Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Sterling processa NBA

12 de Junho, 2014

Dono do Clippers muda de opinião e recusa vender a equipa além de processar a NBA

Fotografia: AFP

O dono do Los Angeles Clippers, Donald Sterling, parece não estar disposto a desistir de sua franquia. Ele retirou o apoio à venda da equipa ao bilionário Steve Ballmer, que já era dada como selada e anunciou que vai processar a NBA em mil milhões de dólares por "violar os seus direitos constitucionais".

Sterling é protagonista de um escândalo de racismo nos Estados Unidos, depois de ter sido apanhado em uma gravação telefónica a repreender a namorada, V. Stiviano, por tirar fotos ao lado de Magic Johnson, ex-astro dos Los Angeles Lakers, e por "trazer pessoas negras" aos jogos do Clippers. O dirigente por essa razão  foi punido pela NBA com uma multa de 2,5 milhões de dólares e foi obrigado a vender a franquia e afastar-se da liga para sempre.

Na noite da última segunda-feira, Sterling divulgou um comunicado intitulado "O  conjunto não está à venda", no qual explica os motivos de não querer vender o Clippers. Nele, o dirigente afirma que a NBA está a basear-se em informação conseguida através de uma gravação "ilegal". "Eu decidi lutar para proteger os meus direitos", declarou.

"Apesar de a minha posição não ser popular, acredito que os meus direitos à privacidade e à protecção dos meus bens durante o processo não devem ser afastados. Eu amo a equipa e  dediquei-me durante 33 anos da minha vida à organização. Eu pretendo lutar para mantê-la", prometeu. Após o anúncio da punição pela NBA, a esposa de Donald, Shelly Sterling, co-proprietária da empresa que controla as acções da franquia, passou a negociar a venda do Clippers e acertou com o ex-CEO da Microsoft, Steve Ballmer.

A proposta de dois mil milhões de dólares foi aceite por Shelly e o acordo foi selado. Inicialmente, Donald Sterling  colocou-se  contra, mas na semana passada afirmou que  se arrependeu e que "as diferenças estavam resolvidas". No entanto, o dirigente parece ter voltado atrás mais uma vez da decisão. De acordo com  pessoas próximas a ele, Sterling decidiu voltar a  posicionar-se contra a NBA e contra a negociação depois de saber que a multa e o afastamento dele não deviam ser revogados.

"Fomos instruídos a iniciar a abertura de um processo", disse o advogado do dirigente, Maxwell Blecher, a  confirmar que ia pedir mil milhão de dólares à NBA.  "Acho que o Adam Silver (comissário da NBA)  precipitou-se  ao ordenar ilegalmente a venda obrigatória do Clippers, minha suspensão perpétua e a imposição da multa. Sua conduta ao fazê-lo, sem nenhuma investigação real, mostra que estava equivocado. As medidas são uma violação aos meus direitos e das liberdades que se concedem a todos os norte-americanos", afirmou Sterling.