa o terceiro lugar do seu grupo, com dez pontos, contra doze e dez pontos, da Tunísia e Camarões, nas duas primeiras posições. Egipto e Marrocos estão em quarto e quinto lugares, respectivamente, ambos com nove pontos, ao passo que o Chad ocupa a cauda da tabela classificativa, com apenas oito.
Nigéria, com doze pontos, comanda o Grupo F, seguido do Senegal, com onze. Nas posições imediatas estão a República Centro Africana, Rwanda, ambos com nove pontos, Costa do Marfim e Mali têm cada oito pontos.
Os hendecacampeões africanos contam já com sete presenças em fases finais dos mundiais, designadamente, Espanha, 1986, 1990, Argentina, 1994, Toronto, Canadá, 2002, Indianápolis, Estados Unidos da América, 2006, Japão, 2010, Turquia e 2014, em Espanha.

Apuramento
Lahrichi coloca Marrocos entre as favoritas

O poste marroquino, Ali Lahrichi, acredita que o seu país estará entre as 32 nações que, de 31 de Agosto a 15 de Setembro de 2019, vão disputar a 18ª edição da Copa do Mundo de basquetebol em seniores masculinos, prova a decorrer na República Popular da China.
Em entrevista ao site da Fiba-Afrique, Ali Lahrichi, reconheceu que a quarta janela de qualificação zona africana para a Copa do Mundo, torneio a disputar-se de 14 a 16 de Setembro do ano em curso, será de extrema importância para a sua selecção, em função da actual classificação. Os marroquinos ocupam, nesta altura, o quinto lugar do Grupo E, com nove pontos.
Apesar dos analistas da \"bola ao cesto\" colocarem de fora o seleccionado marroquino, apontando a Nigéria, Tunísia, Senegal, Angola e Egipto como principais favoritos à conquista dos cinco passes reservados para o continente africano, Ali Lahrichi está esperançoso que o seu país venha a qualificar-se para a fase final da Copa do Mundo, competição que, pela terceira vez, vai disputar-se no continente asiático, depois das Filipinas e Japão já terem acolhido o magno evento.
\"Estamos numa posição extremamente delicada mas, ainda assim, estamos confiantes numa boa prestação nesta segunda fase de apuramento ao mundial. Sei que os prognósticos apontam como favoritos as selecções da Nigéria, Tunísia, Egipto, Angola e Senegal, mas nós tudo faremos para nos qualificarmos para a fase final do mundial\", asseverou o poste marroquino.
Transitam para a fase final da Copa do Mundo de 2019 que, pela primeira vez, contará com a participação de 32 selecções, contra 24 das edições anteriores, as duas primeiras classificadas de cada grupo e a terceira melhor posicionada, perfazendo um total de cinco selecções.
 
  NBA
LeBron James inaugura escola

LeBron James inaugurou, na passada segunda-feira, a sua escola pública em Akron, cidade onde nasceu, no Estado de Ohio, para crianças e jovens em situação de risco. No dia da sua inauguração a escola \'I Promisse School\', de seu nome, recebeu os primeiros 240 alunos, numa festa de abertura que contou com a presença do astro da NBA, assim como toda a sua família. LeBron quer que a escola seja um modelo para o ensino público, mas também privado dos EUA.
A escola, um desejo antigo do jogador de 33 anos, foi financiada pela James\'s Family Foundation e contou também com o apoio de órgãos públicos de Akron e empresas privadas, através de parcerias.
E foi um LeBron nervoso, aquele que discursou perante a plateia, onde falou do que lhe ia alma. Dispensou o discurso escrito e falou de coração, sobre o projecto, a cidade e a sua infância.
\"Como criança em Akron, lembro-me perfeitamente de andar por estas ruas aqui perto, de ir para a escola de bicicleta. Quando as pessoas me perguntam porque estamos a fazer isto, a minha resposta é: \'Sei exactamente o que estas crianças passam, sei dos seus problemas, os desafios, os altos e baixos, os sonhos e pesadelos. Porque eu passei por isto tudo\", contou o novo jogador dos LA Lakers.
\"Este rapaz magro de Akron, que perdeu 83 dias de aula na quarta classe, tinha grandes sonhos para as crianças de Akron, para lhes dar tudo o que elas precisam para encontrar as suas paixões, retribuir à nossa comunidade e mudar o mundo\", continuou.
\"Estas crianças precisam de saber que há alguém que se preocupa com elas, que nós nos importamos com os seus sonhos, aspirações. A escola é sobre aprender, fortalecer a mente e também sobre relações de amizade, que vamos fortalecendo no dia-a-dia. Quero que estas crianças tenham as mesmas oportunidades que todas as outras. A nossa responsabilidade, enquanto adultos, é não deixá-las caírem, sermos professores, mentores, sermos inspiração. Porque elas são o nosso futuro e têm grandes sonhos, que vão para lá dos limites de Akron, do estado de Ohio e dos Estados Unidos da América\", acrescentou.
A escola \'I Promisse School\' vai expandir todos os anos, até atender mil alunos do primeiro ao oitavo ano em 2022 e não vai oferecer apenas aulas. Com a filosofia \"We are family\" (Somos uma família), vai dar suporte académico, profissional e emocional aos alunos, e orientação profissional aos pais e encarregados de educação. Além disso, terá uma despensa básica abastecida pelo Banco Regional de Comida de Akron-Canton para as famílias. Os jovens terão direito ao pequeno almoço, almoço e lanche, além de transporte. A escola também tentará gerar um ambiente em que os alunos podem sentir-se confortáveis emocionalmente, para superar traumas e as dificuldades do dia-a-dia.
Antes da inauguração, o jogador de 33 anos explicou o que o levou a avançar para esta iniciativa, de dar à comunidade um pouco do que recebeu.\"Conheço estas crianças melhor do que elas mesmas.
Andei por estas ruas, tive as mesmas emoções, boas, más. Sei das adversidades que vão passar, drogas, violências, armas... sei disso tudo. E estar numa posição em que tenho a estrutura financeira, uma equipa, a cidade inteira...  Porque não ajudar os outros? ‘ justificou o astro, antes da inauguração, lamentando não poder estar presente todos os dias na escola.
\"Neste momento é um sentimento ambíguo porque, de um lado, inauguramos esta nova escola e quero estar aqui no dia-a-dia, dando o meu apoio. Mas, por outro lado, estou a mudar-me para Los Angeles\", atirou.
A iniciativa de LeBron James foi fortemente elogiada por várias personalidades, como alguns dos seus colegas da NBA como Stephen Curry, do Golden State Warriors, e Chris Paul, do Houston Rockets. Também Michelle Obama, mulher de Barack Obama, deu os parabéns a \'King\' James pela iniciativa.