Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Sousa pode falhar campos

Melo Clemente, em Nova Orleans - 19 de Fevereiro, 2017

Campos de ferias de Nova Orleans entrou ontem no seu segundo dia de actividades intensas

Fotografia: Jornal dos Desportos

O internacional angolano, Sílvio Sousa, poderá falhar a terceira edição do Acampamento Global de Basquetebol sem Fronteiras, evento que decorre desde ontem, sexta-feira, na cidade de Nova Orleans, Estado de Louisiana, nos Estados Unidos da América, cujo ponto alto acontece amanhã, domingo, com a realização do All Star Game, ou seja, Jogo das Estrelas.

Até ao final ao princípio da tarde de ontem, o extremo poste angolano que actua no IMG Academy, uma das universidades de Orlando, no Estado da Flórida, dois metros e três centímetros de altura, 18 anos de idade, não tinha ainda escalado a cidade de Nova Orleans, palco da sexagésima sexta edição do Jogo das Estrelas.

O campeão africano de sub-16 e sub-18  e um dos eleitos de Manuel Silva "Gi", para a fase final do Campeonato do Mundo do Egipto, em Julho do ano em curso, era aguardado até ao dia de ontem, pelo comité organizador do evento.

Depois da excelente prestação que teve no Campeonato Africano das Nações, vulgo Afrobasket, na categoria de sub-18, prova disputada no Rwanda, tendo sido eleito um dos melhores jogadores da competição, Sílvio Sousa constitui um dos principais rostos da terceira edição do Acampamento Global de Basquetebol sem Fronteiras, actividade que encerra amanhã, domingo, com a disputa do Jogo d Estrelas, envolvimento as formações do Leste e Oeste respectivamente.

Entretanto, em declarações ao Jornal dos Desportos, Nelson Tavares, um dos responsáveis da Helmarc, empresa angolana que "apadrinha" a vinda dos atletas angolanos, assegurou que o internacional angolano pode desembarcar nas primeiras horas da manhã de ontem.

"Como sabe o atleta já devia estar cá, porque nós enviamos o bilhete de passagem com a dívida antecedência. Infelizmente, para o nosso espanto o atleta não desembarcou até agora mas, acredito que até as primeiras horas de amanhã (hoje), o Sílvio Sousa poderá chegar e fazer parte de terceira edição do Acampamento Global de Basquetebol sem Fronteiras", asseverou Nelson Tavares que se mostrou igualmente triste com o comportamento do jovem atleta.

Entretanto, caso se confirme a ausência do internacional angolano, a participação de Angola ficará reduzida a dois atletas, nomeadamente, Glofate Buiamba, extremo do Atlético Sport Aviação (ASA), e Geovana Dongua, base do 1º de Agosto, ambos de 17 nos de idade.

Glofate Buiamba e Geovana Dongua beneficiaram o ano passado de bolsas de estudo, em face da excelente prestação que tiveram no Jogo Sem Fronteiras de Angola.

Ontem, sábado, a competição prosseguiu com a realização de vários jogos entre petizes de várias nações, em ambas as classes, que almejam actuar na Liga Norte Americana de Basquetebol, a famosa NBA.

A anteceder as partidas, os mais de cinco centenas de jovens, dos 16 aos 18 anos de idades, serão submetidos a técnicas individuais, para além de lançamentos a curta e longa distâncias.

As habilidades dos jovens jogadores estão igualmente a ser testadas pelos técnicos e jogadores consagrados da NBA E não só.


Crença
Atletas angolanos sonham com a NBA


Os atletas Glofate Buiamba e Geovane Dongua almejam actuar nos próximos anos na maior Liga Norte Americana de Basquetebol, a famosa NBA, por formas a elevarem cada vez mais o prestígio do basquetebol angolano.

Glofate Buiamba, campeão africano de sub-18, e Geovane Dongua, participam pela segunda vez consecutiva numa edição do Acampamento Global de Basquetebol sem Fronteiras, depois de terem sido distinguidos na edição que aconteceu no Pavilhão Arena do Kilamba, em Luanda, em 2016.

Em declarações ao Jornal dos Desportos, o extremo do Atlético Sport Aviação (ASA), não escondeu a sua satisfação por mais uma vez ter sido eleito para integrar o campo de férias.

"Para mim é motivo de grande satisfação estar a participar de mais um acampamento global de basquetebol sem fronteiras. Como sabe tenho uma bolsa para vir estudar aqui nos Estados Unidos da América. Prometo, quando cá vier, estudar e aliar a prática desportiva porque o meu maior desejo é um dia poder jogar na melhor liga do mundo", augurou o campeão africano de sub-18, e um dos eleitos de Manuel Silva "Gi" para a fase final do Campeonato do Mundo de sub-19, prova a decorrer de 01 a 09 de Julho do ano em curso, no Egipto.

Apesar do constrangimento por que passa, com a falta do domínio da língua inglesa, o jovem jogador da turma do aeroporto reafirmou que a semelhança de Angola está a ser uma boa experiência.

"O convívio aqui no campos de férias é praticamente familiar. O meu único problema é a língua mas, nos próximos tempos vou ultrapassar esta barreira", garantiu Glofate Buiamba, de 17 anos de idade, um metro e 64 centímetros de altura.

Entretanto, o mesmo pensamento foi partilhado pela base do Clube Central das Forças Armadas Angolanas, Geovane Dongua.

"O meu sonho é um dia poder jogar na WBA. E acredito, que estes Campos de férias poderão me ajudar a alcançar este meu desejo", revelou a jovem atleta, de 17 anos de idade.  
M.C