Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Sofrimento à frente da Comissão do Zonal VI

Melo Clemente - 18 de Outubro, 2015

Tony Sofrimento assegurou que a Comissão Organizadora já começou a trabalhar para o êxito das competições

Fotografia: Nuno Flash

Para além do Tony Sofrimento que vai se responsabilizar pela parte executiva, a Comissão Organizadora integra ainda Miguel António "Camulugi", vice-presidente do Grupo Desportivo Interclube, que responde pela área das operações gerais, José Carlos, director para o basquetebol do Recreativo do Libolo, coordena a área de comunicação e marketing, e António Soares de Campos, Comissário Fiba, que vai responder pela área técnica e desportiva do Zonal VI de Apuramento à Taça dos Clubes Campeões Africanos.
 
O Zonal VI de Apuramento à Taça dos Clubes Campeões Africanos da "bola ao cesto" vai decorrer de 28 do mês em curso, a 06 de Novembro próximo.

A fase final em femininos vai decorrer de 27 de Novembro a 06 de Dezembro, ao passo que em masculinos, a competição está aprazada de 10 a 20 de Dezembro do ano em curso.

A Comissão Organizadora criada recentemente pela direcção da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), encabeçada por Paulo Alexandre Madeira, já começou a trabalhar na criação de condições para o êxito das referidas competições, de acordo com Tony Sofrimento, que responde igualmente pelo cargo de secretário-geral da FAB.

"Devo lhe dizer que o processo de preparação está em ritmo acelerado, porque estamos a poucos dias do início do arranque do torneio de qualificação da zona VI. A direcção da federação reuniu muito recentemente com os clubes que estarão envolvidos na aludida competição e com muito agrado e felicidade foram tomadas decisões extremamente importantes que fazem com que nós nos próximos tempos coloquemos a máquina a trabalhar já em velocidade cruzeiro", revelou Tony Sofrimento, responsável máximo da Comissão Organizadora.

A Comissão Organizadora ora criada, realizou a sua primeira reunião de trabalhos ontem, numa das salas da Federação Angolana de Basquetebol, sita no Complexo da Cidadela Desportiva.

"A comissão já começou a trabalhar hoje mesmo (ontem) tivemos a nossa primeira reunião de trabalho, já temos as datas, temos inclusive documentação da Fiba sobre o assunto, temos informações não concretizadas ainda de clubes que vêem para o apuramento e, depois aguardamos pelas as doze equipas, em ambas as classes, que virão para a fase final da Taça dos Clubes Campeões Africanos".

 Entretanto, Angola far-se-á representar no Zonal VI de Apuramento à Taça dos Clubes Africanos com seis equipas, sendo três em masculinos, igual número em femininos.

Apesar dos regulamentos da Fiba-Afrique permitir apenas duas equipas, em ambas as classes, por cada zona, para a fase final, Angola vai procurar aumentar o número de equipas.

O Pavilhão Principal da Cidadela Desportiva vai albergar o Zonal VI, ao passo que o Multiusos do Kilamba vai acolher à fase final da referida prova.

Recreativo do Libolo é o actual detentor do título africano, ao passo que em femininos a coroa africana está em posse do Grupo Desportivo Interclube.


Capacitação
Adesão satisfaz direcção da federação


A direcção da Federação Angolana de Basquetebol (FAB) mostrou-se satisfeita com a adesão massiva dos candidatos ao curso de treinadores de basquetebol de nível II e III, acção formativa a ser realizada de 23 do mês em curso a 1 de Novembro próximo, em Luanda.

A menos de cinco dias do início da acção formativa, que vai contar com prelectores angolanos e portugueses mais de duas dezenas confirmaram junto do órgão reitor da modalidade as respectivas presenças.

O facto foi dado a conhecer ontem, ao Jornal dos Desportos, por Tony Sofrimento, secretário-geral da Federação Angolana de Basquetebol.

"Os candidatos da acção formativa são os naturais possuidores do nível um. Todos os treinadores do país que possuem nível I estão apresentar as suas candidaturas e nesta altura cerca de vinte técnicos já fizeram as respectivas inscrições e acredito que no dia 23 do mês em curso vamos dar início a acção formativa", asseverou Tony Sofrimento.

Ainda de acordo com Tony Sofrimento, os candidatos para o nível III, que ostentam já o nível II, passarão por uma reciclagem de algumas horas para frequentarem o curso de nível III.

"Os outros candidatos que são potenciais para o nível III, em função termos alguns treinadores de nível II, esses vão passar por uma reciclagem de algumas horas com prelectores portugueses e angolanos de modos a que eles possam ter matérias suficientes para depois defenderem e participarem no curso de nível III logo que reunirmos condições para o fazer".

Tony Sofrimento minimizou o grau académico que é exigido aos técnicos (10º classe) para frequentarem o curso.

"Este é um assunto que está a ser tratado ao seu nível, mas também é preciso que não sejamos tão acelerados para aquilo que pretendemos fazer. A aqui uma obrigação da qualidade académica para se adequar a cientificidade dos cursos por um lado, por outro lado, é preciso que num horizonte actual nós temos estado gradualmente aumentar o nível do técnicos, na expectativa de que curso deste tipo seja frequentados por indivíduos  com 12º classe ou tenham acabado a universidade". M.C